GLOBALIZAÇÃO e NOVA ORDEM MUNDIAL

 

 

BÊNÇÃO ESPECIAL  

 

Editorial do dia 8 de Março de 2015  

 

Nesta Página da Amen, pode encontrar a abordagem do Tema Global sobre a

GLOBALIZAÇÃO E NOVA ORDEM MUNDIAL

ÍNDICE

 O que é a Globalização em termos genéricos

Os precursores da Globalização

As várias globalizações infernais

 Os objectivos e estratagemas da Globalização

Os grandes Objectivos da Globalização

Os grandes Estratagemas da Globalização e a Nova Ordem Mundial

O Governo Único Mundial e a ONU

A Religião Única Mundial e a ONU

A Moeda Única Mundial e a ONU

Algumas fontes de sacerdotes da Igreja Católica

 A relação da Globalização com o anticristo

 A Globalização nas Sagradas Escrituras

 A Globalização nas Revelações Privadas

A Globalização nas Mensagens ao Padre Gobbi

 Conclusões

 

 

 O que é a Globalização em termos genéricos

Falando de Globalização, rapidamente a nossa atenção voa para um dos palavrões mais usados nos últimos tempos nos fóruns de economia, das finanças e da política.

A Globalização é definida pela Wikipédia da seguinte forma:

“A globalização é um dos processos de aprofundamento internacional da integração económica, social, cultural e política, que teria sido impulsionado pela redução de custos dos meios de transporte e comunicações dos países no final do século XX e início do século XXI.

O termo Globalização tem estado em uso crescente desde meados da década de 1980 e especialmente a partir de meados da década de 1990. Em 2000, o Fundo Monetário Internacional (FMI) identificou quatro aspectos básicos da globalização:

1 - Comércio e transacções financeiras,

2 - Movimentos de capital e de investimento,

3 - Migração e movimento de pessoas e a

4 - Disseminação de conhecimento.

Além disso, os desafios ambientais, como a mudança climática, poluição do ar e excesso de pesca do oceano, estão ligados à globalização.”

Se em linguagem do dia a dia este é o conceito prevalecente, gostava de alargá-lo para áreas mais genéricas e etimológicas da palavra.

Globalização deriva de globo, corpo esférico (o globo terrestre). Tornar global significa tornar extensivo a todo o globo terrestre, logo, tornar extensivo a toda a Terra.

Podemos pois estabelecer que a Globalização é o conjunto de instrumentos para espalhar ou divulgar algo a nível planetário.

Assim sendo, em muitos aspectos da nossa vida, a globalização pode até ser uma coisa boa, mas, também pode ser coisa terrível. Consoante os desígnios de quem deseja e impulsiona uma acção, uma teoria ou uma qualquer filosofia, globalizando-a, teremos resultados à escala planetária, que podem mesmo, se for má, chegar ao ponto de aniquilar a própria humanidade.

Quando Jesus disse: “Ide e pregai a Boa Nova do Reino a todos os povos”, Jesus estava pensando em Globalizar a Boa Nova, sendo essa a grande Missão da Sua Igreja, Católica, Apostólica, Romana. A Sua Igreja ser levada a todo o planeta Terra. Isto é  uma coisa boa.

Da mesma forma que Deus é Amor, a Globalização vinda de Deus é coisa boa.

Já a Globalização vinda do demónio, o inimigo de Deus, é coisa má.

Da mesma forma que Deus quer Globalizar o Bem, o Amor, a Paz, a Justiça e a Vida,

o inimigo de Deus, quer também Globalizar o mal, o ódio, a guerra, a injustiça e a morte.

Se quando analisamos a História, vemos diversos prismas de análise surgirem na sociedade civil e cientifista, todas elas a um nível meramente da matéria, constatamos que todas elas pecam por não incluírem a mais importante área da vida humana, que é a espiritual.

As análises materialistas, nunca conseguem, de uma forma compreensiva, explicar verdadeiramente o que ocorre e motiva as transformações sociais e culturais das nações e dos povos. Só a visão global da Doutrina da Igreja Católica, incluindo na sua análise ambas as porções da vida humana, a material e a espiritual, consegue chegar ao âmago das questões e dar verdadeiras explicações para as mutações históricas que se têm verificado e vão continuar a se verificar na sociedade contemporânea.

A verdadeira estratégia da Globalização Infernal tem bem presente o cariz espiritual das acções a desenvolver, só que as mantém encobertas, para não levantar suspeitas, e mais facilmente enganar a humanidade. Aliás, o verdadeiro e mais importante alvo da Globalização Infernal, é a parte espiritual do homem, que quer levar à perdição eterna. Para isso, escamoteia os argumentos e os seus objectivos, tentando dar-lhes uma feição falsamente humanista, e sugere falsas soluções para os problemas que ela própria cria.

É a incansável guerra do Mal contra o Bem, que se materializa na guerra da Globalização do Mal, na sua desesperada tentativa de aniquilar os efeitos da Globalização do Bem.

Já que a história da Globalização do Bem é a História da Igreja Católica, por demais conhecida, vou me limitar a abordar a Globalização Infernal, ou do Mal.

 

As várias globalizações infernais

Se olharmos atentamente para a História do Homem, vemos que a primeira Globalização começa com a ordem dada por Jesus Cristo aos Seus Apóstolos, para anunciarem a Boa Nova do Reino a todos os Povos. Face a esta iniciativa Divina, logo nos Conciliábulos infernais  

surge a iniciativa, por imitação, de desencadear uma acção diabólica a larga escala, mas de sentido contrário à de Deus. Os desígnios infernais são os de aniquilar a Evangelização Apostólica da Igreja de Jesus Cristo, e de proporcionar teses ideológicas e filosóficas, com aparência de humanistas, que sirvam de falsa justificação às suas investidas contra a humanidade.  Já sabemos que o prisma ou ângulo pelo qual olhamos para um objecto pode dar leituras intrinsecamente diferentes de um objecto, pois para nos apercebermos da sua forma real, temos de adoptar uma visão dinâmica e tridimensional, com um olhar atento, partindo de vários pontos de vista. Seguindo este raciocínio, e se quisermos entender a Globalização, devemos alargar o campo de análise para o maior número de pontos de vista possíveis, ou seja, devemos nos basear nos pontos de vista do Criador de todas as coisas - Deus. Se não adoptarmos este prisma de análise, chegaremos sempre a conclusões imperfeitas, incompletas e erróneas, pois teremos analisado uma realidade amputada da dimensão espiritual.

O tipo de análise e a explicação do fenómeno da Globalização, olhada do ponto de vista da Doutrina Divina e da Sua Igreja Católica, única Religião Verdadeira sobre a Terra, vai assim diferir, em espécie e em argumentos, das análises ditas mundanas, pois estas não integram a visão espiritual das questões.

Adoptando então um olhar global, material e espiritual, sobre a corrente da Globalização Infernal, vemos que ela divide a sua acção em três grandes áreas:

1 - Globalização ideológica do mal e do relativismo moral,

2 - Globalização económica, financeira e comercial, e

3 - Globalização da informação e das comunicações e transportes, com o recurso à tecnologia.

Sendo estes os campos de actuação material da globalização infernal, o seu objectivo, de uma forma encapotada, é profundamente espiritual. Sempre é negado e aniquilado o pendor espiritual das situações, mas é sempre ele o cerne dos seus ataques.

1 - Globalização ideológica do mal e do relativismo moral

O objectivo da Globalização ideológica do mal e do relativismo moral é difundir cada vez mais o mal, com aparências de bem, justificado pela moral progressista desta “Nova Era”   em que vivemos, do modernismo e o abandono das tradições obsoletas da moral que não queremos herdar dos nossos pais. A tese é de que paralelamente aos avanços da ciência e da técnica, temos também de adoptar cânones e princípios morais inovadores, que libertem o homem da opressão da moral cristã, que é antiga e não tem em conta a necessidade do exercício pleno das liberdades conquistadas com os progressos do conhecimento científico e tecnológico.

São propagadas novas teorias, contrárias aos ensinamentos Bíblicos e contidos na pregação de Jesus Cristo. A  isto se chama Apostasia, que tem por objectivo o da criação de um falso deus e de uma falsa Igreja. Estes progressistas querem subverter os Ensinamentos Divinos, fazendo crer que se tem uma cara nova e inovadora, progressista e actualizada.

Para as teorias desta Nova Era,   o pecado é coisa do passado, pois hoje em dia, essa coisa antiga, tem de ser olhada com novos olhos e à luz das transformações sociais e culturais que a humanidade conseguiu alcançar à custa do uso da razão e das descobertas científicas, levadas a cabo através do esforço dos movimentos do Feminismo, do Ecumenismo, do direito ao Aborto,   da Ideologia do Género,   do Espiritismo,    etc., etc..

 

2 - Globalização económica, financeira e comercial

A Globalização económica, financeira e comercial vem dar um novo fôlego à sede do dinheiro, e a todas as formas de o conseguir, endeusando-o e tornando-o o móbil de todos os desejos humanos. O dinheiro aparece como um  verdadeiro deus a alcançar, que se pretende atingir e conquistar, pois o homem há de ser medido, não por aquilo que é, mas sim por aquilo que tem.

A Globalização económica, comercial e financeira é controlada por corporações transnacionais de comércio e instituições bancárias, que não respondendo aos normais processos democráticos, ou aos governos nacionais onde se sediam, fazem surgir antagonistas dentro do próprio quadro meramente material, contra os seus mentores maçónicos. Estes opositores à Globalização, consideram que as tendências actuais no sentido da globalização não são nem historicamente inevitáveis nem desejáveis, pois a continuarem, conduzirão a consequências negativas, tais como o rápido declínio na capacidade de resposta das comunidades locais, dos povos indígenas, dos estados e até mesmo nações para controlarem o seu futuro, e tudo isto porque o poder de decisão é transferido para instituições transnacionais e globais sobre as  quais não têm qualquer poder de controlo. Assim sendo, os aspectos ambientalistas, ecológicos, desemprego locais, degradação das condições de trabalho e os próprios direitos humanos ficam à mercê de entidades para as quais nada significam. Assim, a partir da próprio desenvolvimento da actual sociedade global, desenvolvem-se no seu seio anticorpos, que de certa maneira impedem o seu desenvolvimento desordenado e aparentemente imparável.

O Forum Internacional sobre a Globalização, que aparece como defensora destes anticorpos, partilha muitos dos princípios do Grupo de Lisboa 1994.

Mas apesar da existência destes anticorpos, o avanço das políticas globalizantes têm sido avassaladoramente dominantes e basearam-se na criação de zonas de total liberdade económica, como são o exemplo da criação do Mercado Único entre os Estados Unidos e o Canadá, desde 1988, e do Mercado Único Europeu, desde 1993. É também nesta linha que se insere a assinatura de acordos de livre troca entre o Brasil e a Argentina, e a Austrália e a Nova Zelândia.

A defesa de uma e outra posição podem-se resumir a:

Os defensores da globalização afirmam que ela permite que os países pobres se desenvolvam economicamente, aumentando os seus padrões de vida.

Por outro lado, os opositores da globalização argumentam que a criação dum mercado livre sem restrições só tem beneficiado empresas multinacionais do mundo ocidental, em detrimento das empresas locais.

3 - Globalização da informação e das comunicações e transportes, com o recurso à tecnologia 

A Globalização das comunicações e transportes faz recurso a dois enormes Dons de Deus - a Ciência e a Tecnologia. As forças infernais pegam nestas duas gigantes provas do Amor Divino, alcançáveis pela Razão, e distorcem por completo o seu uso e benefícios. A Ciência e a Tecnologia são aproveitadas pelas forças infernais para desviar os grandes benefícios que podiam ser alcançados pelo homem, e usam-nas para o afastar cada vez mais de Deus.

Quem pode negar a benéfica beleza e as extraordinárias conquistas da Ciência e da Tecnologia nos nossos dias? Os carros, os aviões, os barcos, os telefones, os computadores, as televisões, o poder produtivo da indústria, a internet e todos os modos de viver, comunicar e viajar.

Mas os mesmos meios que proporcionam todas estas facilidades nas nossas vidas, são pervertidas pelas forças infernais, para em tudo nos afastar do recto caminho para Deus. Os carros são subvertidos de meios de transporte em meios de ostentação de endividamento das famílias e desastres em que são ceifadas milhares de vidas por dia. Os aviões são desviados do seu principal fim, de meio de transporte, e são transformados em máquinas devastadoras de ataque da guerra que se globalizou a nível planetário. Os barcos também são bestiais portadores de destruição nas constantes e disseminadas guerras através do globo. Os telefones, os computadores e as televisões são veículos dos piores vícios e desvarios morais. O poder produtivo da indústria vai alcançar os seus mais fantásticos lucros na produção de armas de destruição massiva, contribuindo para o disseminar das guerras, donde provêm lucros inimagináveis da indústria do armamento. A internet, meio extraordinário de comunicação, torna-se também veículo e propiciador dos maiores desmandos, pecados e crimes ao redor do globo terrestre. Todos os modos em geral de viver, comunicar e viajar são amplamente facilitadores da luxúria desbragada, consentida e publicitada.

Todos estes três meios de globalização, actuando cada um à sua maneira encapotada, são no entanto inteligentemente usados para atingirem três grandes objectivos:

A Religião Única Mundial, o Governo Único Mundial, e a Moeda Única Mundial, que analisarei um pouco mais adiante.

 

 

Os precursores da Globalização

Os precursores da Globalização do Bem são naturalmente os Apóstolos de Jesus Cristo, os Bispos, seus continuadores, e todo o povo de Deus em união com o Papa.

Portugal deu um grande impulsionamento à Globalização, em particular através dos Descobrimentos, levando com os Jesuítas a Fé Católica às Américas, a África e ao Extremo Oriente. Também no comércio, com a descoberta do Caminho Marítimo para a Índia, desenvolveu-o exponencialmente na Europa com o resto do mundo. O próprio Adam Smith, um dos expoentes máximos da economia, admitiu esta realidade da contribuição de Portugal para a expansão comercial mundial, sem se referir à parte espiritual, que sabemos nós, foi decisiva na Era dos Descobrimentos para levar a Religião Católica aos quatro cantos do Globo. No oriente, São Francisco Xavier, através do padroado português, chegava a baptizar 2000 almas por dia. Nas Américas, particularmente no Brasil do século XVII, notabilizou-se o Padre António Vieira, conhecido em algumas regiões como o Grande Padre (Paiaçu). E quanto ao nosso amado Santo António de Lisboa, ele é o Santo mais popular em todo o mundo.

Os precursores da Globalização do Mal são naturalmente os agentes inspirados, permitidos e fomentados pelas forças infernais e decorrentes das decisões tomadas nos seus Conciliábulos.

É a pirâmide do poder infernal a funcionar em pleno. Este poder infernal na Terra é exercido através da Maçonaria.

Resumindo este poder infernal e maçónico, temos no topo da Pirâmide Maçónica, o próprio Lúcifer, do qual manam as suas ordens, através da Cabala judaica, para os níveis inferiores que habitam Agartha, nomeadamente o Rei do Mundo, o Anticristo,  o Maitreya, os líderes da maçonaria invisível, que por sua vez comunicam e comandam as Lojas, as quais têm os maçons fantoches cujos nomes são conhecidos do povo, maçons estes que vivem no aproveitamento das migalhas que lhes são distribuídas através das negociatas dos Partidos Políticos. Lojas e Partidos, ambos são subsidiados e recompensados secretamente pelo mundo da alta finança mundial.

O ódio que os judeus nutriam por Jesus, se perpetua no ódio que a Maçonaria nutre pela Igreja de Cristo. E da mesma forma que os Judeus mataram Jesus, o principal objectivo da Maçonaria é o de destruir a Igreja Católica. Esse ódio é transmitido dos judeus contemporâneos de Jesus para os seus descendentes cabalistas, e é gerado pelo afastamento de Deus do Judaísmo, e fomentado e inspirado pelo próprio Lúcifer.

Pelo que conhecemos, hoje em dia, da Maçonaria, e interpretando correctamente a Roda Maçónica, vemos que no seu centro e no topo do poder se encontram as letras “L.T.” que segundo a interpretação revelada no artigo da Revista Le Sourire de Marie, significam -  Luci(fer)s Trust, e que habitam num local escondido do mundo, Agartha.

 Agartha é o Centro subterrâneo da Maçonaria Mundial, conhecido só nos meios restritos dos altos iniciados de cada época histórica, que fazem por merecer tomar o seu conhecimento. É em Agartha que vive a autoridade espiritual mundial secreta, uma Sinarquia, que controla todos os poderes ocultistas mundiais. No topo desta Sinarquia encontra-se o Rei do Mundo, de que falou o gnóstico maçon René Guénon no seu livro “O Rei do Mundo”, o legislador primordial, universal, cujo lugar tenente é o “Instrutor Mundial”, normalmente designado por Maitreya.

Segundo Serge Hutin, historiador da maçonaria e membro AMORC (Fraternidade dos Rosa Cruz) ele aponta para uma localização possível de Agartha, algures no Tibete ou Índia “sob a montanha mais alta do mundo”.

Assim sendo, é impossível deixar de relacionar este centro subterrâneo da Maçonaria com a localização do Inferno no centro da Terra, e com os recentes terramotos nos Himalaias, ocorridos em Maio de 2015.

Roda Maçónica - Organização interna da Maçonaria

Para ler sobre a chave de interpretação desta Roda Maçónica, ler o seguinte artigo:

Le Sourire de Marie nº 286  

Os grande precursores dos três ramos da globalização infernal, são pois os maçons de todo o mundo, que no segredo da maçonaria negra e invisível aos olhos da sociedade civil, no secretismo das lojas escondidas da maçonaria internacional, é comandada pelo Anticristo, que já se encontra em acção há longos anos e tem a sua sede visível na ONU.

Os vários departamentos da ONU já existentes já se orientam no sentido de não permitirem a utilização dos princípios éticos das Instituições judaico cristãs, mas sim os princípios de uma Nova Ética Global, como é o caso da OMS - Organização Mundial da Saúde, em que são defendidos os princípios do controlo da natalidade, defesa do aborto e da eutanásia, como formas de expressão da liberdade humana de escolha.

Estes três ramos da Globalização Infernal trabalham dissimuladamente em conjunto para propiciar a acção do, desde sempre profetizado, Messias dos Judeus, que para os Católicos e desde os tempos Apostólicos, foi denominado de Anticristo, que emergindo, muito em breve, de uma terrível crise mundial, e ostentando as vestes de humanista, se declarará como o grande Mestre da humanidade, intitular-se-á como o próprio deus que desceu à Terra para salvar a humanidade.

É este homem poderoso, revestido de todo o poder de satanás, que liderará o Governo Único Mundial e instituirá a Religião Única Mundial., tudo integrado numa chamada Nova Ordem Mundial.

Esta Nova Ordem Mundial foi ampla e profundamente analisada, e documentada, pelo Monsenhor Claudio Sanahuja na sua obra: "Poder Global e Religião Universal".

O Padre Paulo Ricardo pegou nesta obra do Monsenhor Claudio Sanahuja e deu duas Aulas sobre este tema da Nova Ordem Mundial:

Aula 22 de 13 de Agosto de 2012 e

Aula 23 de 20 de Agosto de 2012.

Para contrariar este grave problema da manipulação levada a cabo pela Globalização Infernal, com a sua bem sucedida tentativa de instaurar a Nova Ordem Mundial, a solução é a de ser verdadeiramente Cristão e fiéis a Jesus Cristo.

 

 Os objectivos e estratagemas da Globalização

À luz do dia e para conhecimento generalizado da população mundial, os objectivos da globalização são aparentemente inócuos e limitam-se à esfera da vida dos povos. Dizem os maçons que os seus objectivos são de cariz humanitário e visam atingir o bem estar dos homens, a concórdia, o desenvolvimento sustentável, blá blá bla… Estes são os pequenos objectivos da Globalização. Mas para além destes objectivos enganosos, temos os grandes objectivos da globalização.

Os grandes Objectivos da Globalização

1º - Levar à condenação eterna, para o inferno, o maior número de almas.

2º - Atacar a Santidade de Deus, dos Anjos e dos Santos, fazendo com que o anticristo seja adorado como sendo o próprio deus.

3º - Abolir a Sagrada Eucaristia, que será o seu principal feito, e que o anticristo conseguirá, infiltrando-se até o topo da hierarquia da Igreja Católica, e reunindo um Concílio Ecuménico rebelde, segundo sugeriu Soloviev

■4º - Destronar Jesus Cristo e sentar o anticristo no Seu Trono.

5º - Destruir a Igreja Católica, muito particularmente infiltrando membros da maçonaria dentro da Igreja Católica, que passam a constituir a chamada maçonaria eclesiástica. Para este fim criou o Master Plan.

Os grandes Estratagemas da Globalização e a Nova Ordem Mundial

Toda a Globalização Infernal tem por objectivo principal, e transitório, facilitar e colocar o controlo do mundo nas mãos do Anticristo, de uma forma global e eficiente.

Para atingir estes cinco grande objectivos descritos acima, serve-se de três estratagemas bem dissimulados, que visam estabelecer, em última análise, através do seu mestre e senhor, o anticristo, três grandes e avassaladoras realidades ou instituições:

O Governo Único Mundial

A Religião Única Mundial

A Moeda Única Mundial

Será através destes três grandes estratagemas da Globalização que será atingida a Nova Ordem Mundial, a New World Order, já propagandeada e desejada por muitos líderes mundiais da actualidade.  

 

O Governo Único Mundial e a ONU

ONUOrganização das Nações Unidas, conhecida pela sigla em inglês UNO, foi criada em substituição da Liga das Nações, a 24 de Outubro de 1945, após o fim da Segunda Guerra Mundial, com a intenção de impedir outro conflito global. Foram 51 estados fundadores, mas hoje já são 193. A sua emergência ser precisamente a seguir a uma enorme e terrível crise mundial e a meio do período dos 100 anos concedidos ao diabo para destruir a Igreja, tal como na Visão do Papa Leão XIII, é significativa.

Este período de 100 anos concedidos ao demónio teve início em 1917. Faltavam pouco mais de 70 anos para conclusão da sua ameaça. Agora faltava concluir os seus desígnios e que tanto sangue já tinha custado à humanidade com as duas Guerra mundiais. Mas a ONU não pôs os seus louros a render só no sentido de atingir o seu  grande objectivo. De caminho foi deixando um rasto de pecado, destruição e morte, sempre oculto e maquilhado, através das suas políticas de controle da natalidade, campanhas pró aborto e incentivos a uma política da morte. Mesmo nas suas ramificações com face mais humanista, sempre lá está presente a patorra de satanás, fomentando tudo o que se opõe à Doutrina da Igreja Católica e favorecendo o serviço ao seu deus - o dinheiro . Assim agindo, dá passos em frente no ataque para a neutralização da Igreja Católica, mais concretamente, através do Master Plan.

Foi planeado que seria através da ONU que se havia de concretizar a instauração do Governo Único Mundial, sediado na capital do país mais poderoso do mundo - os EUA.

Quando o pico da crise mundial for atingido e a Terceira Guerra Mundial estalar, no meio desse turbilhão imenso que a humanidade há-de atravessar, surgirá como falso salvador da humanidade aquele que se há-de denominar O Cristo (que significa messias ou ungido), mas sabemos, nós os Católicos, que será o Anticristo. Ele será naturalmente aceite na condução e chefia da ONU, por todos os governos maçónicos do mundo, e de lá proclamará o Governo Único Mundial.

A Religião Única Mundial e a ONU

O Anticristo defenderá uma verdade iniludível, e que é a da origem das guerras residir essencialmente nas divergências religiosas. Por isso, criará uma Religião Única Mundial, que constará da amálgama de todas as “religiões” leia-se “falsas religiões com os seus falsos deuses”, fazendo com que desapareçam essa mesmas divergências. A lógica é perfeita.

No entanto, verdadeira Religião há só uma - A Católica. Todas as outras ditas “religiões”, na verdade, são falsas religiões. A Religião Católica é a única que adora o único e Verdadeiro Deus, a Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo. Todas as outras “religiões” adoram o outro deus, o dinheiro e os ídolos a ele erigidos. Por isso, Jesus já nos advertira: “Não poderás servir a dois senhores - a Deus e ao dinheiro” (Mateus 6,24,  consoante a tradução aparece Mamon, riquezas ou dinheiro).

Naquele tempo que se avizinha rapidamente, coisas terríveis terão já acontecido. Ter-se-á desencadeado a Terceira Guerra Mundial. Com a abolição da Eucaristia, se bem que as forças infernais estarão coarctadas na sua acção, as forças do anticristo andarão à solta e na sua máxima potência, e a humanidade estará sem protecção, pois as Graças não descerão do Céu. No meio da maior confusão, catástrofes, epidemias, guerra, fome, crise a todos os níveis, o anticristo conglomerará à sua volta os dirigentes mais poderosos do mundo, a ONU, e conseguirá uma paz mundial. Mas será uma falsa paz, porque não se baseará no Amor Divino e Verdadeiro, porque não provirá da Paz nos Corações, porque não provirá de Deus, o Rei da Paz! O anticristo através da ONU instituirá, então, a Religião Única Mundial, alegando que as divergências que conduziram à guerra foram de cariz religioso. É fácil compreender este modus operandi, pois todos os membros da ONU são ou maçons ou maçónicos. Têm de estar fidelizados de alguma maneira à maçonaria, porque de contrário, nunca teriam tido acesso aos cargos que ocupam.

Segundo o que escreveu com clarividência o Papa Pio X, esta Religião Única Mundial terá as seguintes características:

Carta Apostólica de 25 de Agosto de 1910 de São Pio X

Vídeo 7:10 “36. E agora, penetrado da mais viva tristeza, perguntamo-nos, Veneráveis Irmãos, onde foi parar o catolicismo do Sillon. Ah! Ele, que dava outrora tão belas esperanças esta torrente límpida e impetuosa foi captada em sua marcha pelos inimigos modernos da Igreja, e agora já não é mais do que um miserável afluente do grande movimento de apostasia organizada, em todos os países, para o estabelecimento de uma Igreja universal que não terá nem dogmas, nem hierarquia, nem regra para o espírito nem freio para as paixões, sob o pretexto da liberdade e de dignidade humana, restauraria no mundo, se pudesse triunfar, o reino legal da fraude e da violência, e a opressão dos fracos, daqueles que sofrem e que trabalham.”  

Nesta etapa, o anticristo fará grandes prodígios para enganar os homens e levá-los a crer que é o próprio deus. Será instituído um período de festejos e folias desgarradas e que farão com que muitos andem num descontrolo total.

Prodígios do anticristo

Entretanto a marca da Besta (que não é o chip) terá sido imposta em muitos, na mão e na fronte, e perante a falsa paz do anticristo, ele será aclamado por muitos como o salvador, como o “cristo” tão esperado pelas falsas religiões, incluindo o Judaísmo.                                    Esta será uma fase de terríveis trevas e de pecado, sem igual em toda a Terra.

A vinda do anticristo será, segundo alguns exegetas, principalmente permitida por Deus, para castigar a incredulidade do povo judeu, por eles não terem acreditado no verdadeiro Jesus Cristo, Salvador da humanidade. Os Judeus serão os primeiros a acreditar que o anticristo será o verdadeiro cristo, o salvador que eles há tanto tempo aguardam. Mesmo sendo ténue o conhecimento que temos da mentalidade do povo judeu, é fácil de aceitar que eles não seguiriam nem acreditariam em ninguém que não fosse judeu. Mas, depois, de assistirem a toda a crueldade e perseguições movidas pelo anticristo, após o Milagre de Garabandal, e o assassinato do Papa, provavelmente na Terra Santa, converter-se-ão finalmente.

Conversão dos judeus

A imposição da Religião Única Mundial é o maior de todos os objectivos do anticristo, mas também o menos falado, pois ele, agindo sempre na sombra e às escondidas, não quer levantar suspeitas dos seus verdadeiros desígnios. Este é o seu grande objectivo, pois que com ele conseguirá reduzir a maior força da Religião Católica. Com esse seu grande objectivo, conseguirá abolir oficialmente a Eucaristia, aquilo  que mais o horroriza e coloca entraves para ser adorado como o deus descido à Terra. Abolindo oficialmente a Eucaristia, alcançará o seu maior triunfo, mas será só por um curto espaço de tempo.

A Moeda Única Mundial e a ONU

Se para o comércio mundial e para o mercado de câmbios vemos no panorama dos cerca de 193 países existentes no mundo, sobressaírem 3 grandes moedas, o Dollar, o Euro e o Yen, vemos facilmente que o caminho tem sido o de reduzir, de há meio século para cá, o número de moedas existentes.

Surge assim com naturalidade, após a grave crise que se há-de desencadear nos mercados financeiros a curto prazo, que o próximo passo seja o de reduzir para uma Moeda Única Mundial.

Será desta crise financeira que emergirá o anticristo, que para além de estabelecer um Governo Único Mundial, estabelecerá, com os argumentos de eliminar a parafernália das taxas cambiais e desequilíbrios nos mercados, bláblablá, a Moeda Única Mundial. Tudo isto através da ONU, da qual o anticristo terá o domínio absoluto.

A esta Moeda Única Mundial, que será meramente electrónica, está associada a antiga profecia do Apocalipse sobre quem poderá comprar e vender nos tempos do fim.

Apocalipse 13,16-18

16 Conseguiu que todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, tivessem um sinal na mão direita e na fronte,

17 e que ninguém pudesse comprar ou vender, se não fosse marcado com o nome da Besta, ou o número do seu nome.

18 Eis aqui a sabedoria! Quem tiver inteligência, calcule o número da Besta, porque é número de um homem, e esse número é seiscentos e sessenta e seis.

Para mim é bastante claro que, nos tempos longínquos em que São João Evangelista escreveu o Apocalipse, esta seria uma fórmula perfeita de aludir e avisar as pessoas de tempos futuros para estarem alerta, para o tempo em que ninguém pudesse comprar ou vender se não tiver um cartão na mão direita e memorizado o código para o utilizar. Cartão de banda magnética ou com chip é indiferente e a mesmíssima coisa. O facto de o utilizar não tem nada a ver com a salvação eterna, como erradamente, gente ignorante, anda por aí a assustar, sobre a implantação do chip nas pessoas.

A imagem que São João usou, também tem outro significado para o Sinal com que a Besta marcará espiritualmente aqueles que são os seus seguidores, tal como Nossa Senhora explicou nas Mensagens ao Padre Gobbi. Assim, esta passagem do Apocalipse tem pelo menos dois significados:

1º - Advertir materialmente para os tempos do dinheiro electrónico da Moeda Única Mundial, numa primeira linguagem.

2º - Advertir para o perigo da Besta marcar espiritualmente os seus seguidores, numa segunda linguagem.  

 

Algumas fontes de sacerdotes da Igreja Católica

Padre Duarte Sousa Lara - Português                    

Padre Juan Claudio Sanahuja - Argentino              

Padre Manuel  Guerra Gómez - Espanhol               

Padre Michel Schooyans - Belga                             

Padre Paolo Maria Siano - Italiano                           

                                                   

Testemunho de quem viveu em seitas secretas e agora as denuncia:

 

Maurice Caillet -  Francês                 

Alberto Bárcena - Espanhol              

 

 A relação da Globalização com o anticristo

Já vimos que há essencialmente duas grandes Globalizações - A Globalização do Bem e a Globalização do Mal.

A Globalização do Mal é indissociável do Anticristo, pois é ele quem a fomenta e dela necessita para controlar o mundo e instituir o Governo Único e a Religião Única e a Moeda Única Mundiais.

Aos ateus e a quem não tem em conta os aspectos espirituais da vida humana, pode passar despercebida esta acção do anticristo, pois não acreditando em Deus, ainda mais dificilmente acreditará no demónio, e no seu enviado - o anticristo.

É o anticristo que está por detrás de todas as acções conducentes à estruturação e ao fortalecimento da Globalização ideológica do mal e do relativismo moral, da Globalização económica, financeira e comercial, bem como da Globalização da informação, das comunicações e transportes.

Sem estes três grandes ramos da Globalização seria impossível ao anticristo dominar o mundo, como o vai fazer durante um curto espaço de tempo, cerca de três anos e meio.

 

 A Globalização nas Sagradas Escrituras

No Texto Sagrado da Bíblia, há pelo menos duas alusões à Globalização, e foi Jesus Cristo que falou delas.

Mateus 24,6-13

6 Quando ouvirdes falar de guerras, próximas ou longínquas, não tenhais medo: é necessário que isso aconteça.

7 Os povos combaterão um contra o outro, um reino contra outro reino. Haverá fome e terramotos em muitas regiões. 8 Tudo isso será apenas o início de sofrimentos maiores. …

12 A iniquidade será tão difundida que o amor de muitos esfriará. 13 Mas Deus salvará aquele que resistir até o fim.

Marcos 16,15

15 E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura.

 

É após esta ordem “Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura”, dada por Jesus Cristo aos seus discípulos, que se segue por imitação, da parte do macaqueador de Deus, o demónio, a Globalização do Mal, mas com um sentido oposto.

 

 A Globalização nas Revelações Privadas

Há muitas referências nas Revelações Privadas sobre o anticristo., que já apresentei no dossier sobre ele, por isso só vou agora apresentar algumas mais significativas sobre a Apostasia, que é precisamente a divulgação de uma falsa doutrina, à qual está intimamente associada a Globalização do Mal.

A Globalização da apostasia nas Mensagens ao Padre Gobbi

408 Padre Gobbi 17 de Junho de 1989  

… A apostasia será então generalizada porque quase todos seguirão o falso Cristo e a falsa Igreja.

Então, será aberta a porta para o aparecimento do homem ou da própria pessoa do anticristo!

 

450 Padre Gobbi 13 de Maio de 1991

… Quando este Papa tiver cumprido a missão que Jesus lhe confiou e Eu descer do Céu para acolher o seu sacrifício, todos sereis envoltos por uma densa treva da apostasia, que terá se tornado então generalizada.

 

479  Padre Gobbi 2 de Outubro de 1992  

… Todos os demónios e espíritos dos condenados que nestes anos se espalharam em toda parte do mundo, para a ruína e condenação das almas, serão precipitados no inferno, de onde saíram, e não mais poderão causar dano.

 

486 Padre Gobbi 31 de Dezembro de 1992

… O segundo sinal é o estourar de guerras e de lutas fratricidas, que levam ao predomínio da violência e do ódio e a um esfriamento geral da caridade, enquanto são sempre mais frequentes as catástrofes naturais, como epidemia, fomes, inundações e terramotos.

"Quando ouvirdes falar de guerras, próximas ou longínquas, não tenhais medo: é necessário que isso aconteça.

Os povos combaterão um contra o outro, um reino contra outro reino. Haverá fome e terramotos em muitas regiões. Tudo isso será apenas o início de sofrimentos maiores.

A iniquidade será tão difundida que o amor de muitos esfriará. Mas Deus salvará aquele que resistir até o fim." (Mt 24, 6-12)

 

605  Padre Gobbi 31 de Dezembro de 1997  

… A fim de dar o Meu auxílio materno e um seguro refúgio à Igreja que, neste vosso tempo, sofre e é crucificada, suscitei o Movimento Sacerdotal Mariano e espalhei-o em todas as partes do mundo, pelo Meu Livro, que vos indica a rota que deveis percorrer para espalhardes a Minha Luz.

 

 

 Conclusões

1ª - Quando se fala de Globalização, devemos portanto ter bem presente que não é tudo areia do mesmo saco, pois se a Globalização do Bem é uma Missão dada todo o Católico pela própria boca de Jesus Cristo, a Globalização do Mal é um tremendo ataque vindo do inimigo número um da humanidade e que põe sérios riscos à Salvação Eterna das Almas.

2ª - A Globalização do Mal nasce nos Conciliábulos infernais, nos primórdios do Cristianismo, depois da ordem dada por Jesus Cristo aos seus Discípulos para pregarem, a todo o mundo, a Boa Nova do Reino.

3ª - A maioria dos chefes de estado no mundo defendem a Nova Ordem Mundial, pois são, quase todos, joguetes mandados e movidos pelos tentáculos da maçonaria.

4ª - Temos de nos opor firmemente à Nova Ordem Mundial, não com petições e manifestações, mas com uma vida Cristã exemplar e através da Poderosa Arma do Santo Rosário, levantando assim uma inabalável barreira contra o avanço infernal das políticas anticrísticas da ONU, nas nossas vidas, nas nossas famílias e nos nossos países.

5ª - Temos de estar alerta contra a propaganda dos precursores do anticristo, que anunciarão o seu surgimento, para podermos resistir às suas seduções e desmascarar os seus falsos milagres.

6ª - Agradeçamos e demos Graças a Deus pela Globalização, da Ciência, da Tecnologia e pela expansão da Caridade ao serviço do Bem,

e busquemos Refúgio Seguro no Imaculado Coração de Maria para nos protegermos da Globalização do Mal, sendo verdadeiramente Cristãos e fiéis à Doutrina de Jesus Cristo e da Sua Igreja Católica.

 

7ª - Alertemos, sem fadiga, para o Mal que se está para abater sobre a humanidade e saibamos dar o nosso testemunho incansável de uma vida Cristã, com recurso aos Sacramentos e à Oração do Santo Rosário.

A Virgem Maria, Senhora de Todos os Povos, é a Rainha Vitoriosa da batalha contra o dragão infernal, e Ela tem

de  contar  com o Exército Terrestre de Maria, para levantar bem alto os seus estandartes, o Rosário numa mão e a Cruz na outra!

 

http://www.amen-etm.org/Globalizacao.htm