Senhora de Todos os Povos

Aparições e Mensagens a Ida Peerdeman

 

Download Pdf da Imagem e Oração

Download Pdf da Imagem p/ Telemóvel

 

 

BÊNÇÃO ESPECIAL  

 

As 8 Grandes Aparições de Nossa Senhora

Aparição

Guadalupe

Aparição

Rue du Bac

Aparição

La Salette

4ª Aparição

Lourdes

5ª Aparição

Fátima

Aparição

Garabandal

Aparição

Zeitoun

Aparição

Medjugorje

 

ÍNDICE

Relato das Aparições

     Principais Objectivos

     Notas Históricas

Pedidos da Virgem Maria

      Explicação da Imagem da Senhora de Todos os Povos

      Oração da Senhora de Todos os Povos

Mini Resumo das Mensagens

 Algumas Profecias cumpridas 

Conclusão

 

 

Relato das Aparições  

 

Nome da Aparição: Senhora de Todos os Povos               Cidade: Amesterdão                       País: Holanda

Nome da vidente: Ida Peerdeman (Isje Johanna Peerdeman)  

 

  

Ida Peerdeman

        

Data de nascimento: 13 de Agosto de 1905, em Alkmaar          Data da morte: 17 de Junho de 1996

Idade à data da 1ª Aparição:  39 anos                                             Estado civil: Solteira             

Tipo de Fenómeno: Aparições + Mensagens + Pedidos

Número de Aparições: 207 Aparições e cerca de 56 Mensagens

Quem visita a vidente: Virgem Maria, Senhora de Todos os Povos

Início dos fenómenos: 25 de Março de 1945, Festa da Encarnação do Verbo e coincidente com o Domingo de Ramos em 1945.

Fim dos fenómenos: 31 de Maio de 1959 

Estado do Processo Canónico: Aprovadas pelo seu Bispo em 2002. Placet do Vaticano em 2005. O Padre Dominicano Frehe foi o seu Director Espiritual.

A evolução da Posição da Igreja sobre as Aparições a Ida Peerdeman:

Em 7 de Maio de 1956, o Bispo Católico de Haarlem, Johannes Huibers, emitiu um veredicto de "Nenhuma evidência da natureza sobrenatural das aparições" e veneração pública proibida. Esta decisão foi reiterada no ano seguinte, com a aprovação do Santo Ofício em 13 de Março, 1957.

Em 24 de Maio de 1972, a Congregação para a Doutrina da Fé, (anteriormente conhecida como o Santo Ofício) respondendo a uma carta do Bispo, reafirmou sua decisão.

Em 25 de Maio, 1974, após nova avaliação, a Congregação para a Doutrina da Fé afirmou a sua decisão anterior, e convidou os fiéis a suspender todas as formas de propaganda que diz respeito a estas alegadas aparições e revelações. Além disso, a Sagrada Congregação encorajou os fiéis a expressar a sua devoção à Virgem Maria como Rainha do mundo, ou Rainho do Céu e da Terra, ou Rainha de todas as coisas criadas, como ensinado em 11 de Outubro de 1954 na Carta Encíclica Ad Caeli Reginam, do Papa Pio XII.

Em 31 de Maio 1996, o Bispo de Haarlem, Dom Henry Bomers reservou a decisão sobre as aparições, mas não encontrou nenhuma falha ao invocar a Virgem Maria sob o título de "Senhora de Todas os Povos".

O seu Bispo Dom Henrik Bonners, esteve presente na Missa de Corpo Presente, e disse:

 “Ida Peerdeman era, e permaneceu até a morte, uma senhora completamente sóbria, e teve sempre grande relutância na glorificação de si própria. Ela era absolutamente sincera, e disse a verdade sobre tudo aquilo que ouviu”.

Em 31 de Maio de 2002: o Bispo Dom Joseph Punt aprovou as Aparições, sucessor de Dom Bomers, acabou por reconhecer a sua origem sobrenatural, e criou uma comissão para documentar todas as experiências e testemunhos.

Em 2 de Julho de 2005, a Congregação para a Doutrina da Fé pede "que as palavras «que antes foi Maria» sejam deixados de fora da oração da Senhora de todos os Povos, em consideração daqueles que não entendam essa frase. O final da oração deve agora dizer: «Que a Senhora de Todas os Povos, a Santíssima Virgem Maria, seja a nossa Advogada. Amen.» (Carta de Dezembro de 2006) Desta forma o Vaticano dá o seu Placet à Devoção da Senhora de Todos os Povos.

Também o Cardeal Ratzinger afirmou que não via nenhum impedimento teológico para que se definisse o Dogma de “Corredentora, Medianeira e Advogada”.

Em Setembro de 2008, Charles Scicluna, Promotor de Justiça da Congregação para a Doutrina da Fé, dirigindo-se ao 22º Congresso Mariológico em Lourdes, França, ainda estrebucha, mas não procede.

 

Sites e Locais Oficiais:

                                    http://www.de-vrouwe.info/de/ida-und-die-botschaften-erscheinung

                                    http://www.motherofallpeoples.com/author/ida-peerdeman/

Capela da Senhora de todos os Povos

Diepenbrockstraat 3 NL-1077 VX Amsterdam     Coordenadas GPS:  52.344704°  4.883463°

Fax: +31 (0)20-471 13 33 Tel. +31 (0)20-662 05 04

info@de-vrouwe.info

Capela da Senhora de todos os Povos em Amesterdão

 

Interior da Capela da Senhora de todos os Povos em Amesterdão

 

 

Principais Objectivos:

O grande objectivo da Senhora de Todos os Povos foi o de dar a Paz, a dois níveis distintos:

Dar a Paz a nível mundial - Tarefa para o Papa

Para dar a Paz ao mundo, veio pedir a aprovação do Dogma de que a Virgem Maria é a “Corredentora, Medianeira e Advogada” da Humanidade.

n  Dar a Paz a nível pessoal e familiar, mas também Graça e Redenção - Tarefa para os leigos

Para dar Graça, Redenção e Paz a cada um de nós, veio pedir que rezemos diariamente a Oração da Senhora de Todos os Povos, em frente de um Crucifixo ou da Sua Imagem: (Esta é a versão original dada por Nossa Senhora antes do pedido da Congregação da Doutrina da Fé.)

Senhor Jesus Cristo,

Filho do Pai, enviai agora à Terra

O Vosso Espírito. Fazei que o Espírito

Santo habite nos corações de todos

os povos, para que sejam preservados da

decadência, das calamidades e da guerra.

Que a Senhora de todos os Povos,

que antes era Maria,

seja a nossa Advogada. Amen.

Em Julho de 2005, a Congregação para a Doutrina da Fé pediu que "que antes era Maria" deva ser deixado fora da Oração dada pela Senhora de Todos os Povos, em consideração daqueles que não entendam essa frase. O final apropriado para a Oração deverá ser agora:

"Que a Senhora de Todos os Povos, a Santíssima Virgem Maria, seja a nossa advogada. Amen."

Caberá a cada um de nós rezar esta Oração, tal como a Virgem Maria, Senhora de todos os Povos a deu, ou como a Igreja o sugeriu em 2005, através da Congregação da Doutrina da Fé, aliás, petição de imediato aceite pelos responsáveis desta Devoção.

 

Notas Históricas:

Tudo começou a 13 de Outubro de 1917. Nessa memorável tarde de Sábado do mês do Rosário, o dia do Milagre do Sol em Fátima, voltando para casa depois da confissão, Ida, na altura com 12 anos, teve uma Aparição celeste.

Descendo a rua, imersa numa luz extraordinária, ela viu uma Senhora de beleza deslumbrante, com um olhar benevolente e alegre. Sem dizer uma palavra, tendo os seus braços ligeiramente abertos. Ida nunca vira algo tão bonito. Identificou-A imediatamente como sendo a Virgem Maria. Logo que a Aparição lhe fez um aceno amigável, ela correu para casa.

Na altura, não entendeu minimamente a relação e o porquê daquela Aparição silenciosa da Virgem Maria. Só muito mais tarde veio a perceber o porquê da Aparição ter sido precisamente no mesmo dia do Milagre do Sol em Fátima. A Missão de Ida estava a ser preparada, mas só 28 anos depois tiveram propriamente início.

As Aparições com Mensagens só começaram em 1945, ano da conclusão da Segunda Grande Guerra Mundial. A Senhora de todos os Povos vem dar uma segunda e derradeira oportunidade à humanidade para obter a Paz, já que não fora feito o que Ela pedira em Fátima em 1917, para evitar a Segunda Grande Guerra, a Consagração da Rússia ao Seu Imaculado Coração.

Ela estava à volta do forno com suas irmãs e um amigo da família, Padre Frehe, em 25 de Março de 1945, conversando sobre a guerra e as possibilidades para o futuro, quando vê a Virgem Maria, que lhe fala da Oração como se ela já fosse conhecida. No entanto, só a 11 de Fevereiro de 1951, Festa de Nossa Senhora de Lourdes, numa visita à Alemanha, é que Ida ouve a Oração da boca de Nossa Senhora. A presença de um sacerdote certamente não foi coincidência.

O significado universal desta Oração para a Igreja e para o mundo é demonstrado pelo facto de Nossa Senhora a ter revelado durante uma visão profética do Concílio Vaticano II. De repente, a visão do Concílio Vaticano II foi interrompida e Ida foi levada para diante de um Crucifixo, e unida tão dolorosamente com os sofrimentos de Jesus e da Virgem Maria, que começou a chorar.

Ida descreveu estes momentos da seguinte maneira:

"Enquanto eu ainda estava de pé com a Senhora diante da Cruz, Ela disse:

«Repete depois de Mim:

«Senhor Jesus Cristo, Filho do Pai...»

Mas da forma que Ela disse aquilo! Trespassou-me. Eu ainda não ouvi ninguém no mundo rezá-la como Ela o fez.

«enviai agora à Terra o Vosso Espírito. »,

com a ênfase no «agora», e

«Fazei que o Espírito Santo habite nos corações de todos os povos, para que sejam preservados da decadência, das calamidades e da guerra. Que a Senhora de todos os Povos, que antes era Maria, seja a nossa Advogada. Amen»,

especialmente enfatizando a palavra «todos». Ela também pronunciou a palavra «Amen» de forma lindíssima e solene.

À medida que eu repetia tudo, palavra por palavra, não sabia o que tudo aquilo que Ela estava recitando para mim era realmente suposto ser. No entanto, quando a Senhora disse «Amen» tudo estava escrito em grandes letras diante de mim. Só então me dei conta de que era uma Oração.

O estranho é que... eu nunca tive que a aprender de cor... foi como se tivesse ficado gravada na minha memória.”

As primeiras 25 mensagens, entre 1945 e 1950, são avisos apocalípticos típicos contra o comunismo, ateísmo, e modernidade. Logo após a promulgação, em 1950, do Dogma da Assunção da Virgem Maria, as mensagens mudaram.

A Senhora de todo os Povos pediu também a definição de um quinto e último dos Dogmas Marianos de Corredentora, Medianeira e Advogada, e citou os quatro Dogmas anteriores:

n Imaculada Conceição em Ineffabilis Deus em 8 de Dezembro de 1854   Ineffabilis Deus

n Virgindade perpétua em Segundo Concílio de Constantinopla

n Mãe de Deus em Primeiro Concílio de Éfeso

n Assunção em Corpo e Alma em Munificentissimus Deus em 1 de Novembro de 1950

A Senhora de Todos os Povos pediu que fosse feita uma imagem Sua, e distribuída por todo o mundo.

Em seis das Suas Mensagens Ela descreve, com detalhe, a Sua Imagem, como veremos adiante.

Foi após o 11 de Setembro de 2001 e a após a destruição das Torres Gémeas do World Trade Center, num atentado terrorista totalmente inesperado, o que marcou o início da guerra do Iraque, capelães militares distribuíram, em poucos dias, 50.000 imagens com a Oração da Senhora de Todos os Povos, aos soldados americanos de todas as forças armadas, católicos ou não. E todos afirmaram: «É precisamente do que precisamos! Para nos preservar da decadência, das calamidades e da guerra!» E foi assim, que a Oração de Amesterdão se tornou conhecida nos Estados Unidos como “A Oração de Nossa Senhora para a paz” ou “A Oração da paz de Nossa Senhora”.

O Padre Mandato, da Marinha Americana, pediu que lhe enviassem directamente ao navio de guerra “USS Bataan” 2.000 imagens com a Oração. Na base aérea de Charleston na Carolina do Sul, o capelão militar Carlson fez com que todas as tropas, um batalhão presente no Texas, recebessem 3.000 imagens com a oração, pouco antes de partir para o Iraque. Dessa forma, somente nos Estados Unidos, em três meses, foram distribuídas 250.000 imagens.

Na EWTN, a maior emissora de televisão católica do mundo, a oração de Amesterdão era transmitida de hora a hora.


 Pedidos da Virgem Maria  

A Senhora de Todos os Povos pediu que fosse feita uma Sua Imagem, e distribuída por todo o mundo.

Com ela, devia constar a Oração que ditou a Ida, para que fosse rezada diariamente, em frente de um Crucifixo ou desta Imagem, para que se obtenha Graça, Redenção e Paz.

A pintura foi feita em 1951 pelo artista alemão Heinrich Repke, sob direcção da vidente.

Imagem da Senhora de Todos os Povos, pintada por Heinrich Repke em 1951, sob direcção de Ida

 Explicação da Imagem

Nesta Imagem, em que a Virgem Maria aparece triplamente como Corredentora, foi explicada da seguinte maneira:

n Irradiada pela Luz Divina, Ela está diante da Cruz do Filho, à qual está inseparavelmente unida.

n Uma faixa em torno dos quadris, "Ouve com atenção o que significa: É como o pano em volta das ancas do Filho. Eu sou a Senhora diante da Cruz do Filho." (15/4/1951)

n As Suas mãos têm feridas que emitem raios. A Virgem Maria manifestou desta forma o sofrimento físico e espiritual que suportou juntamente com o Seu Divino Filho para a Redenção do mundo.

A Senhora volve o seu olhar novamente para as mãos e parece a Medianeira de todas as Graças. "Vê as Minhas mãos e descrever o que vês."

No centro das mãos, Ida, vê como uma ferida, a partir da qual surgem três raios que irradiam sobre as ovelhas. A Senhora sorri e diz: "Estes são três raios, os raios da Graça, Redenção e Paz." (31/5/1951) Graça do Pai, Redenção do Filho, e Paz do Espírito Santo.

Os raios da ferida das mãos da

Senhora de Todos os Povos

"Meus pés estão colocados firmemente no globo porque o Pai e o Filho querem Me apresentar neste momento como Corredentora, Medianeira e Advogada." 31/5/(1951) "Este tempo é o Nosso tempo." (2/7/1951)

Com um símbolo bíblico, a Virgem Maria mostra à vidente o rebanho de ovelhas espalhadas ao redor do mundo e diz: "Esta representação do rebanho mostra pessoas ao redor do mundo que não encontrarão descanso até que parem e levantem os olhos para a Cruz, o centro deste mundo. " (31/05/1951)

Uma e outra vez, a Virgem Maria dirige o nosso olhar para a Cruz, o centro do mundo. Ela convida para que se espalhe a imagem em todo o planeta, uma vez que "É a interpretação e ilustração do novo dogma." (12/8/1952) Por este motivo, a Virgem Maria repetidamente enfatiza que a imagem deve antecipar o Dogma. "Esta Imagem precederá um dogma, um dogma novo." (15/4/1951)

“Deves pedir ao Santo Padre por este dogma.” Ela também explica que os títulos Corredentora, Medianeira e Advogada "São três conceitos em um", isto é, três aspectos do seu papel como uma Mãe Espiritual de toda a humanidade.

Nossa Senhora, em seguida, dá à vidente uma visão da proclamação do Dogma pelo Papa na Basílica de São Pedro e afirma:

"Minha profecia de que «Me chamarão Bem Aventurada todas as gerações» será cumprida, mais do que nunca, uma vez que o Dogma seja proclamado."

Pediu também a definição do último dos Dogmas “Corredentora, Medianeira e Advogada” da Humanidade, para dar a Paz ao mundo.

■ Pediu que a Oração da Senhora de todos os Povos fosse rezada diariamente: (Esta é a versão aprovada pela Congregação da Doutrina da Fé.)

Senhor Jesus Cristo,

Filho do Pai, enviai agora à Terra

O Vosso Espírito. Fazei que o Espírito

Santo habite nos corações de todos

os povos, para que sejam preservados da

decadência, das calamidades e da guerra.

Que a Senhora de todos os Povos,

a Santíssima Virgem Maria,

seja a nossa Advogada. Amen.

Em Julho de 2005, a Congregação para a Doutrina da Fé pediu que "que antes era Maria" deva ser deixado fora da oração dada pela Senhora de Todos os Povos, em consideração daqueles que não entendam essa frase. O final apropriado para a oração deve ser agora "Que a Senhora de Todos os Povos, a Santíssima Virgem Maria, seja a nossa advogada. Amen."

A quem a rezar diariamente esta Sua Oração em frente de um Crucifixo ou da Sua Imagem, oferecerá Graça, Redenção e Paz.

 

 

Mini Resumo das Mensagens

1ª visão - 25 de Março de 1945

"A Oração deve ser propagada".

2ª visão - 21 de Abril de 1945

"A paz será conservada se você e os homens acreditarem Nele".

"É preciso propagar a Cruz".

  3ª visão - 29 de Julho de 1945

"Deus prepara seu povo" (voz).

"A Inglaterra me reencontrará. A América (EUA) também".

4ª visão - 29 de Agosto de 1945

"No final das contas, a alegria virá."

"É preciso que a Igreja se torne uma grande comunidade".

"A formação dos eclesiásticos deve ser modificada. Uma formação mais moderna, melhor adaptada a estes tempos, mas no bom senso, com o bom Espírito. Muitas, muitas coisas vão mudar na formação".

5ª visão - 7 de Outubro de 1945

"A verdade está aqui, no interior; mas ela não está lá em baixo, fora... não, não está lá em baixo".

6ª visão - 3 de Janeiro de 1946

"Inglaterra, toma cuidado".

"Virá uma luta em toda a Europa e fora. Esta luta é grave é uma luta espiritual (primeira besta do Apocalipse). Eles pretendem substituir esta Cruz por outras cruzes. A luta espiritual se espalhou pelo mundo. Esta é pior que as outras".

7ª visão - 7 de Fevereiro de 1946

"Olha a Europa. Avisa os povos da Europa."

"A Europa deve ter cuidado. Avisa os povos da Europa. Olha bem e escuta:  Oriente contra Ocidente. Europa, toma cuidado."

"Inglaterra, virá infelicidade para ti! Mas muitas coisas devem mudar. Novas calamidades se abaterão sobre o mundo."

"As crianças devem ser instruídas na doutrina cristã".

"Povos da Europa, uni-vos!".

"Inglaterra, entende bem qual é tua tarefa. Inglaterra, é preciso voltar ao Altíssimo."

8ª visão - 25 de Fevereiro de 1946

"Adverte! A Verdade desapareceu. Vai e propaga."

"Calamidades e calamidades e desastres naturais."

"Fome e caos político. Não só para o teu país, mas para o mundo inteiro."

"Mas será preciso aprender muitas coisas."

9ª visão - 29 de Março de 1946

"A religião deverá passar por um duro combate. Desejam destruí-la. Esta crueldade será feita com tanto requinte, que ninguém, ou quase ninguém, perceberá. Eu estou alerta."

10ª visão - 9 de Junho de 1946

"Eu não saberia como vos alertar o suficiente."

"Calamidade atrás de calamidade... Eu vos digo pela segunda vez. Por tanto tempo que tudo isto não mais existirá".

"Oração e uma acção sadia. Não apenas rezar: agir, velar."

"Eis um novo, um grande desastre sobre o mundo."

"Se ao menos os homens desejassem compreender!.."

"É do Oriente que isto vem."

11ª primeira visão - 4 de Janeiro de 1947

"Este é o mundo que virá. Ele é muito carregado. Ele se destruirá." (Após uma visão)

"Roma, toma cuidado!"

12ª visão - 30 de Agosto de 1947

(Ela vê a Itália. E uma calamidade terrível, formidável começa na Itália. Ela ouve:)

"Exílio. (do Papa)"

"É como se ela recebesse golpe após golpe."

(No centro da Itália, parece reinar a morte)

Haverá "um grande combate político-cristão, uma polémica eclesiástica."

13ª visão - 7 de Dezembro de 1947

"Roma ameaçada".

"Será preciso, no início, morrer pela maré e somente então..." 

(ela vê a água subir como vapor)

14ª visão - 26 de Dezembro de 1947

"Desastres virão. Isto será do norte ao sul, do sul ao oeste e do oriente ao ocidente."

"Combates duros acontecerão ao redor e perto de Jerusalém".

"O mundo será como dividido em dois."

"Haverá muitas desgraças, muitas misérias."

[Ela vê a foice e o martelo (Rússia). Os dois são como em turbilhão. E eis que entram no turbilhão um sol (Japão) e uma meia-lua (Iraque).]

[Ela vê um cigarro ou torpedo como que de alumínio (metálico). A coisa explode e ela vê rostos grandes cobertos de úlceras horrorosas (bomba química). Ela sente doenças espantosas. Ela vê pequenos engenhos escuros planando no ar (substâncias químicas).] 

A Dama diz: "É infernal."

"É isto que eles estão inventando: os russos, mas outros também. Povos, estejam advertidos."

15ª visão - 28 de Março de 1948

"É o direito que está em jogo. Em pouco tempo, virão coisas graves. Isto começará pelo caos, um período de dúvida e de desespero. Sombras escuras se amontoam sobre a Igreja de São Pedro. Elas se dissiparão, mas com grandes lutas e muitos esforços".

"Senão, morrer. Todos os cristãos devem unir-se. Unam-vos, a luta começa. Haverá muita dor e muita miséria. As portas se abrem. Em Jerusalém, os povos do Oriente cobrem o rosto com suas mãos. Eles dizem: desgraça sobre esta cidade!

(Ela vê as trevas caírem. Ela vê uma espada suspensa sobre a Europa e sobre o Oriente. Do Ocidente vem uma luz.)

"Povos cristãos, os pagãos vos ensinarão".

(Ela vê nuvens pesadas sobre a Igreja de São Pedro e Maria diz:)

"Sejam justos. Ajam segundo a vossa doutrina. Cubram seus olhos e suas mãos e entregue-se em ti mesmo". (?)

16ª visão - 7 de Maio de 1948

"O caminho do martírio recomeça".

"A Rússia fará tudo escondido. Eis uma grande mudança. A natureza muda também (fruto de bombas).  

31 de Dezembro de 1951

«Divulguem nas igrejas e através dos meios modernos ... para que o mundo seja liberto da decadência, das calamidades e da guerra».

1 de Abril de 1951

«Do mesmo modo que os flocos de neve sobrevoam o mundo e pousam nele, formando uma espessa camada, assim a oração e a imagem irão se propagar pelo mundo e penetrar nos corações de todos os povos. Como a neve se dissolve na terra, assim o fruto, o Espírito, descerá aos corações de todos os homens que rezarem diariamente esta oração. Eles pedem que o Espírito Santo desça sobre o mundo.»

15 de Abril de 1951 

Convencida da grande importância desta obra de difusão mundial, a vidente trabalhou sem parar até ao final da sua vida, para poder enviar a imagem com a oração ao mundo inteiro. Muitas vezes sentia-se incapaz; por isso um dia Nossa Senhora consolou-a: «Estás com medo? Eu vou ajudar-te. Vais ver como a imagem irá difundir-se quase sozinha». (15.04.1951)

4 de Abril de 1951 

«Maria assume todas as responsabilidades!».

1 de Abril de 1951 

Também nós, queridos amigos aqui presentes, recebemos o apelo da Mãe de todos os Povos para nos pormos em ação: «E agora falo para aqueles que pedem um milagre. Bem, eu vos digo: comecem a trabalhar com zelo nesta obra de redenção e de paz e verão o milagre».

15 de Junho de 1952 

«Ajudem com todos os vossos meios e tratem de divulgar a mensagem, cada um como pode».

8 de Dezembro de 1952 

«Esta imagem deve preceder. Esta imagem deve percorrer o mundo inteiro. Ela é o significado e representação do novo dogma. Por isso Eu mesma dei esta imagem aos povos».

11 de Outubro de 1953

«Cuidai do último dogma, a coroação da Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo, da Corredentora, Medianeira e Advogada».

10 de Outubro de 1953

«Esta obra de difusão não é somente para um país, esta obra é para todos os povos».

29 de Abril de 1951 

«Que seja difundida no mundo entre todos os povos. Todos têm direito! Asseguro-vos que o mundo mudará».

1951 a 1953

«A divulgação deve ser feita através dos conventos». (20-3-1953)

«... nas igrejas e mediante meios modernos». (31-12-1951)

«Assim a Senhora de todos os Povos será levada ao mundo, de cidade em cidade, de país em país. A simples oração fará com que se crie uma única comunidade». (17-2-1952)

4 de Abril de 1954

«Diz aos teólogos que podem encontrar tudo nos livros! … Eu não trago nenhum novo ensinamento».

15 de Agosto de 1954

«A Igreja encontrará muita oposição por causa do novo Dogma».

31 de Maio de 1954

«Quando o Dogma, o último da história mariana, for proclamado, a Senhora de todos os Povos dará ao mundo a Paz, a verdadeira Paz».

 

 Algumas Profecias cumpridas 

O Bispo Bomers teve uma opinião positiva sobre a vidente, resultante dos encontros e conversas pessoais que teve com ela, mas também graças às provas de autenticidade que Deus nos deixou em Amesterdão, em grande número e de uma forma pouco vista em Aparições de Nossa Senhora.

A propósito das Suas mensagens a Senhora de todos os Povos diz:

«Os sinais estão contidos nas minhas palavras» (31-5-1957), o que significa que a autenticidade das mensagens continuará a verificar-se, no decorrer dos anos, à medida que se forem cumprindo as Suas Profecias.

Alguns exemplos.

n Já em 1950, Ida tinha visto a reunificação da Alemanha. Numa visão, a Senhora mostrou-lhe uma cerrada linha de demarcação neste país e disse:

«A Europa está dividida em duas». (10-12-950)

Então a vidente, com um gesto de mão, apaga rapidamente esta linha. Quase 40 anos mais tarde, em 1989, fomos testemunhas da queda do muro de Berlim, sobre o qual, o Presidente Honecker tinha dito dez meses antes: «Daqui a um século o muro ainda existirá!» A convicção de Honecker parecia plausível, tendo em conta o aparato das forças militares que tinham desfilado em Outubro de 1989, poucas semanas antes da queda.

n Vinte e três anos antes, a vidente também viu a primeira alunagem dos americanos efectuada em 1969. Durante essa visão, Ida experimentou em si mesma a ausência da força de gravidade, que descreveu em pormenor ao seu director espiritual. (7-2-1946)

n Ida Peerdeman faleceu a 17 de Junho de 1996, aos 90 anos. Dada a sua estima pela vidente, o então bispo da Diocese de Haarlem–Amsterdão, Dom Henrik Bomers, fez questão de presidir ao funeral. Se o bispo não tivesse a certeza da autenticidade das aparições e das mensagens, nunca o teria feito. Durante a santa Missa disse na sua homília:  “Ida Peerdeman era, e permaneceu até a morte, uma senhora completamente sóbria, e teve sempre grande relutância na glorificação de si própria. Ela era absolutamente sincera, e disse a verdade sobre tudo aquilo que ouviu”.

n Uma outra vez, Ida foi conduzida espiritualmente à Basílica de São Pedro. Ali viu todos os bispos do mundo com as suas mitras brancas e o Santo Padre com a tiara e um grande livro nas mãos. Ninguém no mundo, e ainda menos a vidente, teria podido imaginar nesse momento, que aquela impressionante visão de 11 de Fevereiro de 1951 correspondia ao Concilio Vaticano II, que se realizaria onze anos mais tarde.

n Nossa Senhora deu entretanto à vidente a maior prova de autenticidade na noite de 18 para 19 de Fevereiro de 1958, anunciando-lhe que no início de Outubro, ou seja oito meses mais tarde, o Papa Pio XII que na altura estava de perfeita saúde, iria morrer.

«Escuta, o Santo Padre actual, o Papa Pio XII, será acolhido entre os Nossos, no início de Outubro deste ano. A Senhora de todos os Povos, a Corredentora, Medianeira e Advogada, conduzi-lo-á para a alegria eterna». Nossa Senhora leva o dedo à boca e lhe diz: «Não deverás falar disto a ninguém».

O director espiritual respeitou este pedido de silêncio, mas quis que Ida colocasse o conteúdo do segredo num envelope lacrado e lho remetesse. Ida conservou em casa uma cópia dessa mensagem. De fato, Pio XII morreu nos primeiros dias de Outubro (em 9-10-1958) em Castelgandolfo. Nesse mesmo dia, Ida foi visitar o seu director espiritual, e mostrou-lhe a cópia da mensagem cuja profecia acabava de se realizar. Esta prova de autenticidade foi muito convincente para o director espiritual porque sabia muito bem, como sacerdote, que só Deus pode determinar e conhecer o dia da morte de alguém. O Padre Frehe, seu director espiritual, enviou a carta lacrada para Roma. Pode-se compreender muito bem a importância extraordinária que as mensagens de Amesterdão devem ter para a Igreja e para o mundo se, para provar a sua autenticidade, Deus se serve até da previsão de um futuro Concílio e da vida e morte de um santo Padre.

n Nossa Senhora fez outros reparos:

«Os Países Baixos estão à beira da decadência; por isso ali Me coloquei. É a partir dos Países Baixos que quero falar ao mundo. Tenho outro pé na Alemanha. A Mãe de Deus chora pelos filhos da Alemanha. Eles sempre foram Meus filhos; por isso também quero a partir da Alemanha ser levada ao mundo como Senhora de todos os Povos». (15-8-1951)

«A juventude deve ser mantida longe do paganismo moderno». (03-12-1949)

«Alemanha, estás avisada! As pessoas são boas, mas são pressionadas por todos os lados e acabam por não encontrar saída. Pobre Alemanha!». (16-12-1949)

«A Alemanha está sendo levada ao engano». (27-5-1950)

«Os outros trabalham activamente para separar o povo alemão de Roma». (16-11-1950)

«A Alemanha está no Meu Coração». (11-2-1951)

«O Filho quer conceder a Sua protecção especial e enviou-Me para ajudar a Alemanha». (16-11-1950)

«Desejo dizer à Alemanha: é preciso trabalhar muito, muito mesmo, neste país, para reconduzir os homens, fortemente desviados do caminho, ao centro, à Cruz. Há pouquíssimos sacerdotes, mas muitos leigos … Aqui é necessário agir sobretudo com grande amor e caridade». (11-02-1951)

 

 Conclusão  

Os Pedidos feitos por Nossa Senhora de Todos os Povos, nas Aparições a Ida Peerdeman, vem claramente colocar-se como a continuação do Plano Divino para se alcançar a Paz, iniciado com as Aparições de Fátima em 1917 na Cova da Iria, sinónimo de Cova da Paz.

Por alguma razão esta Senhora mais brilhante que o Sol é conhecida como a Rainha da Paz.

Em Fátima, Nossa Senhora disse que a Primeira Guerra Mundial ia acabar, e para evitar outra pior, deu como requisito para ser alcançada a Paz e para que a Rússia não espalhasse os seus erros pelo mundo, que ela fosse Consagrada ao Seu Imaculado Coração. A Consagração não foi feita, a Rússia espalhou o comunismo pelo mundo e desencadeou-se a Segunda Guerra Mundial.

No último ano da Segunda Guerra Mundial, a 25 de Março de 1945, dia da Encarnação do Verbo, Nossa Senhora inicia as Suas Aparições a Ida Peerdeman, dando uma última e derradeira oportunidade aos homens para alcançarem a Paz, através da Devoção à Senhora de Todos os Povos, à Sua Imagem e à Oração que compõe para que seja divulgada e rezada por todo o planeta. Pede também a definição do Dogma de Medianeira, Corredentora e Advogada da humanidade, que deverá ser estabelecido pelo Papa na Basílica de São Pedro.

Façamos Todos a nossa parte, rezando, diariamente,

a Oração que a Senhora de Todos os Povos nos pediu,

e peçamos a Deus a Graça de que o Papa estabeleça

o último Dogma que falta ser definido,

Senhora de Todos os Povos,

Medianeira, Corredentora e Advogada.

Amen.

 

As 8 Grandes Aparições de Nossa Senhora

Aparição

Guadalupe

Aparição

Rue du Bac

Aparição

La Salette

4ª Aparição

Lourdes

5ª Aparição

Fátima

Aparição

Garabandal

Aparição

Zeitoun

Aparição

Medjugorje

 

http://www.amen-etm.org/Senhora.htm

 C