Eh lá…!

 

Olho de Deus

Tintin-mainCas+Alfat 

 

BÊNÇÃO ESPECIAL  

 

Editorial do dia 8 de Março de 2015  

 

Image6

 

Nesta Página da Amen, pode encontrar alguns comentários sobre os acontecimentos da actualidade mais marcantes

e sobre os quais não quero deixar de me pronunciar.

ÍNDICE

 Agosto de 2019 

8 de Agosto de 2019 - As greves selvagens dos camionistas e no sector da saúde são verdadeiros actos de TERRORISMO!  

 

 

Ano de 2019

 Agosto de 2019

8 de Agosto de 2019 - As greves selvagens dos camionistas e no sector da saúde são verdadeiros actos de TERRORISMO!

 AS GREVES SELVAGENS SÃO ACTOS DE TERRORISMO 

Retirado da  Lei MEFT 14 - Greves, Manifestações e Sindicatos. de 24 de Julho de 2017 e actualizado em 8 de Agosto de 2019

Preâmbulo

Uma das causas, actualmente existente, da desestabilização social, é o mau uso do direito à greve, que são normalmente, e por estarem submetidas às regras maçónicas, são na realidade greves selvagens e que prejudicam e lesam a população em geral.

O direito à greve por parte dos trabalhadores é um direito adquirido, desde longa data, e visou na sua génese, a justa defesa dos trabalhadores, da exploração por parte dos patrões gananciosos, nos primórdios da era industrial. Quando eram por demais explorados e as condições de trabalho desumanas, faziam greve, ou seja, não trabalhavam, para desse modo chamarem a atenção dos patrões, prejudicando exclusivamente a produção ou prestação pontual de serviços, pressionando  o patronato através do prejuízo daí decorrente. Os únicos atingidos pela greve eram os patrões.

Estas antigas greves, justas nas suas causas e adequadas nos seus meios, nada têm a ver com as actuais greves a que assistimos hoje em dia, decretadas pelos sindicatos, altamente politizados e ligados aos partidos maçónicos e/ou comunistas radicais de esquerda.

As antigas greves eram justas e perfeitamente justificadas.

As actuais greves são abusivas e selvagens, completamente desvirtuadas, injustificadas e adulteradas nos meios que usam, devido aos danos e sofrimento que infligem nos que sofrem as suas consequências.

O caso mais gritante destas greves selvagens é o das greves no sector da saúde, em que só as pessoas mais desprotegidas e doentes sofrem as consequências da greve, ficando os responsáveis pelas injustiças no sector a se rirem e a rebolarem nos seus gabinetes, sem nada serem afectadas.

Outro caso gritante é o das greves dos camionistas desencadeadas já no ano de 2019 em que o país quase ficou paralisado. Isto já não é uma greve, mas sim verdadeiro terrorismo social e chantagem institucional. A greve dos camionistas de matérias perigosas, tal como outras que afectem a sociedade em geral, devem ser consideradas verdadeiros actos terroristas e tratadas como tal, com destituição vitalícia dos cargos ocupados pelo responsáveis, que deverão ser submetidos de imediato a penas de prisão efectiva em processos sumários. Não há direito que um punhado de desordeiros sirvam os interesses de políticas anarquistas e desestabilizadoras e prejudiquem toda uma Nação! Isto brada aos Céus, pois prejudica toda uma população subjugada injustamente a interesses particulares e de classes arruaceiras. Infelizmente, isto serve os interesses da agenda maçónica de criar um ambiente de insatisfação, de instabilidade e de caos, preparando o terreno para a manifestação do anticristo. É por servir esta agenda maçónica, que vemos os actuais governantes, como que acobardados, inoperacionais e ineficazes para combater esta nova forma de terrorismo social com o recurso a greves selvagens e desmedidas.

Um dirigente do sindicato dos camionistas, um advogado mercenário contratado, que nunca foi sequer camionista, líder de uma acção terrorista a nível nacional, candidatar-se a deputado por um partido minoritário, já diz tudo sobre o que está em jogo com estas greves selvagens e desmedidas, e que mergulham o país num clima de caos, e de descalabro económico e social. Isto revela bem o regime demo-crático em que vivemos.

As actuais greves já não prejudicam os patrões, que muitas vezes é o estado, mas sim, e em larga escala, os clientes dos patrões, inocentes espectadores e utentes alheios aos conflitos laborais. Por isso, estas actuais greves não passam de greves selvagens e autêntico terrorismo sindical, sempre ligadas a partidos de esquerda socialista ou comunista, cujo grande e maior objectivo é desestabilizar a vida laboral, sindical e social. Os delegados e representantes sindicais funcionam também, na maior parte das vezes como parasitas do sistema económico, pois nada produzem, e limitam-se a explorar e a viver às custas dos trabalhadores, através das quotas lhes cobram pela sua inscrição no sindicato.

Esta maltosa devia ser toda mandada para campos de trabalho forçado, para aprenderem qual é o verdadeiro sentido do trabalho, a respeitar os trabalhadores e o povo, os quais brutalizam e pelos quais não têm qualquer tipo de respeito ou consideração.

Estes dirigentes sindicais que manipulam os seus associados, não passam de parasitas e da escória da sociedade e são os paus mandados da maçonaria e dos partidos da esquerda radical.

A liberdade e os direitos de cada um terminam, quando atingem as liberdades e os direitos dos seus irmãos!

Portugal não precisa desta escumalha à solta, a fazer mal às pessoas e às instituições! Se eles brutalizam o povo, não podem ser tratados com palmadinhas nas costas. Aqui, é perfeitamente justificado o uso da força para parar as suas acções terroristas. Prisão com eles!

 

 

 

 

 

 Setembro de 2019

 

 Outubro de 2019

 

 Novembro de 2019

 

 Dezembro  de 2019

 

 

 

 

www.amen-etm.org/Ela.htm  

http://www.amen-etm.org/ExercitoTerrestredeMaria_ficheiros/image007.jpg