ORAÇÃO - BEM REZAR

COM AMOR E FÉ

 

PICAR PARA DOWNLOAD DO DOSSIER EM PDF PARA IMPRIMIR (Sem Links)

   .

 

 

BÊNÇÃO ESPECIAL  

 

 

ÍNDICE

O que é a Oração

   O Poder da Oração

   Penitência ou Sacrifício

   Economia Divina

Formas de Oração

Algumas sérias Advertências

A forma correcta de tratar Deus e a Virgem Maria

Nunca tratar a Virgem Maria só por “Maria”

Como tratar Jesus

Espírito de oração

Como terminar a oração com o “Amen

AS ORAÇÕES MAIS PODEROSAS DA IGREJA

() Sinal da Cruz

() Persignação

() Eucaristia

() Adoração ao Santíssimo Sacramento

() Credo

() Acto de Contrição

() Pai Nosso

                    Como não Rezar

() Oração ao Espírito Santo

() Avé Maria

                    Como não Rezar

() Avé Maria com a Chama de Amor

() Glória

() Crux Ave

() Salvé Rainha

                    Como não Rezar

() Regina Caeli

() Magnificat

() Oh meu Jesus

() Oh Maria concebida sem pecado

() Oferecimento do dia

() Ângelus

() Memorare

() Oração a São Miguel Arcanjo

() Oração ao Anjo da Guarda e Augusta Rainha dos Céus

() Terço do Rosário

Mistérios do Rosário

Forma de rezar o Terço  

O Poder do Rosário

() Terço da Divina Misericórdia

() Terço das Sete Dores da Virgem Maria

() Ladainhas

   Ladainha de Nossa Senhora 

   Ladainha de Deus Pai

   Ladainha do Preciosíssimo Sangue de Jesus Cristo 

   Ladainha de Todos os Santos

() Via-Sacra

() As 15 Orações de Santa Brígida

() Os 7 Pai Nossos de Santa Brígida

() Oração de São Francisco

() Alma de Cristo

() Oração do ETM - Exército Terrestre de Maria

() Novenas

         Novena da Divina Misericórdia

() Indulgências

() Intenções da Oração

() Exame de Consciência

Principais Devoções

() Primeiros Sábados

() Primeiras Sextas Feiras

() Cenáculo Mariano

() Vigília dos Últimos Sábados

   Suplica Ardente aos Santos Anjos

   Terço a São Miguel Arcanjo ou Coroa Angélica

() Oração da Senhora de Todos os Povos

() Rosário da Armada

() Rezar pelo nosso País

Consagração

Bênçãos

Sacramentais

  Água Benta

  Escapulário do Carmo

  Escapulário da Paixão

  Escapulário Verde

  Escapulário de Bênção e Protecção

  Escapulário dos Sagrados Corações de Jesus e Maria

  Crucifixos e Medalhas

  Rosas Abençoadas para o Chá de Cura

  Imagem com o Sagrado Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria

  Velas de Lourdes para os Três Dias de Trevas

  Terços Abençoados para os Três Dias de Trevas

  Peixes e Cruzes para protecção das calamidades, da guerra e das epidemias

  Diversos Remédios para os tempos difíceis

Relíquias

Pequeno Catecismo

Planos de Oração

CONCLUSÕES

  Principais Links neste Dossier

 

O que é a Oração

 

Para mim, e não querendo entrar em profundas definições teológicas, a Oração é o entrarmos em Comunhão com Deus, através de um Dom que ele nos concede, estabelecendo assim uma Aliança de Amor, que brota do nosso Coração e que se realiza no Tempo.

Também considero sinónimos as palavras Orar e Rezar, se bem que normalmente e na linguagem dos comuns mortais, a palavra Rezar é mais usada para a Oração Vocal, na qual se usa o termo de Jaculatória para um pequena Oração Vocal.

Santa Teresinha do Menino Jesus, Doutora da Igreja, escreveu sobre a Oração, nos seus Manuscritos:

Manuscrit C, 25r: Manuscrits autobiographiques (Paris 1992) p. 389-390. 

«Para mim, a oração é um impulso do coração, é um simples olhar lançado para o céu, é um grito de gratidão e de amor, tanto no meio da tribulação como no meio da alegria».

 

Para quem quiser aprofundar o que é a Oração, pode ler o Catecismo da Igreja Católica em CIC 2558, ou em:

http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p4-intr_2558-2565_po.html

A Oração está intimamente unida à Penitência, entendida esta como Sacrifício. Na verdade, Rezar é de certa forma uma forma de Sacrifício do Tempo de que dispomos. Por isso é que, em todas as Aparições da Virgem Maria, Ela pede para Rezarmos e fazermos Sacrifícios.

Jesus a Rezar

O Poder da Oração

A Oração tem Poder! De onde advém o Poder que a Oração tem?

Para se perceber o porquê do Poder da Oração, temos de recuar um pouco e fazer algumas considerações sobre a Vida e o seu significado. Para melhor percebermos, será conveniente recuarmos ao tempo da Criação de Adão.

Primeiro moldou o corpo de Adão com o barro da terra, isto é, usou os materiais já existentes e formou o corpo material. Mas, só depois de Deus lhe ter soprado nas narinas, ou seja, de insuflar a Vida no corpo de Adão, dando-lhe a alma que havia de controlar todas s suas funções vitais, é que Adão se torna um ser vivente. A Alma é o sopro da Vida.

Gn-2,7 7 O Senhor Deus formou, pois, o homem do barro da terra, e inspirou-lhe nas narinas um sopro de vida e o homem se tornou um ser vivente”.

Antes desse momento, o corpo era inerte, não tinha ainda vida. Nesta Criação de Adão, pode perceber-se bastante claramente que a Vida é dada por Deus. A Vida é Dom de Deus. E nessa medida de Dom de Deus, é preciosa. É um Bem precioso, que passa a ser do homem.

Se estabelecermos um paralelo com a linguagem económica ou contabilística, melhor se poderá perceber a relação que existe entre a administração da nossa Vida e o Poder da Oração. A administração do Dom da Vida passa a ser da responsabilidade do homem. O homem pode dispor deste Bem precioso como quiser, e daí lhe advir na economia Divina, um crédito ou dum débito, que é inscrito no Livro da Vida. Quando, um dia, o homem entrar na vida eterna e tiver que prestar contas a Deus pelo que fez daquele Dom precioso que recebeu, lá estará tudo inscrito, no Livro da Vida.

Tudo o que fizermos da nossa vida em prole dos outros e por Amor a Deus, será um crédito lançado no Livro da Vida. A unidade ou moeda que contabiliza este crédito, é o tempo. Por isso dizemos também que o tempo é precioso.

E da mesma forma que na vida real existem moedas fortes e moedas fracas, assim também na vida espiritual as há. Usamos uma moeda forte, se usarmos do tempo da nossa vida com muito amor e dedicação. A nossa moeda será fraca, se dispusermos do tempo de uma maneira distraída e dissoluta. Assim, alcançaremos mais ou menos crédito consoante o amor e dedicação que disponibilizarmos por unidade de tempo. Uma hora de oração com muito amor e dedicação será moeda forte. Uma hora a rezar distraído e sem amor, será moeda fraca. O crédito será pois proporcional ao tempo e à moeda usada.

Se investirmos moeda forte, disporemos de muito crédito. Se nossa moeda for fraca, desperdiçando a nossa vida em futilidades, não teremos crédito nenhum diante de Deus. É por isso que a administração do Dom da Vida é muito importante, pois, este crédito acumulado junto de Deus, está intimamente associado à importância e Poder da nossa intervenção junto dEle, que, sendo infinitamente Justo, retribui os Seus filhos a cem por um.

Mat 19,29 E todo o que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos, ou terras, por amor do meu nome, receberá cem vezes tanto, e herdará a vida eterna.

Como a Oração é o usarmos tempo da nossa vida para estarmos em união com Deus, deduz-se que quanto mais e melhor rezarmos, mais crédito, importância e Poder temos junto a Ele. Assim fica explicado o Poder da Oração. E de tal maneira isto é verdade, que foi por Deus feito Homem em Jesus, ter oferecido a sua vida humana pela redenção da humanidade vivendo-a de uma forma humilde, pobre e sofrida, bem como ofereceu a vida que não viveu, com o seu martírio e morte na Cruz, e por ser absolutamente inocente, o Poder e o Mérito deste oferecimento teve um Valor Infinito. Encontramos o paralelo na matemática - quando dividimos qualquer número por zero obtém-se um resultado Infinito (aqui o zero é o equivalente à ausência total de culpa em Jesus, isto é, culpa zero).

A Oração, que para um ateu pode parecer desperdício de tempo, para o homem de Fé é o amealhar um Tesouro nos Céus, e conseguir alcançar tudo aquilo que peça a Deus, desde que seja para o bem e a Salvação das Almas.

Penitência ou Sacrifico

A Penitência ou Sacrifício de que quero falar, é a renúncia ao prazer dos sentidos, ou à sua própria mortificação, e que oferecemos a Deus com determinadas intenções.

Se a Oração é Poderosa, então se a aliarmos à Penitência, torna-se ainda mais Poderosa e vencedora de qualquer contrariedade nas nossas vidas.

A Penitência que Nossa Senhora pede em todas as Suas Aparições é o Jejum (de alimentos), mas explica que o que lhe agrada mais, é o jejum do pecado.

É através da Oração, da Penitência e das Boas Obras que a Alma se Santifica de forma mais eficaz.

Sobre esta catequese de Santificação, aconselho a leitura do Ensinamento dado na Igreja do Sacramento em Lisboa, que tem por base as Mensagens de Nossa Senhora dadas ao José Luis Matheus, e transcrito no seguinte endereço da Amen:

http://www.amen-etm.org/MensagensdaVirgemMariaaoJuanAntonioeJoseLuisM.htm#Ensinamentos

Especificamente sobre o Jejum:

http://www.amen-etm.org/MensagensdaVirgemMariaaoJuanAntonioeJoseLuisM.htm#pedido

Nossa Senhora nas Aparições de Fátima disse aos Pastorinhos:

“Antes de fazerem qualquer sacrifício rezem assim:

«Ó Jesus, é por Vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria»!”

 

Pastorinhos de Fátima a Rezar

 

Economia Divina

Na óptica que quero abordar a Economia Divina, este termo encerra as relações que Deus estabeleceu com o Homem.

De uma forma muito sucinta, quero falar sobre as Variáveis contidas na Economia Divina, de tal modo que melhor se possa perceber como estão reguladas as interacções do Homem com Deus.

Para melhor explicitar estes conceitos, usarei uma abordagem de matemática muito simples.

As variáveis que entram nesta Economia Divina são de Ordem Espiritual:

Amor     Oração   Penitência   Obra   Bênção   Mérito   Graças   Indulgências   Culpa e Pena

A unidade utilizada - Tempo

Todas estas variáveis têm a ver com a Salvação do Homem para a Vida Eterna ou para a sua condenação eterna.

Amor

O Amor é a mais importante de todas estas variáveis. O Amor nasce no Coração humano, por Dádiva de Deus e por Vontade humana. O Amor e a Culpa são variáveis inversamente proporcionais, isto é, quando uma cresce, a outra diminui. O Amor só por si não existe, pois precisa da Oração, de Obra e da Penitência para se expressar e só com elas ganha significado. Mas o valor do Amor é afectado por um Coeficiente qualitativo, consoante o seu grau ou intensidade, e pode variar entre 1 (perfeito) e 0 (sem valor).

Oração

A Oração entendida como União com Deus, é directamente proporcional ao Amor. A Oração é uma das formas de expressão do Amor. Sem Amor não pode haver Oração. Para haver Oração temos de unir o Amor com a Obra, pois a Oração pode ser entendida como Obrar o Amor. E na medida em que se Obra podemos medir a Oração em termos do Tempo que se lhe dispensa.

Penitência

A Penitência entendida como União Sofrida com Deus, é directamente proporcional ao Amor. A Penitência é uma das formas de expressão do Amor. Sem Amor não pode haver Penitência. Para haver Penitência temos de unir o Amor com Obra, pois a Penitência pode ser entendida como Obrar o Amor Doloroso. E na medida em que se Obra podemos também medir a Penitência em termos do Tempo que se lhe dispensa. A Penitência é uma Oração potenciada pela intensidade do sofrimento.

Obra

A Obra é tudo o que fazemos na nossa vida material e relacionada connosco e com os outros. A Obra pode ser positiva se for para bem dos outros e por Amor a Deus, ou pode ser negativa se for para mal dos outros e por ódio ou desamor a Deus. A Obra negativa cria Culpa e Pena. A Obra negativa é proporcional à Culpa e à Pena. A Obra permite fazer a Oração. A Obra pode ser medida em termos do Tempo que se lhe dispensa. A Obra sem Amor não vale nada, isto é, tem valor zero. Mas o valor da Obra também é afectado por um Coeficiente qualitativo, consoante a atenção e dedicação com que é feita, e pode variar entre 1 (perfeita) e 0 (sem valor).

Bênção

A Bênção é a união entre o Amor e a Oração com uma mínima intervenção da Obra, pois é a intenção Amorosa de partilhar o Amor e as Graças de Deus com outrem, e isso se faz através de uma curta Obra temporal. A Bênção é directamente proporcional ao Amor que nela se coloca e à dimensão da Obra que a concretiza. A Bênção é simultaneamente uma acção humana e Divina, pois alia Amor e Obra humanas, com a retribuição de Graças Divinas.

Mérito

O Mérito é o valor das acções humanas e que Deus retribui em Graças concedidas ao Homem.

Graças

As Graças são tudo o que Deus dá ao Homem para seu bem. As Graças são a forma que Deus tem para retribuir ao Homem aquilo que ele Obra com Amor. Como já vimos que Obra junta com Amor são Oração, Deus retribui Graças à Oração. Deus paga a 100 por 1.

Indulgências

As Indulgências são Graças dadas por Deus para o Homem diminuir a Pena da sua falta de Amor e das suas Obras negativas. As Indulgências são fruto da Misericórdia Divina.

Culpa e Pena

A Culpa e a Pena são as consequências das Obras negativas do Homem e são contabilizadas pela Justiça Divina. A Culpa pode ser diminuída por Misericórdia Divina através do Sacramento da Confissão. A Pena pode ser diminuída pela Oração, pela Penitência, por Obras positivas, por Indulgências ou por Tempo de expiação no Purgatório.

Tempo

O Tempo pode ser usado como unidade de contabilização da Oração, Penitência, Obra, Indulgências, Mérito, e Pena.

 

Álgebra???

Tendo definido cada uma destas Variáveis da Economia Divina podemos estabelecer algumas fórmulas algébricas para melhor compreendermos os mecanismos da Salvação, mas para isso temos de usar de uma tolerante avaliação subordinada à Justiça e à Misericórdia Divinas. Este exercício não se destina minimamente a determinar valores precisos, mas tão só a exemplificar o mecanismo da Economia Divina.

Vamos atribuir letras a cada uma destas Variáveis, usando o tempo como unidade de dimensionamento.

Amor (cq)   Oração   Penitência   Obra (cq)   Bênção   Mérito   Graças   Indulgências   Culpa e Pena

1º Exemplo

Vamos calcular o Mérito e as Graças de 1 hora de Oração feita cheia de Amor e com toda a atenção:

M = A x cq x Or x 1t x Ob x cq = 1 x 1 x 1 x 1 x 1 x 1 = 1     G = M x 100 = 1 x 100 = 100t

Explicação: Como o Amor foi perfeito e a Obra foi também perfeita, os coeficientes de qualidade foram iguais a 1 em ambos, e por isso o resultado foi de 100t.

2º Exemplo

Vamos calcular o Mérito e as Graças de 1 hora de Oração feita com pouco Amor e muito por obrigação e metade do tempo distraído:

M = A x cq x Or x 1t x Ob x cq = 1 x 0.5 x 1 x 1 x 1 x 0.5 = 0.25     G = M x 100 = 0.25 x 100 = 25t

Explicação: Como o Amor foi morno e a Obra foi também foi muito distraída, os coeficientes de qualidade foram iguais a 0.5 em ambos, e fez com que o resultado em Mérito e Graças descessem muitíssimo, e por isso o resultado foi de 25t.

3º Exemplo

Vamos calcular o Mérito e as Graças de 1 hora de Oração feita com pouco Amor e muito por obrigação e completamente distraído:

M = A x cq x Or x 1t x Ob x cq = 1 x 0.5 x 1 x 1 x 1 x 0.0 = 0.25     G = M x 100 = 0.25 x 100 = 0t

Explicação: Como o Amor foi morno e a Obra foi totalmente distraída, o coeficientes de qualidade para o Amor ainda era igual a 0.5, mas como foi feita a Oração totalmente distraído, o seu coeficiente de qualidade foi zero, o que fez com que o resultado fosse também 0t. Nulo! Foi uma total perda e desperdício de tempo. Da mesma forma teria sido se tivesse sido feita com total ausência de Amor, ou por obrigação, em que o coeficiente de qualidade do Amor também fosse zero.

 

Muitos outros exercícios se podem fazer com as outras varáveis, mas a Moral que eu quero tirar destes exemplos infantis, e que eu apresento quase à laia de brincadeira, é de que o

Valor da Oração e das nossas Obras estão intimamente ligados ao Amor e à Atenção com que as fazemos.

 

 

Formas de Oração

 

Nesta Comunhão que estabelecemos com Deus, podemos fazê-lo através de diferentes formas, diferentes ocasiões e com diferentes meios.

A Oração da Igreja funda-se sobre a Fé Apostólica, é autenticada pela Caridade e alimenta-se na Eucaristia.

As Formas de que se reveste a Oração podem ser:

I - A Bênção e a Adoração.

II - A Oração de Petição.

III - A Oração de Intercessão.

IV - A Oração de Acção de Graças.

V - A Oração de Louvor.

 

Para quem quiser aprofundar as diferentes formas de Oração, pode ler o Catecismo da Igreja Católica em CIC 2623-2643, ou em:

http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p4s1cap1_2566-2649_po.html

 

A Madre Teresa de Calcutá dizia:

“O Trabalho não substitui a Oração, mas podemos transformar o Trabalho em Oração, tudo fazendo com Jesus e para Jesus”.

 

Algumas sérias Advertências

 

A forma correcta de tratar Deus e a Virgem Maria

Na Eucaristia encontramos todas as formas de Oração integradas num só acto, conseguindo de uma maneira inexcedível a União com Deus, pois Ele desce a nós, alimenta-nos, eleva-nos e une-nos com o Pai através do Amor do Espírito Santo.

Nesta união com Deus, quando vocalizada, temos de ter em atenção que nos dirigimos a Deus, quer directamente com o Pai, ou através do Espírito Santo, ou através de Jesus Cristo Nosso Senhor, ou através da Virgem Maria nossa Mãe Espiritual, ou por intercessão dos Anjos e Santos.

Deus Pai estabeleceu Jesus Cristo o único Mediador entre Ele e os homens. Assim, para melhor chegar a Deus Pai, o melhor canal será sempre através de Jesus, Seu Filho, o Verbo de Deus Encarnado.

Acontece que Jesus Cristo instituiu sua Mãe como Medianeira entre os homens e Ele, dando-no-lA, aos pés da Cruz, como nossa Mãe Espiritual. Assim sendo, a melhor forma de chegar a Jesus Cristo, será através da Sua Mãe Santíssima - A Virgem Maria, Mãe de Deus e Mãe nossa.

Sendo Jesus Cristo, Verdadeiro Deus e Verdadeiro Homem, merece de nós o mesmo respeito devido à Santíssima Trindade. À Santíssima Trindade devemos Adoração, a latria.

Sendo a Virgem Maria, a Mãe do Deus humanado, criada Imaculada sem mancha do pecado original, ou venial durante toda a Sua vida, a mais Pura criatura humana de Deus, a mais Humilde, Santa, Virtuosa e Gloriosa de toda a Criação, a Rainha do Universo, superior em Graça a todas as criaturas Angélicas juntas, merece de nós o altíssimo respeito, imediatamente inferior ao devido à Santíssima Trindade. À Virgem Maria não devemos Adoração, mas sim a hiperdulia, ou seja, uma forma superior de culto e louvor, superiores aos que prestamos aos Anjos e Santos do Céu, a dulia.

 

 

A linguagem usada, pois, para com Jesus e com a Virgem Maria deve ser altíssima e a mais sublime, e mesmo assim será sempre inadequada à nossa pobre condição de criaturas humanas, que se dirigem a Deus e à Sua Mãe Santíssima.

Daqui decorre, nas Orações Oficiais da Igreja, sempre usarmos a forma gramatical erudita de expressão, quando falamos com Deus e com Sua Mãe Santíssima:

Pai Nosso que estais nos Céus. … Perdoai-nos. … Livrai-nos.

O Senhor é convosco. … Bendita sois Vós. … Rogai por nós. …

E por isso, sempre devemos usar semelhante linguagem quando nos referimos a Deus e à Virgem Maria.

- A Vós Senhor Jesus Cristo, vos pedimos que nos salveis. 

Nada de usarmos

 A ti   Senhor Jesus Cristo, te pedimos que nos  salves.

- Virgem Maria rogai por nós. … A Vós Virgem Maria pedimos a Vossa protecção e que rogueis por nós.

Nada de usarmos

 Virgem Maria roga por nós. … A ti   Virgem Maria pedimos a tua protecção e que   rogues por nós.

Nada de tratar nenhuma das Pessoas da Santíssima Trindade e a Virgem Maria, por tu. O tratar por tu é uma forma de tratamento, na língua portuguesa, usada para com os nossos iguais, quer de estatuto quer de idade ou a um nível de confiança comummente acordado.

Tratar qualquer das Pessoas da Santíssima Trindade e a Virgem Maria, por tu é uma forma de brutalidade e falta de educação imperdoáveis, e que só reflecte a falta de cultura religiosa e a falta de educação e de chá recebidos por parte dos pais. Só gente bronca e mal educada é que se dirige a Deus e à Virgem Maria, com o tu para cá e do tu para lá. É forma buçal de linguagem e em última instância uma forma de blasfémia, que causa horror aos Anjos e aos Verdadeiros Filhos de Deus, mas que muito agrada aos filhos do demónio.

 

Nunca tratar a Virgem Maria só por “Maria”

A acrescentar a esta regra de linguagem erudita, o nome de “Maria” nunca deve ser referido isoladamente sem um dos seus muitos títulos, isto é, Virgem Maria, Santa Maria, Nossa Senhora, etc..

 

 

Esta banalização do “Maria” só agrada e enche de júbilo todo o Inferno, onde até os demónios se comprazem e bailam de alegria, com tal obscenidade.

Infelizmente é muito frequente ouvir, mesmo sacerdotes, se referirem à Virgem Maria, só por Maria para aqui, Maria para acolá. Que tristeza…! Se nós nos podemos ofender por ouvir um fulano qualquer se referir à nossa mãe terrena só pelo seu nome, isto é, sem primeiro usar Dona Maria, ou Senhora Dona Maria, quanto mais ofensivo não será usar só Maria para com a Mãe de Deus!

O que esses fulanos fazem, numa tentativa falhada de mostrarem a sua confiança e proximidade para com a Virgem Maria, é de, abusivamente, usarem um trato confiúdo, tentando nivelá-la, trazendo-A para o baixo nível em que vegetam, em vez de se lhe dirigirem, humildemente, com amor e respeito, de baixo para cima, isto é, da sua baixa condição humana para o do altíssimo nível de Mãe de Deus.

Esta forma grosseira de tratar a Mãe de Deus, só por Maria, também reflecte o baixo nível cultural, a falta de berço, falta de educação, a falta de respeito e amor que dominam o ensino em muitos seminários de hoje em dia.

Se tratamos os santos, sempre usando o título de São, Santo ou Santa, então não é natural que se use também um título para a Rainha do Universo? Se para com os santos que merecem a dulia, e para com a Virgem Maria, a hiperdulia, não será de esperar que o seu nome seja sempre usado em conjunção com um dos seus inúmeros títulos honoríficos?

Bem vistas as coisas, cada vez que louvamos e exaltamos a Virgem Maria, obtemos Graças imensas e elevamo-nos a nós próprios e a humanidade inteira, através da Comunhão dos Santos. Cada vez que A banalizamos e rebaixamos com o simples Maria, rebaixamo-nos e aproximamos a humanidade inteira do nível infernal, onde se regozijam os demónios com semelhante trato.

Se apurarmos a nossa atenção sobre as pessoas que tratam a Santíssima Virgem simplesmente por Maria, facilmente detectaremos que são burgessos com falta de berço e de chá, e que só por conveniência falam da Virgem Maria, mas que na realidade não lhe têm nenhum respeito e muito menos qualquer verdadeira Devoção, como ensinou São Luís de Monfort - são os falsos devotos de Nossa Senhora (Pág. 76 do Tratado).

As valiosas lições sobre a forma de tratar a Virgem Maria, encontramo-las no elevadíssimo respeito com que se Lhe dirigem São Luís de Monfort no Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria, e a respeitosa forma como sempre se Lhe refere Sor Maria de Jesus de Agreda, na obra Mística Cidade de Deus.

Qualquer leigo, e com muito mais razão, qualquer sacerdote, devem sempre seguir estas regras de ouro:

só “Maria, NUNCA! A insistência no só “Maria, só evidencia a falta de educação e o baixo trato social que lhes serviu de berço!

Nossa Senhora deve ser tratada habitualmente por Virgem Maria, ou Santíssima Virgem Maria, ou Santíssima Virgem, ou Maria Santíssima, SEMPRE!

■ Também se pode usar, conforme as circunstâncias, qualquer das evocações da Ladainha de Nossa Senhora.

A propósito das Aparições a Ida Peerdeman, a Senhora de Todos os Povos, em 2 de Julho de 2005, a Congregação para a Doutrina da Fé pede "que as palavras «que antes foi Maria» sejam deixados de fora da oração da Senhora de todos os Povos, em consideração daqueles que não entendam essa frase.

O final da oração deve agora dizer: «Que a Senhora de Todas os Povos, a Santíssima Virgem Maria, seja a nossa Advogada. Amen.» (Carta de Dezembro de 2006)

Desta forma o Vaticano deu o seu Placet à Devoção da Senhora de Todos os Povos, e definiu a forma oficial de tratar Nossa Senhora - Santíssima Virgem Maria.

Esta decisão foi tomada com o Placet do então Papa Bento XVI, e vem no seguimento da expressão da vontade de Nossa Senhora, quando referiu que desejava deixar de ser tratada, como o fora em tempos idos, só por Maria.

Quando uma pessoa rebaixa e maltrata a Mãe de Deus, tratando-A só por Maria, desce ao nível das vacas de Bazã (Amós 4,1) e do porco que chafurda na lama (IIPedro 2,22), mas quando uma alma louva a Mãe de Deus, tratando-A condignamente com um dos Seus muitos títulos, eleva-se ao nível dos Anjos do Céu.

Louvado e adorado seja nosso Senhor Jesus Cristo!

Para sempre seja louvado, com Sua Mãe Maria Santíssima!

 

 

Como tratar Jesus

Com Jesus, é habitual, sempre que pronunciamos o seu nome, na ausência de um dos Seus Títulos, fazermos uma ligeira vénia com a cabeça. E é pouco, pois está escrito na epístola de São Paulo aos Filipenses:

Fil 2,10 

10 Para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra.

 

Papa fazendo uma vénia ao nome de Jesus

Espírito de oração

Mais um ponto que convém realçar, é de que a Oração só chega a Deus, se for feita com Amor de Coração, em Espírito de Humildade e com Serenidade.

Amor de Coração - Dirigirmo-nos com Amor ao Ente Amado, com todo o nosso ser, toda a nossa força, com entrega total.

Espírito de Humildade - Como ovelha de um rebanho, igual a todas as outras, nem mais alto, nem mais baixo, nem diferente, usando rigorosamente a linguagem definida pela Igreja, na sua letra, nos seus textos e nos seus ensinamentos. Nada de usar formas alternativas ou sinónimas de oração, usando termos diferentes aos estipulados pela Igreja, no Catecismo, nos manuais de oração, na Liturgia Oficial.

De cada vez que se altera a fórmula oficial de uma Oração, os Anjos do Céu choram, e os demónios do inferno batem palmas de contentes.

Serenidade - Calmamente e sem pressas, pensando em cada palavra que pronunciamos correctamente, elevando a nossa alma.

 

Como terminar a oração com o “Amen

A palavra “Amen” usada no fim de todas as orações, é uma palavra de etimologia Aramaica, usada pelos Hebreus no tempo de Jesus e que já provinha dos seus antepassados.

AMEN, é a própria palavra pronunciada na sua língua natal, pela Virgem Maria aquando da Anunciação pelo Arcanjo São Gabriel. Quando a Virgem Maria proferiu o seu sim à Vontade de Deus, pronunciou aquela altíssima palavra, a maior de todas, a que determinou o futuro da humanidade - AMEN.

É este Amen da Virgem Maria, que nós repetimos de igual forma em todos os idiomas, e que perdurou através dos séculos, que nos tem mantido unidos através dos tempos, e fortalece a nossa adesão a Deus, sempre que o repetimos!

Em Grego, em Latim, em Italiano, em Português, em Espanhol, em Inglês, em Francês, e só para citar os principais idiomas, o AMEN é uma palavra em comum e sinal de união dentro do Povo de Deus.

O significado de Amen é uma afirmação poderosa, que significa: Assim é! Não é sinónimo de Assim seja, mas sim, É, de facto. Não expressa um desejo, mas sim uma certeza presente.

Sobre a palavra Amen, ler no site do Vaticano o Catecismo da Igreja Católica os nºs 1061 a 1065.

Esta unidade dentro do Povo de Deus, não agrada nada ao inimigo da Igreja, satanás, e por isso, sempre tem tentado, por todos os meios e com todas as sua forças, alterar aquele Palavra. Infelizmente, tenho de confessar, que o conseguiu em largas porções do povo brasileiro, adulterar a palavra Amen, e substituí-la por Amém. É subtil a diferença, mas a vitória foi conseguida com eficácia, pelos inimigos infiltrados na Igreja Católica, disfarçados de linguistas. Graças a Deus largos sectores de Católicos brasileiros, não optaram por essa adulteração e ainda se mantém fiéis à Tradição da Igreja com o seu Amen.

O aceitar o Amém é o aceitar a retirada da mais importante palavra das Orações Católicas e passar a usar um substituto fraudulento inventado pelo inimigo.

É aceitar a divisão do povo orante e não comungar com a Igreja universal. Será que todos os países acima citados estão errados e o Brasil é o único que está certo? Ou será mais uma palhaçada carnavalesca levada a cabo por quem tanto gosta de dividir para reinar?

Entender que Amen não é a mesma coisa que o Amém introduzido por satanás na linguística moderna brasileira, é importante, eleva o nosso espírito para Deus, fortalece a Igreja e alcança mais eficácia à nossa Oração, porque é feita dentro dos Cânones da Religião Católica, com humildade e fidelidade à Liturgia Tradicional da Igreja! É uma adesão ao Amen da Virgem Maria em União com a Igreja Católica, e daí resulta a sua força!

Para melhor entender a gravidade e a importância deste absurdo Amém na língua brasileira, é bom recuar um pouco no tempo, e ver que esta alteração é recente e corresponde a um laborioso trabalho de sapa levado a cabo pela maçonaria laica, mas muito em especial a maçonaria eclesiástica.

Em 1698

No Catecismo da Doutrina Christãa na Língua Brasílica, composto pelo Padre Luis Vicencio Mamiani, 1698, encontram-se 5 vezes a palavra Amen. Ainda não existia a palavra Amém.

Podemos confirmar, fazendo uma busca da palavra Amen neste Catecismo com o seguinte texto:

https://books.google.pt/books?id=ibweMbVspSgC&pg=PA2&dq=Amen%2BBrasil&hl=pt-PT&sa=X&redir_esc=y#v=onepage&q=Amen%2BBrasil&f=false

 

Em 1823

No Diccionario da lingua portugueza, recopilado de todos os impressos até a presente, Volume 1, António de Morais Silva, na typ. de M. P. de Lacerda, 1823, pág. 126. Aqui aparece definida a palavra Amen com etimologia Hebraica. Ainda não existia a palavra Amém.

https://books.google.pt/books?hl=pt-PT&id=kX8_AQAAIAAJ&dq=Amen%2BBrasil&q=amen#v=snippet&q=amen&f=false 

 

Em 1867

A Bíblia traduzida pelo Pe. Antonio Pereira de Figueiredo, baseou-se na Vulgata latina, e foi considerada da mais alta qualidade literária.

Foi publicada em vários volumes, de 1778 a 1790, e no Brasil, em 1864, foi publicada a primeira edição em volume único.

Na Edição de 1867, encontram-se dezenas de passagens em que figura a palavra Amen.

Podemos confirmar, fazendo uma busca da palavra Amen nesta Bíblia com o seguinte texto:

https://books.google.com.br/books?id=YkFbAAAAQAAJ&pg=RA1-PA239&hl=pt-BR&source=gbs_toc_r&cad=3#v=onepage&q=Amen&f=false

 

Em 1910

 No Diccionário Prático Encyclopédico Luso Brasileiro de Jayme de Séguier, Publicado em Lisboa, em 1910, Pág. 50

Aparece só a definição para Amen. Não aparece ainda a palavra Amém, porque ainda não existia.

 

Em 1944

No Dicionário Prático Illustrado Luso Brasileiro de Jayme de Séguier, Publicado no Rio de Janeiro, em 1944?, Pág. 50

Aparece só a definição para Amen. Não aparece ainda a palavra Amém, porque ainda não existia.

 

Em 1957

Na Revista do Arquivo Municipal, Volume 24, Edição 160 - Volume 27,Edição 162 - Departamento de Cultura em 1957, Encontra-se 23 vezes a palavra Amen.

Podemos confirmar, fazendo uma busca da palavra Amen nesta revista com o seguinte texto:

https://books.google.pt/books?hl=pt-PT&id=7PxmAAAAMAAJ&dq=manuel%2Bmatos%2Bsoares%2Bb%C3%ADblia%2B1943&focus=searchwithinvolume&q=amen

 

Em 1983

Em O movimento litúrgico no Brasil: Estudo histórico, por José Ariovaldo da Silva, em 1983, encontram-se 5 passagens em que figura a palavra Amen

Podemos confirmar, fazendo uma busca da palavra Amen neste Estudo com o seguinte texto:

https://books.google.pt/books?id=aaxaAAAAMAAJ&q=Amen%2BBrasil&dq=Amen%2BBrasil&hl=pt-PT&sa=X&redir_esc=y

 

Em 2002

A deturpação já está consumada no Dicionário enciclopédico de teologia, de Arnaldo Schüler, Editora da ULBRA, em 2002

Podemos confirmar, fazendo uma busca da palavra Amen neste Dicionário com o seguinte texto:

https://books.google.pt/books?id=9MIZEhXWJngC&pg=PA39&dq=Amen%2BAm%C3%A9m%2Bbrasil&hl=pt-PT&sa=X&ved=0ahUKEwjaz-_putfKAhVL7hoKHchJAh4Q6AEIQjAE#v=onepage&q=Amen%2BAm%C3%A9m%2Bbrasil&f=false

Aqui já só aparece o Amém e a sua etimologia hebraica de Amen... e até sita o Apocalipse 3,14 com o Amém, que erradamente já foi introduzido em todas as traduções Brasileiras.

É pois bem recente a adulteração e a introdução do Amém no Brasil, algures entre 1983 e 2002, mais ou menos concomitante com a grande expansão e divulgação do Carnaval Carioca, e depois de Nossa Senhora ter avisado o Brasil de que seria atacado pelo comunismo ateu, nas únicas Aparições de Nossa Senhora no Brasil, em 1936, à irmã Adélia, na Guarda, Pesqueira, Pernambuco.

Infelizmente o povo ignorante seguiu, como cabritos a caminho do matadouro, o Amém introduzido sub-repticiamente pela maçonaria. Infelizmente a CEB e a CN foram levadas neste turbilhão maçónico…

Não é por acaso que o único país do mundo que diz Amém, é também aquele que tem mais macumbeiras e macumbeiros, pais e mães de santo, espíritas, seitas protestantes, seitas diabólicas e demais aldrabices infernais, violência, prostituição, corrupção, carnavais obscenos e falsas aparições e falsos videntes. Em Portugal quase não existem estes desmandos, e os poucos que existem, foram trazidos recentemente do Brasil, juntamente com as telenovelas da Globo, as mais depravadas do mundo.

 

Não será certamente por acaso que Portugal se manteve fiel ao Amen, comungando com a Igreja Universal e os restantes países europeus fiéis à Igreja Apostólica Romana, depois de ter resistido heroicamente à maçonaria com a implantação da relespública em 1910. Logo a seguir, foi agraciado por Nossa Senhora e as Suas Aparições em Fátima, em 1917.

 

 

Quem souber ouvir que oiça. Quem quiser ser fiel à Igreja, que diga forte e em bom som o AMEN universal da Igreja Católica, Apostólica, Romana.

Quem quiser ajudar o Brasil, em espírito de unidade e de Paz, que volte ao tradicional AMEN, e milagres serão operados!

É imperativo e ponto de partida voltar ao AMEN tradicional, para pôr um fim ao domínio de Satanás sobre o Povo Brasileiro!

 

AS ORAÇÕES MAIS PODEROSAS DA IGREJA

 

Não pretendo ser exaustivo, e por isso, só vou apresentar as Orações mais importantes na vida dos Católicos, e falar um pouco do que é mais importante em cada uma delas.

 

 

 

() Sinal da Cruz

É com o Sinal da Cruz que começamos todas as Orações e todos os Sacramentos.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amen.

 

Como se Benzer

 

É também com o Sinal da Cruz que terminamos todas as Orações.

Deve ser também feito o Sinal da Cruz antes de todas as refeições, pedindo que o alimento seja por Deus Abençoado e como acção de Graças por Deus no-lo dar. É também um testemunho de que somos cristãos, quando nos Benzemos, quer na nossa casa quer em locais públicos.

É também com o Sinal da Cruz que os Sacerdotes abençoam o Povo, em nome da Santíssima Trindade.

 

Papa João Paulo II a dar a Bênção

Para o católico que se Benze, isto é, faz o Sinal da Cruz sobre si próprio, faz um acto de Fé e reforça a sua adesão a Deus, Uno e Trino.

A Cruz é feita com a mão direita, de cima para baixo, da testa ao peito, e da esquerda para a direita, de ombro a ombro, com lentidão, com atenção, com profunda reverência e consciência de que nos estamos a colocar na presença de Deus.

Os Ortodoxos benzem-se fazendo o braço horizontal da Cruz, da direita para a esquerda.

O Sinal da Cruz é muito usado em conjunto com a Persignação no início das Orações.

 

Como não se Benzer

Se não me engano, foi nas Revelações do Padre Octávio Michelini que li, que há uma maneira de nos benzermos que agrada particularmente ao diabo - Fazer uma cruz muito rapidamente, sem dizer nada e sem pensar em nada, tipo um tique ou estertor. É o chamado benzer-se à futebolista quando entra em campo.

 

O Sinal da Cruz em Latim

In nonime Patris, et Filii, et Spiritus Sancti. Amen.

 

 

 

() Persignação

É com a Persignação precedida e seguida do Sinal da Cruz que devemos começar todas as Orações.

Pelo Sinal da Ê Santa Cruz,

livre-nos Deus Ê Nosso Senhor,

dos nossos Ê inimigos.

 

Como se Persignar

 

 

Papa Bento XVI a se Persignar

A Persignação é o acto de fazer três pequenas Cruzes com o polegar da mão direita. Uma na testa, outra na boca e outra no peito, de cima para baixo, e da esquerda para a direita, com lentidão, com atenção, com profunda reverência e consciência de que nos estamos a colocar na presença de Deus.

A Persignação é muito usada em conjunto com o Sinal da Cruz no início das Orações. Também é sempre feita antes da leitura do Evangelho, durante a Santa Missa, mas nesse momento com uma intenção diferente, sobre a testa para que o Evangelho penetre na nossa mente, sobre a boca para que possamos proclamá-lo e sobre o peito para que ele fique no nosso coração,

 

Como não se Persignar

Se não me engano, foi nas Revelações do Padre Octávio Michelini que li, que há uma maneira de nos persignar que agrada particularmente ao diabo - Fazer as três cruzes muito rapidamente, sem dizer nada e sem pensar em nada, tipo um tique ou estretor.

 

A Persignação em Latim

Per signum Ê crucis, de inimicis Ê nostris, libera nos Deus Ê noster.

 

 

 () Eucaristia

A participação na Santa Missa, ou Eucaristia, é a forma mais perfeita de Oração.

A Eucaristia é a Celebração da Última Ceia com a Renovação incruenta da Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Este Sacramento só é celebrado na Igreja Católica e Ortodoxa.

Os simulacros feitos nas igrejas protestantes, não têm qualquer valor, pois não têm a Consagração das Espécies que se transubstanciam no Corpo e Sangue de Jesus Cristo. Por isso, para os protestantes não é mais do que um encontro simbólico da última ceia de Jesus.

Sobre o Valor da Santa Missa, chegou-me às mãos uma Pagela feita em Belo Horizonte, com alguns pequenos ensinamentos de alguns grandes Santos:

 

1 - Na hora da morte, as Missas a que houveres assistido, serão a tua maior consolação.

Um dos fins da Santa Missa é alcançar para ti o perdão dos teus pecados. Em cada Missa, podes diminuir a pena temporal devido aos teus pecados, pena essa que será diminuída à proporção do teu fervor.

Assistindo com devoção à Santa Missa, prestas a maior das honras à Santa Humanidade de JESUS CRISTO. Ele se compadece de muitas das tuas negligências e omissões. Perdoa-te os pecados veniais não confessados, dos quais, porém, te arrependes; preserva-te de muitos perigos e desgraças que te abateriam.

Diminui o império de satanás sobre ti mesmo. Sufraga as Almas do Purgatório da melhor maneira possível. Uma só Missa que houveres assistido em vida, será mais salutar que muitas a que os outros assistirão por ti depois da morte.

Será ratificada no Céu a bênção, que do Sacerdote recebes na Santa Missa. (Santo Agostinho)

 

2 - O martírio não é nada em comparação com a Santa Missa. Pelo martírio, o homem oferece a DEUS a sua vida; na Santa Missa porém, D EUS dá o seu Corpo e o seu Sangue em sacrifício para os homens.

Se o homem reconhecesse devidamente esse mistério, morreria de amor.

A Eucaristia é o milagre supremo do SALVADOR; é o dom soberano do Seu amor. (São Tomás de Aquino)

 

3 -Todas as Missas têm um valor infinito, pois são celebradas pelo próprio JESUS CRISTO, com uma devoção e amor acima do entendimento dos Anjos e dos homens, constituindo o meio mais eficaz, que nos deixou Nosso Senhor JESUS CRISTO, para a salvação da humanidade. (Santa Mectildes)

 

4 - Fica sabendo, ó cristão, que mais se merece assistir devotamente uma só Missa (na igreja), do que distribuir todas as riquezas aos pobres e peregrinar toda a Terra. (São Bernardo de Claraval)

 

 

5 - Nenhuma língua humana pode exprimir os frutos de graças, que atrai o oferecimento do Santo Sacrifício da Missa. (São Lourenço)

 

6 - Agradeçamos, pois, ao Divino SALVADOR por ter nos deixado este meio infalível de atrair sobre nós as ondas da divina misericórdia.

A Santa Missa é uma embaixada à SANTISSIMA TRINDADE, de inestimável valor; é o próprio FILHO de DEUS que a oferece. (São João Vianney, o Cura D'Ars)

 

7 - A Santa Missa é o presente mais precioso e mais agradável que podemos oferecer à SANTISSIMATRINDADE; vale mais que o Céu e a Terra: vale o próprio DEUS. (Ven. Martinho de Cochem)

 

8 - Sinto-me abrasado de amor até o mais íntimo do coração pelo santo e admirável Sacramento da Santa Missa e deslumbrado por essa clemência tão caridosa de Nosso SENHOR, a ponto de considerar grave falta, para quem, podendo assistir a uma Missa, não o faz. (São Francisco de Assis)

 

9 - Nosso Senhor JESUS CRISTO nos concede tudo o que Lhe pedimos na Santa Missa; e o que mais vale é que nos dá ainda o que nem sequer cogitamos pedir-Lhe e que, entretanto, nos é necessário.

Cada Santa Missa a que assistires, alcançar-te-á, no Céu, maior grau de glória. (São Jerónimo)

 

10 - A Santa Missa é a obra na qual DEUS coloca sob os nossos olhos todo o amor que Ele nos tem; é de certo modo, a síntese de todos os benefícios que Ele nos faz.

(São Boaventura)

Para a participação da Eucaristia deve ser consultado um Missal Católico, onde estão contidas todas as leituras correspondentes a cada dia do ano, bem como as Festividades, os Tempos e os Anos Litúrgicos, e são indicadas as atitudes que se devem tomar durante as diversas partes que a constituem.

A Eucaristia só é completa quando se toma em Estado de Graça a Sagrada Comunhão, na boca e se possível de joelhos.

Para ler sobre a Comunhão sacrílega na mão, ler na Amen a seguinte página:

 O Flagelo sacrílego da Comunhão na mão

A Comunhão é o ponto alto da Santa Missa, pois é o momento em Jesus entra no nosso corpo, dando-se como alimento para a nossa alma, e um diálogo mais eficaz pode se estabelecer entre nós e Deus. Na Comunhão, possuímos a Deus, como se nos encontrássemos com Ele, pessoalmente, de uma forma sensível aos nosso sentidos. A presença é real, pois Jesus está verdadeiramente presente nas Espécies do Pão e do Vinho Consagrados, nas quais se dá a transubstanciação. Este encontro é o mais alto que podemos desejar nas nossas vidas, mas no entanto, muitas das vezes não temos plena consciência. Para termos uma pequena noção da importância de um encontro com Jesus, recordemos o que se passava com São José nas primeiras vezes em que ele pegou ao colo no menino Jesus.

Mística Cidade de Deus, de Sor Maria de Jesus de Agreda

505. A primeira vez que o santo Esposo recebeu o Menino Deus nos braços, disse-lhe Maria santíssima: Esposo e amparo meu, recebei em vossos braços o Criador do céu e da terra e gozai de sua amável companhia e doçura; e tenha meu Senhor e Deus sua delícias (Prov 8,31) em vosso carinho. Tomai o tesouro do eterno Pai e participai do benefício da linhagem humana.

O fidelíssimo Esposo, compreendendo sua nova felicidade, humilhou-se até a terra, e respondeu: Senhora e Rainha do mundo, minha esposa, como eu, indigno, me atreverei a ter em meus braços o mesmo Deus em cuja presença tremem as colunas do céu (Job 26,11)? Como este vil vermezinho terá coragem de aceitar tão insigne favor? Sou pó e cinza (Gn 18,27), mas vós, Senhora, supri minha insuficiência e pedi à sua Alteza me olhe com clemência e me disponha com sua graça.

506. Entre o desejo de receber o Menino Deus e o temor reverenciai que o detinha, fez o santo Esposo heróicos actos de amor, fé, humildade e profunda reverência. Cheio de emoção, de joelhos, o recebeu das mãos da Mãe santíssima, derramando copiosas e doces lágrimas de alegria tão singular quanto o benefício que gozava. O Menino Deus o olhou com semblante carinhoso e ao mesmo tempo o renovou interiormente com tão divinos efeitos, que é impossível explicar com palavras. Fez o santo Esposo novos cânticos de louvor por se encontrar enriquecido com tão magníficos favores. Depois de seu espírito ter gozado, por algum tempo, os dulcíssimos efeitos de ter nas mãos o mesmo Senhor, que nas suas sustenta os céus e a terra (Is 40,12; 48,13), o devolveu à feliz Mãe, estando ambos de joelhos. Era com esta reverência que sempre o davam e recebiam um do outro. Antes de o tomarem, faziam três genuflexões, beijando a terra, com heróicos actos de humildade, culto e reverência.

Esta reverência que São José tinha para com o menino Jesus, devia ser a mesma com que nós nos aproximamos e recebemos a Comunhão, pois é o mesmo Jesus, que nós recebemos na Sagrada Eucaristia, e que permanece connosco o tempo que duram as espécies.

Para melhor percebermos este grandioso mistério, vou abri um pequeno parênteses para explicar o que se passa com a Consagração na Santa Missa, quando o Sacerdote toma, nas suas mãos consagradas, a Hóstia e o Vinho, e os transforma no Corpo e Sangue de Jesus Cristo. Este foi o Poder que Jesus deu aos Apóstolos na Última Ceia e que eles transmitiram aos Sacerdotes da Igreja Católica, através do Sacramento da Ordem.

Na Eucaristia encontramos dois aspectos a ter em consideração - As Espécies e a Substância

Espécies

As Espécies, também denominadas de Acidentes, são a matéria de que são formados o pão e o vinho. Estas Espécies, antes e depois da Consagração mantêm-se inalteráveis.

Substância

A Substância do pão, antes da Consagração, é pão. A Substância do vinho, antes da Consagração, é vinho. Com as Palavras da Consagração e pelo Poder que Deus concedeu ao Sacerdote, Seu Ministro e representante durante a Missa, a Substância do pão passa a ser Corpo de Jesus Cristo. O mesmo se passa com o vinho, cuja Substância se altera, para passar a ser o Sangue de Jesus Cristo.

Fica assim explicado o que se passa na Consagração durante a Santa Missa, em que se dá a Transubstanciação, ou seja, a transformação de uma Substância noutra, do pão em Carne, do vinho em Sangue, mas em que as Espécies não sofrem alteração. A espécie pão continua a ser pão, mas a sua Substância se transforma em Carne de Jesus. O mesmo se passa com o vinho.

Está definido na Catecismo da Igreja Católica (CIC 1377) que este grandioso Milagre da Transubstanciação se mantém só enquanto persistem as espécies, ou seja, enquanto a hóstia mantém as suas características físicas e não se dissolve na saliva e é engolida.

Por isso, a presença Real de Jesus dentro de nós, só dura uns minutos, durante os quais devemos estar em profunda Adoração a Deus. Maior encontro do que este não pode haver. Falta-nos, na maioria dos casos, ganhar maior e mais profunda consciência, e agirmos de acordo com tão Sublime Mistério e Grandioso Sacramento.

Ver CIC a partir do Nº 1322 sobre a Santa Missa ou Sacramento da Eucaristia

http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p2s2cap1_1210-1419_po.html#ARTIGO_3_

Ver CIC a partir do Nº 1373 a 1381 sobre as Espécies e a Presença Real de Jesus na Eucaristia.

Ganhando uma sólida consciência do valor da Comunhão, facilmente concluímos que uma Missa sem a Comunhão em nada se pode assemelhar a uma Missa em que Comungamos nas devidas condições. Jesus torna-se Verdadeiro Alimento para a nossa Alma. Mas atenção, porque se porventura alguém comungar em pecado mortal, então come e bebe a sua própria condenação. (1Cor 11,29)

Para ajudar o homem a acreditar neste tão maravilhoso e poderoso Sacramento, deus permitiu ao longo da história que se verificassem alguns Milagres Eucarísticos, em que para a além da Transformação da Substância, também se modificaram as Espécies. O mais conhecido destes Milagres Eucarísticos é o Milagre de Lanciano que pode ler na Amen no seguinte endereço:

http://www.amen-etm.org/Milagre3.htm

A Eucaristia é obrigatória em todos os Domingos do ano, e nos dias Santos de Guarda, sob pena de pecado mortal, o que impossibilita o acesso à Comunhão, sem prévia Confissão Sacramental com um sacerdote Católico. Para a Comunhão, deve-se verificar o jejum eucarístico, de pelo menos 1 hora.

A Eucaristia deve ser participada sempre numa Igreja ou Capela, salvo nas excepções previstos no Direito canónico, em caso de impossibilidade de deslocação, por idade, doença ou alguma outra incapacidade.

Há a possibilidade de Comunhão Espiritual no caso de não se estar em Estado de Graça.

A Liturgia da Eucaristia deve ser seguida rigorosamente pelo Sacerdote Celebrante, como está prescrito pela Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos. Aprofundar este assunto no site do Vaticano:

http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/ccdds/index_po.htm

 

Missa celebrada pelo Papa Bento XVI

 

Todas as irregularidades verificadas pelos fiéis na Celebração da Santa Missa devem ser comunicadas com caridade ao sacerdote celebrante. Se ele persistir, deverá ser comunicado ao seu Bispo Diocesano.

Infelizmente, pela importância que este Sacramento tem dentro da vida eclesial, também é muito atacado pelo demónio, e por isso, podem-se encontrar muitas irregularidades cometidas, quer pelos celebrantes quer pelos leigos e pelos acólitos.

Das irregularidades mais frequentes que se podem detectar são:

Irregularidades Por parte do Celebrante:

- Não haver um Crucifixo em cima e ao centro do altar, voltado para o Sacerdote. Isto foi decretado pelo Papa Bento XVI em Janeiro de 2011. Ler Documento do Vaticano sobre o Crucifixo no Altar.

- Haver flores em cima do Altar. Estão desaconselhadas pela Instrução geral do Missal Romano - 305. Ler Documento do Vaticano sobre flores no Altar

- Homilias muito longas e que não abordam o Evangelho do dia. Foi aconselhado pelo Arcebispo Malcom Ranjith Patabendige da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos que não deve ultrapassar 10 minutos e que deve incidir sobre o Evangelho.

- Usar a fórmula “O Senhor esteja connosco” em vez da correcta: “O Senhor esteja convosco”. Infelizmente este erro litúrgico é comum, pois há sacerdotes pouco instruídos no Rigor Litúrgico que gostam de “fazer média com o pessoal da assembleia”, e acabam por deturpar os princípios básico em que se funda a Liturgia Sagrada. Quando o Sacerdote está no Altar, fala na qualidade de ministro de Jesus Cristo, e por isso, no Missal Romano está a fórmula correcta a usar pelo Sacerdote: “O Senhor esteja convosco”.

Toda a mudança do Texto da Liturgia, consignada no Missal Romano, é uma deturpação com um grau de gravidade igual para todas as invenções introduzidas por ignorância e orgulho de alguns maus sacerdotes.

- Não proceder ao Lavabo antes da Consagração.

- Não seguir rigorosamente o texto Litúrgico do Missal Romano. Não podem ser inventadas fórmulas alternativas ou sinónimas.

- Permitir as leituras do dia serem feitas por mulheres. Está estipulado no Código de Direito Canónico que as leituras devem ser feitas por leigos do sexo masculino. (CDC Cân. 230 - §1)

- Permitir que mulheres ou jovens do sexo feminino assumam funções de acólitos. Está estipulado no Código de Direito Canónico que essas funções devem ser sempre executadas por leigo varão. (CDC Cân. 230 - §1)

- Permitir a distribuição da Comunhão por leigos ministros da Comunhão. Está definido no Código de Direito Canónico que a distribuição da Comunhão só poderá ser feita por ministros da Comunhão na falta de um sacerdote. Ora no caso da Missa, não é essa a situação. Infelizmente é muito frequente assistir a esta prática. (CDC Cân. 230 - §3)

- Permitir que Ministros da Comunhão se dêem a si próprios a Comunhão e muito menos que comunguem nas duas Espécies. Está estipulado, pela Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, que só os Sacerdotes concelebrantes podem tomar pelas suas próprias mãos a Comunhão. Quando houver a prática irregular de recurso a ministros extraordinários da Comunhão, estes devem receber na boca a Espécie Sagrada dada pelo Sacerdote. Os leigos e mesmo os ministros extraordinários da comunhão estão proibidos de se auto-servirem da Hóstia Sagrada e muito menos receberem pelas suas próprias mãos as duas espécies, molhando a Hóstia no Vinho. Esta prática é Sacrílega.

- Na distribuição da Sagrada Comunhão não ser usada uma bandeja para evitar que Partículas Consagradas caiam no chão.

- Não permitir que os leigos Comunguem de joelhos ou na boca. Se bem que a comunhão deva ser tomada sempre na boca e de preferência de Joelhos, está estipulado que o sacerdote está obrigado a dar a Comunhão da forma que for requisitada pelo comungante.

- Distribuir a Sagrada Comunhão na mão dos leigos, numa diocese para a qual não tenha sido expressamente concedida autorização pelo Vaticano, em resposta a um pedido formalizado pelo respectivo Bispo.

Para ler sobre a Comunhão sacrílega na mão, ler na Amen a seguinte página:

 O Flagelo sacrílego da Comunhão na mão

- De alguma forma não zelar pelo rigoroso cumprimento das normas decretadas para a Celebração da Sagrada Eucaristia.

 

Download do Código de Direito Canónico

 

Irregularidades por parte dos Acólitos:

- O acesso ao Altar durante a Liturgia Eucarística está vedado a mulheres e jovens do sexo feminino. Está definido no Código do Direito Canónico. (CDC Cân. 230 - §1)

- Estarem desatentos e sempre a se mexerem provoca distracção nos participantes da Santa Missa.

 

Irregularidades por parte dos Leitores:

- As Leituras na Liturgia da Palavra estão vedadas a mulheres e jovens do sexo feminino. Está definido no Código do Direito Canónico que devem ser leigos do sexo masculino. (CDC Cân. 230 - §1)

 

Irregularidades por parte dos leigos:

- Não cumprirem as normas estabelecidas no Missal, no que diz respeito a tomar a atitude respectiva a cada uma das partes da Celebração Eucarística, de pé, de joelhos ou sentada.

- Seguir as normas rigorosamente quanto à Comunhão. Se porventura não comungarem na boca, nunca se afastar com a Hóstia na mão. Se receberem na mão por algum motivo de força maior, fazê-lo como está prescrito - receber na mão esquerda a Hóstia e com dois dedos da mão direita levá-la à boca, tomando todo o cuidado para que não se soltem partículas.

- Levar e permitir que crianças de pouca idade façam barulho e interfiram com a Celebração, provocando a desatenção das pessoas.

 

 

 

() Adoração ao Santíssimo Sacramento

A Adoração é o estarmos de corpo, alma e espírito na presença Real de Jesus Cristo. É prestar Adoração a Jesus, presente na Hóstia Consagrada, em Corpo, Alma e Divindade. Quando está Jesus presente na Eucaristia, também está toda a Corte celeste, com a Virgem Maria, Anjos e Santos, a Adorá-lo.

Daqui decorre ser a Adoração o local e o momento ideais para conversarmos com Deus, com a Virgem Maria, com os Anjos e Santos. A Adoração é o local ideal para ouvirmos, no mais íntimo do nosso coração, o que Deus tem para nos dizer. É ali que podemos receber de forma mais eficaz o Amor, a Luz, a Sabedoria Divinas e as outras virtudes que nos são dispensadas para nossa Salvação.

No silêncio e recolhimento da Adoração, é que se pode dar o mais prolongado dos encontros com Deus. O mais forte poderá ser na Comunhão, mas como a presença real na Hóstia só dura enquanto persistem as Sagradas Espécies, na Adoração, pode-se prolongar essa Presença, essa companhia e esse diálogo por muito mais tempo.

 

Santíssimo Exposto

 

Há Orações adequadas para serem rezadas durante a Adoração e que nos foram dadas em Fátima pelo Anjo de Portugal:

Oração do Anjo de Portugal:

"Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, adoro-vos profundamente e ofereço-vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da Terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores”.

Jaculatória do Anjo de Portugal:

“Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam".

Os Pastorinhos de Fátima passavam horas a rezar estas Orações.

Esta Presença Real de Jesus na Eucaristia já foi comprovada em vários Milagres Eucarísticos, nomeadamente em Lanciano.

 

 

Milagre Eucarístico de Lanciano em Itália

 

Para ler mais sobre o Milagre Eucarístico de Lanciano, ver a seguinte página da Amen:

http://www.amen-etm.org/Milagre3.htm

 

Bênção do Santíssimo Sacramento

Bendito Seja Deus.

Bendito o Seu Santo Nome.

Bendito Jesus Cristo, Verdadeiro Deus e Verdadeiro Homem.

Bendito a Nome de Jesus.

Bendito o Seu Sacratíssimo Coração.

Bendito a Seu Preciosíssimo Sangue.

Bendito Jesus no Santíssimo Sacramento do altar.

Bendito o Espírito Santo Paráclito.

Bendito a Excelsa Mãe de Deus, Maria Santíssima,

Bendito a Sua Santa e Imaculada Conceição.

Bendita a Sua Gloriosa Assunção.

Bendito o Nome de Maria, Virgem e Mãe.

Bendito S. José, Seu castíssimo esposo.

Bendito Deus, nos Seus Anjos e nos Seus Santos.

Amen.

 

Tantum ergo

Tantum ergo

Sacraméntum venerémur cérnui,

Et antíquum documéntum novo cedat rítui.

Præstetfides suppleméntum sénsuum deféctui.

Genitori, Genitoque

Laus et iubilatio,

Salus, honor, virtus quoque

Sit et benedictio:

Procedenti ab utroque

Compar sit laudatio.

Amen.

 

 

 

 () Credo

No Credo está resumida toda a nossa Fé com os seus principais Dogmas. Também é conhecido como a Profissão da Fé Católica.

Para ler mais no Catecismo da Igreja Católica, ver: CIC 199 e seguintes, ou a seguinte página do Vaticano:

http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p1s2c1_198-421_po.html

 

A Última Ceia de Jesus com os Apóstolos

Há dois Credos: O Símbolo dos Apóstolos e o Credo de Niceia.

O Símbolo dos Apóstolos é o mais antigo e foi composto ainda na época Apostólica e era o professado pelos catecúmenos que iam ser baptizados.

O Credo de Niceia, como o próprio nome o diz, foi composto no Concílio de Niceia em 325 da Era Cristã.

O Símbolo dos Apóstolos

Creio em Deus, Pai todo-poderoso, Criador do Céu e da Terra;

e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; 

nasceu da Virgem Maria;

padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; 

desceu aos infernos; 

ressuscitou ao terceiro dia; 

subiu aos Céus; 

está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, de onde há-de vir a julgar os vivos e os mortos.

Creio no Espírito Santo;

na santa Igreja Católica; 

na comunhão dos Santos;

na remissão dos pecados; 

na ressurreição da carne;

na vida eterna. 

Amen.

 

Credo de Niceia.

Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do Céu e da Terra, 

de todas as coisas visíveis e invisíveis.

Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigénito de Deus,

nascido do Pai antes de todos os séculos:

Deus de Deus, luz da luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; 

gerado, não criado, consubstancial ao Pai. 

Por Ele todas as coisas foram feitas. 

E por nós, homens, e para nossa salvação desceu dos Céus.

E encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, e Se fez homem.

Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; 

padeceu e foi sepultado.

Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; 

e subiu aos Céus, onde está sentado à direita do Pai. 

De novo há-de vir em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; 

e o seu Reino não terá fim.

Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; 

e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: 

Ele que falou pelos profetas.

Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica.

Professo um só Baptismo para remissão dos pecados. 

E espero a ressurreição dos mortos, e a vida do mundo que há-de vir. Amen.

 

SÍMBOLO DOS APÓSTOLOS

CREDO DE NICEIA–CONSTANTINOPLA

Creio em Deus, Pai todo-poderoso,
Criador do Céu e da Terra;

Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, 
Criador do Céu e da Terra, 
de todas as coisas visíveis e invisíveis.

e em Jesus Cristo, seu único Filho,
nosso Senhor,

Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, 
Filho Unigénito de Deus,
 nascido do Pai antes de todos os séculos:
Deus de Deus, luz da luz, 
Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; 
gerado, não criado, consubstancial ao Pai. 
Por Ele todas as coisas foram feitas. 
E por nós, homens, e para nossa salvação 
desceu dos Céus.

que foi concebido pelo poder 
do Espírito Santo; 
nasceu da Virgem Maria;

E encarnou pelo Espírito Santo,
 no seio da Virgem Maria, 
e Se fez homem.

padeceu sob Pôncio Pilatos, 
foi crucificado, morto e sepultado; 
desceu aos infernos; 


ressuscitou ao terceiro dia; 
subiu aos Céus; 
está sentado à direita de Deus Pai 
todo-poderoso,

de onde há-de vir a julgar os vivos e os mortos.

Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; 
padeceu e foi sepultado.

Ressuscitou ao terceiro dia, 
conforme as Escrituras; 
e subiu aos Céus, onde está sentado 
à direita do Pai. 
De novo há-de vir em sua glória, 
para julgar os vivos e os mortos; 
e o seu Reino não terá fim.

Creio no Espírito Santo;

Creio no Espírito Santo, 
Senhor que dá a vida, 
e procede do Pai e do Filho; 
e com o Pai e o Filho é adorado 
e glorificado: 
Ele que falou pelos profetas.

na santa Igreja Católica; 
na comunhão dos Santos;

Creio na Igreja una, santa, 
católica e apostólica.

na remissão dos pecados; 
na ressurreição da carne;
na vida eterna. 
Amen

Professo um só Baptismo 
para remissão dos pecados. 
E espero a ressurreição dos mortos, 
e a vida do mundo que há-de vir. 
Amen.

http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p1s1c3_142-184_po.html

 

 

() Acto de Contrição

Depois de ter feito um exame de Consciência e no fim do Confissão, devemos rezar o Acto de Contrição, sentido e com a firme determinação de não voltar a cair nos mesmos pecados.

 

O Confiteor rezado durante a Missa:

Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos,

que pequei muitas vezes, por pensamentos e palavras, actos e omissões,

por minha culpa, minha tão grande culpa.

E peço à Virgem Maria, aos anjos e santos e a vós, irmãos,

que rogueis por mim a Deus nosso Senhor.

Amen.

Confissão Sacramental

 

Acto de Contrição

Meu Deus, porque sois infinitamente bom,

eu Vos amo de todo o meu coração,

pesa-me de Vos ter ofendido,

e, com o auxílio da vossa divina Graça,

proponho firmemente emendar-me

e nunca mais Vos tornar a ofender.

Peço e espero o perdão das minhas culpas,

pela vossa infinita Misericórdia.

Amen.

 

 

 

 

 () Pai Nosso

O Pai Nosso é a oração por excelência, pois nos foi ensinada pelo próprio Jesus. É a Oração Dominical. Esta Oração chega-nos através de 2 Evangelistas, com versões ligeiramente diferentes na sua extensão. A de São Lucas é mais breve. A de São Mateus foi a adoptada pela tradição da Igreja:

Versão Litúrgica do Pai Nosso

Pai Nosso, que estais nos Céus,

santificado seja o Vosso Nome,

venha a nós o Vosso Reino,

seja feita a Vossa Vontade, assim na Terra como no Céu.

O pão nosso de cada dia nos dai hoje,

perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos

a quem nos tem ofendido,

e não nos deixeis cair em tentação,

mas livrai-nos do mal.

Amen.

Deus - Pai, Filho e Espírito Santo

 

 

As duas versões dos Evangelhos

 

Mateus 6, 9-13  (7 petições)

Lucas 11, 2-4  (5 petições)

Pai Nosso, que estais nos Céus,

Pai,

santificado seja o vosso nome,

santificado seja o vosso nome,

venha a nós o vosso Reino,

venha o vosso Reino,

seja feita a vossa Vontade, assim na Terra como no Céu.

 

O pão nosso de cada dia nos dai hoje,

dai-nos hoje o pão necessário ao nosso sustento,

perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos

perdoai-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos

a quem nos tem ofendido,

àqueles que nos ofenderam,

e não nos deixeis cair em tentação,

e não nos deixeis cair em tentação.

mas livrai-nos do mal.

 

 

 

Tal a importância do Pai Nosso, que é com esta Oração que termina o Catecismo da Igreja Católica, explicando cada uma das palavras nele contida. Pode ler no CIC 2759-2865, ou no endereço seguinte:

http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p4s2_2759-2865_po.html

 

Esta Oração termina com “Amen”, palavra acrescentada ao texto evangélico, tal como determinado no Catecismo da Igreja Católica no seu número 2856.

CIC 2856

 «Depois, acabada a oração, dizes: Amen, corroborando com esta palavra, que significa «Assim seja», o conteúdo desta oração que Deus nos ensinou».

Só o Pai Nosso rezado durante a celebração na Santa Missa, não leva o Amen no fim, pois a oração continua.

Como não rezar o Pai Nosso

O Pai Nosso e a Avé Maria são as duas orações mais rezadas pela comunidade Católica, por isso a sua oração reveste-se de uma importância especial. Bastaria a recomendação que fiz acima, quanto à necessidade de rezar com humildade e rigor todas as orações tal como definidas liturgicamente, mas há muita gente, mesmo sacerdotes, que reza mal estas duas orações, quase que inconscientemente. Mas, infelizmente, fazem-no, porque as papagueiam, e não as rezam com o coração… Com esse acto, para além de comprovarem que não rezam pensando em cada palavra que proferem, muitas das vezes são autênticos atestados de ignorância que reproduzem dia após dia.

Vou apontar os erros mais comuns na oração do Pai Nosso, sem referir o tratar Deus Pai por tu:

Pai Nosso, que estais no céu,

santificado seja o vosso nome,

venha a nós o vosso Reino,

seja feita a vossa vontade, assim na Terra como no Céu.

O pão nosso de cada dia nos dais hoje,

perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoámos

a quem nos tem ofendido,

e não nos deixeis cair na tentação,

mas livrai-nos do mal.

-.      (o mais grave é o de não dizer o Amen, pois infringe o nº 2856 do Catecismo)

O ERRO maior e mais divulgado, mesmo no meio sacerdotal, é o de não se dizer o Amen no fim do Pai Nosso. Não só é uma perda enorme de força na oração do Pai Nosso, como é também uma demonstração flagrante de ignorância!

 

O Pai Nosso em Latim - PATER NOSTER

 

Pater noster qui es in caelis,

sanctificétur nomen tuum,

adveéniat regnum tuum,

fiat volúntas tua,

sicut in caelo, et in terra.

Panem nostrum cotidiánum da nobis hódié,

et dimítte nobis débita nostra,

sicut et nos dimíttimus debitóribus nostris,

et ne nos indúcas in tentatiónem,

sed líbera nos a malo.

Amen.

 

 () Oração ao Espírito Santo

Invocação do Espírito Santo (Jaculatória) (Versão Litúrgica mais divulgada na Igreja)

Vinde Espírito Santo. Enchei os corações dos Vossos fiéis, acendei neles o fogo do Vosso amor. Enviai Senhor o Vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da Terra.

Descida do Espírito pela poderosa intercessão da Virgem Maria,

Sua Amadíssima Esposa, no Cenáculo de Jerusalém.

 

Invocação do Espírito Santo (Jaculatória)  (Versão mais divulgada nos Cenáculos Marianos, especialmente os do Padre Gobbi)

Vinde Espírito Santo, vinde por meio da poderosa intercessão do Imaculado Coração de Maria, Vossa Amadíssima Esposa. (Normalmente repete-se três vezes)

 

 

 

() Avé Maria

A Avé Maria é a Oração mais rezada dentro da Igreja Católica, pois é o fulcro do Rosário.

Esta belíssima oração de louvor à Virgem Maria e a Jesus, consta essencialmente de 2 partes:

1ª parte - As palavras do Arcanjo São Gabriel na Anunciação e as de Santa Isabel na Visitação,

    Lucas 1,28  (Anunciação)

    28 Entrando, o anjo disse-lhe: Avé, cheia de graça, o Senhor é contigo.

Anunciação da Virgem Maria pelo Arcanjo São Gabriel

    Lucas 1,42  (Visitação)

    42 E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre.

Visitação da Virgem Maria a Santa Isabel

2ª parte - Pedido de intercessão da Virgem Maria em nosso favor.

 

Versão Litúrgica da Avé Maria

Avé Maria, Cheia de Graça,

o Senhor é conVosco.

Bendita sois Vós entre as mulheres

e Bendito é o fruto do Vosso Ventre, Jesus.

Santa Maria, Mãe de Deus,

rogai por nós pecadores,

agora e na hora da nossa morte.

Amen.

 

Como não rezar a Avé Maria

A Avé Maria é de longe a oração mais rezada pela comunidade Católica, por isso a sua oração reveste-se de uma importância especial. Bastaria a recomendação que fiz acima, quanto à necessidade de rezar com humildade e rigor todas as orações tal como definidas liturgicamente, mas há muita gente, mesmo sacerdotes, que reza mal esta oração, quase que inconscientemente. Mas, infelizmente, fazem-no, porque a papagueiam, e não a rezam com o coração… Com esse acto, para além de comprovarem que não rezam pensando em cada palavra que proferem, muitas das vezes são autênticos atestados de ignorância que reproduzem dia após dia.

Vou apontar os erros mais comuns na oração da Avé Maria, por ser rezada às pressas e, por isso, com distorções fonéticas muito feias.

Avé Maria, Cheia de Graça,

o Senhor é convosco.

Bendita sois vós entrias mulheres

e Benditió fruto do Vosso Ventre, Jesus.  ou  e Benditó fruto ( - ) Vosso Ventre Jesus. (sem “do”)

Santa Maria, Mãe de Deus,

rogai por nós pecadores,

agora e nora da nossa morte.

Amen.

Esta oração é de tal maneira bela e poderosa, que deve ser ensinada e todos e rezada muito cuidadosamente, e com todo o rigor litúrgico, gramatical e fonético. Se for rezada com o coração, desaparecem os erros, pois os erros apontados só decorrem de ser rezada às pressas e papagueada, sem se ligar ao seu conteúdo. Assim sendo, fica o diabo a bater palmas, e quem a reza, sem fruto algum!

Avé Maria em Latim - Ave Maria

Ave Maria, gratia plena, Dominus tecum.

Benedicta tu in mulieribus et benedictus fructus ventris tui Jesu.

Sancta Maria, Mater Dei, ora pro nobis peccatoribus,

nunc et in hora mortis nostrae.

Amen.

Avé Maria em Italiano

Avè Maria piena di grazia, il Signore è con te.

Tu sei benedetta tra le donne

e benedetto è il frutto del tuo seno Gesù.

Santa Maria, Madre di Dio, prega per noi peccatori,

adesso e nell'ora della nostra morte.

Amen

Avé Maria em Espanhol

Dios te salve María llena eres de Gracia, el Señor es contigo.

Bendita eres entre todas las mujeres

y bendito es el fruto de tu vientre Jesús.

Santa María, Madre de Dios, ruega por nosotros los pecadores

ahora y en la hora de nuestra muerte.

Amen.

Avé Maria em Francês

Je vous salue, Marie pleine de grâce, le Seigneur est avec vous.

Vous êtes bénie entre toutes les femmes et Jésus,

le fruit de vos entrailles, est béni.

Sainte Marie, Mère de Dieu, priez pour nous, pauvres pécheurs,

maintenant et à l'heure de notre mort.

Amen.

Avé Maria em Inglês

Hail Mary, full of grace, The Lord is with thee.

Blessed art thou among women and

blessed is the fruit of thy womb, Jesus.

Holy Mary, Mother of God, pray for us sinners now and

at the hour of our death.

Amen.

Avé Maria em Alemão

Gegrüßet seist du, Maria, voll der Gnade, der Herr ist mit dir.

Du bist gebenedeit unter den Frauen,

und gebenedeit ist die Frucht deines Leibes, Jesus.

Heilige Maria, Mutter Gottes, bitte für uns Sünder jetz tund in der

Stunde unseres Todes.

Amen.

Avé Maria em Bósnio - Medjugorje   (se estiver errada, agradeço que me corrijam)

Sveta Marijo, milosti puna,

Gospod je s tobom.

Blagoslovena među ženama,

blagoslovljen plod utrobe tvoje, Isus.

Sveta Marijo, Majko Božja,

moli za nas grešnike,

sada i na času smrti naše.

Amen.

Avé Maria em Polaco   (se estiver errada, agradeço que me corrijam)

Zdrowaś Maryjo, łaski pełna,

Pan z Tobą.

Błogosławionaś Ty między niewiastami

i błogosławiony owoc żywota Twojego, Jezus.

Święta Maryjo, Matko Boża,

módl się za nami grzesznymi,

teraz iw godzinę śmierci naszej.

Amen.

 

 

 

 

() Avé Maria com a Chama de Amor

Avé Maria, cheia de Graça! O Senhor é convosco. Bendita sois Vós entre as mulheres e Bendito é o fruto do Vosso Ventre: Jesus!

Santa Maria, Mãe de Deus! Rogai por nós pecadores, e derramai sobre a humanidade inteira a plenitude das Graças da Vossa Chama de Amor, agora e na hora da nossa morte. Amen!

"Chama de Amor do Imaculado Coração de Maria"

Extractos do livro "Chama de Amor do Imaculado Coração de Maria"

Revelações da Virgem Maria a Isabel Kindelmann

(Edição da Associação Cultural Tudo Instaurar em Cristo)

 

Estas são, entre outras, as Promessas da Virgem Maria:

Página 56:

- "Quem rezar 3 Avé-Marias apelando para a Chama de Amor do Meu Imaculado Coração, liberta uma alma do Purgatório. Quem rezar uma Avé-Maria no mês de Novembro apelando para a Chama de Amor liberta 10 almas do Purgatório".

Página 32:

Um dia em que Isabel Kindelmann ficou fechada dentro da capela, depois da missa vespertina, e rezava a Avé Maria com a Chama de Amor, a Virgem disse-lhe:

- "Filhinha, quero agora recompensar os teus desejos e a tua compaixão. Até agora, rezavas três Avé Marias em Minha honra, para que fosse libertada uma alma do Purgatório. Doravante, para que os teus veementes anseios sejam saciados, serão libertadas dez almas do lugar de expiação".

Perante tanta bondade e misericórdia, vieram as lágrimas aos olhos de Isabel.

Página 47:

Os inimigos da Minha Chama de Amor

- "Recordas o que já te disse? Tal como nas ruas de Belém procurei abrigo na companhia de S. José, procuro-o agora para a minha Chama de Amor. Estamos a fugir ao ódio de Herodes.

Sabes quem serão os seus perseguidores? Os cobardes! Os que temem fazer sacrifícios, os que vêem perigos em tudo, os que sabem tudo melhor que os outros e os que só encontram objecções no seu espírito medíocre.

Esses ameaçam a minha Chama de Amor, como outrora Herodes ameaçou o inocente Menino Jesus. Mas tal como o Pai Celeste protegeu o Menino Jesus naquela ocasião, também protegerá agora a Minha Chama de Amor. O Pai Celeste cuidará dela".

Estas palavras da Santíssima Virgem eram tão comovedoras como nunca tinha sentido. Tinha a sensação de que Ela é a Rainha, a Poderosa Imperatriz do Mundo, diante da qual a humanidade se prostrará arrependida, de joelhos.

Depois de alguns minutos de silêncio, fez-se ouvir outra vez no meu íntimo:

- "Escuta, Minha filha, eu preparo-vos e conduzo-vos para cima, para a Pátria Eterna, que o Meu Divino Filho conquistou para vós, ao preço de incomensuráveis sofrimentos".

Nunca ouvira a Santíssima Virgem falar deste modo.

A Sua voz estava cheia de majestade, poder e firmeza.

Não encontro palavras para descrever a impressão que me fizeram, a admiração que sentia e o tremor com que A escutava. Após alguns minuto de silêncio, falou-me de maneira bem diferente, como Mãe, como é Seu costume, com muito carinho e doçura!

- "Não temas, confia no Meu Poder de Mãe".

À medida que as almas vão saindo do Purgatório, vêm se juntando à nossa oração e, mal chegadas ao Céu, de imediato começam a interceder por nós, pela nossa família e por todos, de uma forma poderosa.

 

 

 

 

() Glória

O Glória é uma oração de Louvor à Santíssima Trindade e usada em praticamente todos os momentos de Oração. No tempo pré- conciliar Vaticano II rezava-se com “e pelos séculos dos séculos”, mas quase já foi abolido em português, continuando no entanto muita gente ainda a manter aquela fórmula. No latim, mantém-se, quer na fórmula rezada, quer na cantada.

Versão Litúrgica do Glória

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,

assim como era no princípio, agora e sempre

(e pelos séculos dos séculos).

Amen.

Glória em Latim

Gloria Patri, et Filio, et Spiritui sancto.

Sicut erat in principio, et nunc, et semper

et in saecula saeculorum.

Amen.

 

Adoração da Santíssima Trindade

 

Glória - Versão rezada na Eucaristia

Glória a Deus nas alturas!

E paz na Terra aos homens por Ele amados:

nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos,

nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos,

nós Vos damos graças por vossa imensa glória.

Senhor Deus, Rei do céu, Deus Pai todo-poderoso,

Senhor Filho único, Jesus Cristo,

Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai.

Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.

Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica.

Vós que estais sentado à direita do Pai, tende piedade de nós,

Porque só Vós sois o Santo,

só Vós sois o Senhor,

só Vós sois o Altíssimo, Jesus Cristo,

com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai.

Amen.

 

 

 

() Crux Ave (Jaculatória)

 

"Oh! Crux Ave, spes unica et Verbum caro factum est".

Tradução - Oh! Avé Cruz, nossa única esperança. E o Verbo se fez carne.

 

 

 

() Salvé Rainha

A Salvé Rainha é uma oração de louvor e pedido de intercessão à Virgem Maria, rezada sempre no fim do Rosário, quer na sua forma oral quer cantada. Quando se canta, normalmente é em Latim, sendo traço de união entre povos e idiomas da Igreja católica.

Há ligeiríssimas diferenças entre alguma versões da Salvé Rainha que se podem encontrar em diferentes Missais e Livros de Orações, mais ou menos antigos, e nomeadamente em termos de extensão com a versão Latina.

Penso que seja de se uniformizar a forma de rezar a Salvé Rainha, adoptando a fórmula erudita, ou seja, a que corresponde a uma sã e louvável evolução desta belíssima oração através dos tempos. Adoptando a fórmula erudita, que se encontra na maioria dos manuais de oração, estaremos também a prestar maior culto à Virgem Maria e a pugnar pela Verdade e Rigor da Liturgia.

 

Coroação da Virgem Maria Rainha do Universo

 

Salvé Rainha - (versão erudita e correcta)

Salvé, Rainha, Mãe de Misericórdia!

Vida, doçura e esperança nossa, salvé!

A Vós bradamos os degredados filhos de Eva.

A Vós suspiramos, gemendo e chorando

neste vale de lágrimas.

Eia, pois, advogada nossa,

esses Vossos olhos misericordiosos a nós volvei.

E depois deste desterro nos mostrai a Jesus,

bendito fruto do Vosso ventre,

Ó clemente, ó piedosa,

ó doce sempre Virgem Maria

Rogai por nós Santa Mãe de Deus.

Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Amen.

 

Salvé Rainha em Latim

Salve, Regína, Mater misericórdiæ,

vita, dulcédo et spes nostra, salve.

Ad te clamámus, éxsules filii Evæ.

Ad te suspirámus geméntes et flentes

in hac lacrimárum valle.

Eia ergo, advocáta nostra,

illos tuos misericórdes óculos ad nos convérte.

Et Iesum benedíctum fructum ventris tui,

nobis, posi hoc exsílium, osténde.

O clemens, o pia, o dulcis Virgo María!

Amen.

 

Pequeno Historial da Salvé Rainha

A Salvé Rainha original era um longo cântico, cuja criação é atribuído a Frei Hermano Contracto, por volta de 1050, no mosteiro de Reichenan, na Alemanha, numa época de grandes tribulações para o povo de Deus, em que ele clama pelo auxílio da Virgem Maria, Mãe de Deus, tecendo-lhe um belíssimo hino de louvor, que acompanha as preces que Lhe dirige. Esta oração recebeu de imediato um esplêndido e enorme acolhimento por parte de toda a Igreja.

Mas a Salvé Rainha que nos chegou até os nossos dias, teve a colaboração de um outro grande santo mariano, São Bernardo de Claraval, o mesmo que escreveu as Regras da Ordem dos Templários e a oração Memorare.

Um século mais tarde, quando a Salvé Rainha foi cantada na catedral de Espira, lá se encontrava São Bernardo, que foi um dos primeiros a chamá-lA de "Nossa Senhora". Reza a história que foi nesse dia e lugar que, ao terminar o cântico da "Salvé Rainha", cujas últimas palavras eram "mostrai-nos a Jesus, o bendito fruto do Vosso ventre", no meio de um profundo silêncio que se lhe seguiu, São Bernardo levanta-se, enlevado de amores pela Virgem Maria, e brada em alta voz no meio da catedral:

"Ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria".

A partir desse momento, este clamor foi incorporado à "Salvé Rainha" original.

 

Imaculada Conceição

Dos Livros de Oração e Missais pré conciliares Vaticano II que consultei, encontrei 2 exemplos que vou apresentar a seguir.

Salvé Rainha original - Missal Romano de 1862

Este é o Texto completo original da Salvé Rainha, composto por Frei Contracto, do qual foi extraído a versão actual.

  

Texto Original da Salvé Rainha

 

Salvé Rainha pré conciliar Vaticano II, Missal Romano Quotidiano de 1932, Monsenhor Freitas Barros

Este é o Texto correcto da Salvé Rainha, antes das adulterações introduzidas por ignorância ou maldade.

 

A Salvé Rainha de 1932 - Texto Correcto

 

A Salvé rainha sempre foi muito usada pelos monges, antes de adormecerem e de uma forma muito eficaz, para que o seu sono fosse protegido pela Virgem Maria.

Como não rezar a Salvé Rainha

O que se deve evitar na oração da Salvé Rainha é:

1 - Não se deve dizer “degradados” em vez de “degredados”, já que nós estamos no degredo ou exílio, pois o nosso Reino é o Céu para onde peregrinamos.

2 - Não se deve dizer “nos mostrai Jesus”, mas sim “nos mostrai a Jesus”. Se meditarmos um pouco nas duas fórmulas, concluímos facilmente que o correcto é sermos levados à presença de Jesus para Ele nos ver, e não o contrário.

3 - Não se deve dizer “doce Virgem Maria”, em vez de “doce sempre Virgem Maria”, pois o “sempre reforça o dogma, e como vimos, na oração original e na fórmula antiga, lá se encontrava o “sempre Virgem”. O retirar o “sempre” é uma tentativa de diminuir o mérito da Virgindade, concedido pela Santíssima Trindade à Virgem Maria, antes, durante e depois do parto.

 

 

 

() Regina Caeli

Durante o Tempo Pascal, nos Cânticos Litúrgicos, a Regina Caeli substitui a Salve Regina e a oração do Angelus.

Rainha dos Céus

Rainha dos Céus, alegrai-Vos. Aleluia!

Porque Aquele que merecestes trazer em Vosso seio. Aleluia!

Ressuscitou como disse. Aleluia! Rogai por nós a Deus. Aleluia!

Alegrai-vos e exultai, ó Virgem Maria. Aleluia!

Porque o Senhor ressuscitou, verdadeiramente. Aleluia!

Oremos.

Ó Deus, que enchestes o mundo de alegria com a ressurreição do Vosso Filho,

nosso Senhor Jesus Cristo, concedei, nós Vo-lo pedimos, que pela intercessão da Virgem Maria,

Sua Mãe, alcancemos as alegrias da vida eterna.

Por Cristo, Senhor nosso.

Amen

 

Regína Cæli em Latim

Regína Cæli lætáre, Allelúia.

Quia quelli merúisti portáre, Allelúia.

Resurréxit, sicut dixit, Allelúia.

Ora pro nobis Deum, Allelúia.

Gaude et lætáre, Virgo María, Allelúia.

Quia surréxit Dominus vere, Allelúia.

Orémus.

Deus, qui per resurrectiónem Filii tui Dómini nostri Iesu Christi mundum lætificáre dignátus es,

præsta, quǽsumus, ut per eius Genetrícem Virginem Maríam perpétuæ capiámus gáudia vitæ.

Per Christum Dóminum nostrum.

Amen.

 

 

 

() Magnificat

 

Magnificat

A minha alma glorifica o Senhor

e o meu Espírito se alegra em Deus, meu Salvador.

Porque pôs os olhos na humildade da Sua serva:

de hoje em diante Me chamarão Bem Aventurada

todas as gerações.

O Todo Poderoso fez em mim maravilhas:

Santo é o Seu nome.

A sua Misericórdia se estende de geração em geração

sobre aqueles que O temem.

Manifestou o poder do Seu braço

e dispersou os soberbos.

Derrubou os poderosos de seu trono

e exaltou os humildes.

Aos famintos encheu de bens

e aos ricos despediu de mãos vazias.

Acolheu a Israel Seu servo

lembrado da sua misericórdia

como tinha prometido a nossos pais,

a Abraão e à sua descendência para sempre.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo,

como era no princípio agora e sempre.

Amen.

 

Magnificat em Latim

Magníficat ánima mea Dóminum,

et exsultávit spíritus meus in Deo salvatóre meo,

quia respéxit humilitátem ancíllæ suæ.

Ecce enim ex hoc beátam me dicent omnes generatiónes,

quia fecit mihi magna, qui potens est,

et sanctum nomen eius,

et misericórdia eius in progénies

et progénies timéntibus eum.

Fecit poténtiam in bráchio suo,

dispérsit supérbos mente cordis sui;

depósuit poténtes de sede et exaltávit húmiles.

Esuriéntes implévit bonis et divites dimisit inanes.

Suscépit Ísrael púerum suum,

recordátus misericórdiæ,

sicut locútus est ad patres nostros,

Àbraham et sémini eius in sǽcula.

Glória Patri et Fílio et Spirítui Sancto.

Sicut erat in princípio, et nunc et semper,

et in sǽcula sæculórum.

Amen.

 

A Virgem Maria reza o Magnificat em casa de Santa Isabel

 

Santa Isabel, na presença do seu Deus, que a Virgem Maria carregava no seu puríssimo ventre, congratulou-se por aquela visita, que provocou ainda no seu seio materno a purificação de São João Baptista, o qual saltou de júbilo no seu ventre, e saudou a Virgem Maria com aquelas palavras que serviram de início à oração “Avé Maria”. O Magnificat, é a oração com que a Virgem Maria louvou o Senhor Seu Deus, envolta em Amor e Humildade, depois de ouvir a saudação de sua prima Santa Isabel, quando a foi visitar na cidade de Judá.

Lucas 1,46-55

46 Maria disse, então: A minha alma glorifica o Senhor 47 e o meu Espírito se alegra em Deus, meu Salvador.

48 Porque pôs os olhos na humildade da sua serva: de hoje em diante Me chamarão Bem Aventurada todas as gerações.

49 O Todo Poderoso fez em mim maravilhas: Santo é o Seu nome.

50 A sua Misericórdia se estende de geração em geração sobre aqueles que O temem.

51 Manifestou o poder do Seu braço e dispersou os soberbos.

52 Derrubou os poderosos de seu trono e exaltou os humildes.

53 Aos famintos encheu de bens e aos ricos despediu de mãos vazias.

54 Acolheu a Israel Seu servo lembrado da sua misericórdia 55 como tinha prometido a nossos pais, a Abraão e à sua descendência para sempre.

 

 

 

 

() Oh meu Jesus   (Jaculatória)

 

Oh meu Jesus

Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno;

e levai as almas todas para o Céu, principalmente as que mais precisarem.

Na Aparição de Nossa Senhora aos pastorinhos de Fátima, a de 13 de Julho de 1917, Ela disse-lhes:

“Quando rezais o terço, dizei depois de cada mistério:

Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno; levai as almas todas para o Céu, principalmente as que mais precisarem”.

Nossa Senhora ensinou-nos, desta maneira, a pedirmos perdão a Deus pelos nossos pecados, a suplicarmos pela nossa salvação e intercedermos pelas almas que estão no Purgatório, especialmente por aquelas que estão mais abandonadas, por não terem quem reze por elas.

Nas próprias Memórias da irmã Lúcia aparece esta oração com ligeiras diferenças, mas com o sentido rigorosamente igual, e por isso ambas são aceitáveis. Numa vem: “principalmente as que mais precisarem” e na outra “principalmente aquelas que mais precisarem”. Outra das diferenças, é de dizer “alminhas” em vez de “almas”.

 

Aparição de Nossa Senhora em Fátima

Assim sendo, proponho a forma oral e mais comummente aceite pelo povo, mais melodiosa e com sentido rigorosamente idêntico, de se rezar esta oração tão singela que o Céu nos ensinou, e que para o Céu volta na linguagem simples do povo que a reza, passados quase cem anos da sua aprendizagem e adaptação linguística:

Para ler mais sobre as Aparições de Nossa Senhora em Fátima, ler a seguinte Página da Amen, em que é descrita uma das 8 Grandes Aparições da Virgem Maria na Terra.

http://www.amen-etm.org/MensagemdaVirgemMariaemFatima.htm

 

 

 

 

() Oh Maria concebida sem pecado   (Jaculatória)

Oh Maria concebida sem pecado

Ó Maria concebida sem pecado, 

rogai por nós que recorremos a Vós.

 

Esta oração foi dada por Nossa Senhora a Santa Catherine Labouré nas Aparições da Rue du Bac, em Paris em 27 de Novembro de 1830, 2ª Aparição, em que também ofereceu ao mundo a Medalha Milagrosa.

 

Catherine Labouré aos pés da

Virgem Maria na Rue du Bac

 

Esta oração também figura no braço principal do altar da Capela daquele convento.

 

Capela da Rue du Bac em Paris

 

Para ler mais sobre as Aparições de Nossa Senhora a Catherine Labouré, na Rue du Bac em Paris, ler a seguinte Página da Amen, em que é descrita uma das 8 Grandes Aparições da Virgem Maria na Terra.

http://www.amen-etm.org/MensagensdaVirgemMariaemRueDuBac.htm

 

 

 

() Oferecimento do dia

Ofereço-Vos oh Meu Deus,

em união com Jesus

e através da Virgem Maria,

todos os trabalhos e canseiras,

todos os sofrimentos e alegrias deste dia,

em reparação de todas as ofensas que Vos são feitas,

pela conversão dos pecadores,

pela Paz no mundo,

pelos nossos governantes,

pelo Santo Padre e todos os Sacerdotes.

Totus tuus ego sum, et omnia mea tua sunt.

Amen.

 

 

 

 

() Ângelus

 

Angelus

O Anjo do Senhor anunciou a Maria.

E Ela concebeu do Espírito Santo.

Avé Maria, Cheia de Graça, o Senhor é convosco. Bendita sois Vós entre as mulheres e Bendito é o fruto do Vosso Ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte. Amen.

Eis aqui a serva do Senhor.

Faça-se em mim segundo a vossa palavra.

Avé Maria, Cheia de Graça, o Senhor é convosco. Bendita sois Vós entre as mulheres e Bendito é o fruto do Vosso Ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte. Amen.

E o Verbo de Deus se fez carne.

E habitou entre nós.

Avé Maria, Cheia de Graça, o Senhor é convosco. Bendita sois Vós entre as mulheres e Bendito é o fruto do Vosso Ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte. Amen.

Rogai por nós, Santa Mãe de Deus.

Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Oremos: Infundi, Senhor, a Vossa Graça em nossas almas para que, conhecendo pela anunciação do Anjo a encarnação de Vosso Filho Jesus Cristo, cheguemos por Sua Paixão e morte na cruz, à glória da ressurreição.

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, que é Deus convosco, na unidade do Espírito Santo. Amen.

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, como era no princípio, agora e sempre, por todos os séculos dos séculos. Amen. 

 

Anunciação e Encarnação do Verbo

 

Angelus em Latim

Angelus Domini nuntiavit Mariæ.

Et concepit de Spiritu Sancto.

Ave Maria, gratia plena, Dominus tecum. Benedicta tu in mulieribus, et benedictus fructus ventris tui, Iesus.
Sancta Maria, Mater Dei, ora pro nobis peccatoribus, nunc et in hora mortis nostræ. Amen.

Ecce Ancilla Domini.

Fiat mihi secundum Verbum tuum.

Ave Maria…

Et Verbum caro factum est.

Et habitavit in nobis.

Ave Maria…

Ora pro nobis, Sancta Dei Genetrix.

Ut digni efficiamur promissionibus Christi.

Oremus: Gratiam tuam quæsumus, Domine, mentibus nostris infunde; ut qui, angelo nuntiante, Christi Filii tui Incarnationem cognovimus, per passionem eius et crucem, ad resurrectionis gloriam perducamur.
Per eumdem Christum Dominum nostrum. Amen.

Esta oração é rezada diária e universalmente por toda a comunidade Católica, ao meio dia, e com ênfase, na Praça de São Pedro pelo Papa, aos Domingos. No Tempo Pascal é substituída pela Regina Caeli.

 

Angelus com o Papa na Praça de São Pedro

 

O Angelus recorda a Anunciação do Arcanjo São Gabriel à Virgem Maria e a Encarnação do Verbo de Deus, que pelo Poder do Espírito Santo se faz Homem, para ser a sua cabeça e redimi-lo.

 

 

 

() Memorare

Lembrai-Vos

Lembrai-Vos, oh piíssima Virgem Maria,

que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que têm recorrido à Vossa protecção,

implorado a Vossa assistência e reclamado o Vosso socorro fosse por Vós desamparado.

Animado eu, pois, de igual confiança, a Vós, Virgem, entre todas singular, como a Mãe recorro;

de Vós me valho; e, gemendo sob o peso dos meus pecados, me prostro a Vossos pés.

Não desprezeis as minhas súplicas, oh Mãe do Filho de Deus Humanado,

mas dignai-Vos ouvir-me, propícia, e me alcançar o que Vos rogo.

Amen.

 

Memorare em Latim

Memoráre, o piíssima Virgo María,

non esse auditum a sǽculo, quemquam ad tua curréntem præsidia,

tua implorántem auxilia, tua peténtem suffrágia, esse derelíctum.

Ego tali animátus confidéntia, ad te, Virgo Virginum,

Mater, curro, ad te vénio, coram te gemens peccator assisto.

Noli, Mater Verbi, verba mea despícere; sed áudi propitia et exáudi.

Amen.

Nossa Senhora fala com São Bernardo

Esta oração foi escrita por São Bernardo de Claraval, também por isso conhecida pela Oração de São Bernardo. Foi este Santo Mariano que começou a tratar a Virgem Maria por “Nossa Senhora”. Foi ele que também que escreveu a Regra da Ordem dos Templários. Foi São Bernardo que introduziu a última parte da Salvé Rainha, em Espira.

Há ligeiríssimas diferenças na oração do Lembrai-Vos, mas todas com o mesmo sentido…

 

 

 

() Oração a São Miguel Arcanjo

São Miguel Arcanjo

São Miguel Arcanjo, defendei-nos neste combate;

sede o nosso auxílio contra as maldades e ciladas do demónio.

Instante e humildemente vos pedimos que Deus sobre ele impere,

e vós, Príncipe da milícia Celeste, com esse Poder Divino,

precipitai no inferno a satanás e aos outros espíritos malignos,

que vagueiam pelo mundo para perdição das almas!

Amen!

 

São Miguel Arcanjo em Latim

 Sancte Michael Archangele, defende nos in prælio;

contra nequitiam et insidias diaboli esto præsidium.

Imperet illi Deus, supplices deprecamur: tuque,

Princeps militiæ cælestis,

Satanam aliosque spiritus malignos,

qui ad perditionem animarum pervagantur in mundo,

divina virtute in infernum detrude.

Amen.


O Arcanjo São Miguel derrotando Lúcifer

 

O Arcanjo São Miguel é o Príncipe das Milícias Celestes e foi quem precipitou Lúcifer e os outros anjos caídos no inferno. Pela sua humildade, Deus tornou-o poderoso contra as investidas dos demónios. São Miguel é também o Anjo de Portugal, o Anjo da Paz, que apareceu em Fátima aos pastorinhos e os preparou para as Aparições da sua Rainha, a Virgem Maria.

Foi o Arcanjo São Miguel que na luta travada nos Céus, bradou alto: “Quem como Deus!”, e expulsou os anjos rebeldes, precipitando-os nas cavernas profundas da Terra, onde fica o inferno.

Nos momentos difíceis das nossas lutas contra o inferno, é importante rezarmos ao Glorioso Arcanjo São Miguel, pedindo a sua ajuda e defesa!

 

 

() Oração ao Anjo da Guarda

 

Anjo da Guarda

Augusta Rainha dos Céus

Santo Anjo do Senhor,

meu zeloso guardador,

pois que a ti me confiou a Piedade Divina,

hoje e sempre me governa, rege, guarda e ilumina.

Amen.

 

Augusta Rainha dos Céus, soberana mestra dos Anjos,
Vós que, desde o princípio, recebestes de Deus
o poder e a missão de esmagar a cabeça de satanás,
nós Vo-lo pedimos humildemente,
enviai vossas legiões celestes para que,
sob vossas ordens, e por Vosso poder,
elas persigam os demónios, combatendo-os por toda a parte,
reprimindo-lhes a insolência, e lançando-os no abismo.
Quem é como Deus?
Ó Mãe de bondade e ternura,
Vós sereis sempre o nosso Amor e a nossa Esperança.
Ó Mãe Divina,
enviai os Santos Anjos para nos defenderem,
e repeli para longe de nós o cruel inimigo.
Santos Anjos e Arcanjos,
defendei-nos e guardai-nos.

Amen.

 

Quando é criada a nossa alma e insuflada no nosso corpo, é-nos dado um Anjo da Guarda, que nos acompanha toda a nossa vida, protegendo-nos dos ataques do demónio e de todos os perigos que possam surgir.

Quando a Virgem Maria foi criada, obedecendo ao Plano que Deus tinha desde sempre traçado, foram-lhE atribuídos 1000 Anjos da Guarda.

A sua intervenção no entanto só se dá, quando por nós é pedida. Por isso, é muito importante que lhe rezemos em todas as situações. Devemos estar sempre em diálogo e união com os nossos Anjos da Guarda, pois são criaturas espirituais, poderosos e cheios da glória que partilham com Deus.

O Padre Otávio Michelini, que tal como São Padre Pio e Santa Gema Galgani, falava com o seu Anjo da Guarda, dizia que se nós víssemos um Anjo com toda a sua glória, certamente pensaríamos que de Deus se tratava.

 

 

 

() Terço do Rosário

Mistérios do Rosário

Forma de rezar o Terço  

O Poder do Rosário

 

O Rosário é um poderoso conjunto de orações e de momentos de contemplação, que o tornam uma Oração eficaz pela conversão dos pecadores, para serem alcançadas Graças Divinas, e é também uma Arma Poderosa para combater o demónio.

O Terço, como normalmente o designamos em português, é uma terça parte do Rosário completo. O Terço em português, é o sinónimo de Rosário noutras línguas.

A prática da oração do Rosário é atribuída a São Domingos de Gusmão, que através do seu uso, alcançou magníficas conversões e enormes resultados na mudança de vida naqueles com quem rezava.

O Rosário consta de momentos de Contemplação dos Mistérios da Vida de Jesus Cristo e da Virgem Maria, intercalados com a oração do Pai Nosso, de 10 Avé Marias e o Glória, a que se podem juntar outras jaculatórias.

Dado o Poder do Rosário, Nossa Senhora nas Aparições de Fátima, pediu que rezássemos o Terço todos os dias.

 

Terço do Rosário

Nas Aparições de Fátima Nossa Senhora disse:

“Quando rezais o terço, dizei depois de cada mistério:

Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno; levai as almas todas para o Céu, principalmente as que mais precisarem”.

Na mesma Aparição, Nossa Senhora acrescentou aos Pastorinhos:

“Antes de fazerem qualquer sacrifício rezem assim:

«Ó Jesus, é por Vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria»!”

A contemplação da Vida de Jesus e da Virgem Maria faz-se, hoje em dia, dividida em quatro grupos a que chamamos simplesmente de Mistérios do Rosário:

Mistérios do Rosário

Mistérios Gozosos - Encarnação e vida do Menino Jesus

1º - Anunciação da Virgem Maria pelo Arcanjo São Gabriel

2º - Visitação da Virgem Maria a sua prima Santa Isabel

3º - Nascimento de Jesus na Gruta de Belém

4º - Apresentação de Jesus no Templo

5º - Reencontro de Jesus no Templo entre os Doutores da Lei

Mistérios Luminosos - Vida pública de Jesus

1º - Baptismo de Jesus nas águas do rio Jordão

2º - Bodas de Caná e primeiro milagre de Jesus

3º - Pregação da Boa Nova do Reino e o convite à conversão

4º - Transfiguração de Jesus no Monte Tabor

5º - Última Ceia e instituição da Eucaristia

Mistérios Dolorosos - Paixão e morte de Jesus

1º - A agonia de Jesus no Horto das Oliveiras

2º - Flagelação de Jesus

3º - Coroação de espinhos de Jesus

4º - Jesus carrega a Cruz a caminho do Calvário

5º - Crucifixão e Morte de Jesus na Cruz

 

Mistérios Gloriosos - Ressurreição e Vida da Virgem Maria

1º - Ressurreição de Jesus

2º - Gloriosa Ascensão de Jesus aos Céus

3º - Descida do Espírito Santo por intercessão da Virgem Maria

4º - Assunção da Virgem Maria em corpo e alma

5º - Coroação da Virgem Maria Rainha do Universo

 

Terço na Capelinha das Aparições de Fátima

Forma de rezar o Terço

No início do Terço benzemo-nos, persignamo-nos e benzemo-nos. (5 cruzes pelas 5 Chagas de Cristo)

Rezamos ao Espírito Santo.

É habitual rezar o Credo, Símbolo dos Apóstolos.

Oferecemos o Terço pelas Intenções do Imaculado Coração de Maria e apresentamos as nossas intenções pessoais.

Depois de contemplar cada um dos cinco Mistérios, reza-se o Pai Nosso, 10 Avé Marias, o Glória, Oh Maria Concebida sem Pecado, Oh meu Jesus.

A seguir ao último Mistério, rezam-se 3 Avé Marias em honra da Pureza de Nossa Senhora e em Acção de Graças por Deus Pai nos ter dado uma tão Boa e Santa Mãe.

No fim, reza-se a Salvé Rainha.

Para concluir e ganhar as Indulgências e Graças prometidas, reza-se o Pai Nosso, Avé Maria e Glória pelo Papa e pelas suas intenções.

O Terço, nas condições adequadas pode dar uma Indulgência Plenária por dia.

O Poder do Rosário

A força do Rosário está em que é uma oração simples e humilde, e por isso poderosa para combater o orgulho de satanás. A única arma eficaz para combater o orgulho e vaidade de satanás é a humildade dos que seguem a Maria com dois estandartes erguidos bem alto:

- O Rosário numa mão e

- A Cruz na outra.

O rezar o Rosário com a contemplação dos mistérios da vida de Cristo dá força e perseverança, conduz à paz interior, aumenta a fé, sedimenta conhecimento e sabedoria divina, conquista graças para quem reza, transforma-se em poderosa arma contra as forças do mal, dá louvores a Deus e à Virgem Maria, acorrenta e imobiliza satanás e os espíritos malignos que vagueiam pelo mundo para perder as almas, e por fim alcançará a vitória definitiva do Bem sobre o mal e lançará definitivamente lúcifer e os seus espíritos malignos no inferno.

 

Padre Gobbi num Cenáculo

 

Lembremos o ensinamento de Nossa Senhora na Sua mensagem ao Padre Gobbi de 7 de Outubro de 1992, em Blumenfeld na, Alemanha:

 

Mensagem de Nossa Senhora ao Padre Gobbi a 7 de Outubro de 1992, Blumenfeld, Alemanha

Festa de Nossa Senhora do Rosário

O anjo com a chave e a corrente

"Vós me venerais como Nossa Senhora do Santo Rosário.

O Rosário é a minha oração; é a oração que Eu vim do céu para vos pedir, porque é a arma que deveis usar nestes tempos da grande batalha e é o sinal da minha segura vitória".

...

"A minha vitória se cumprirá quando satanás, com o seu poderoso exército de todos os espíritos infernais, for preso dentro do seu reino de trevas e de morte, de onde não poderá mais sair para causar dano ao mundo.

Para isso deve descer do céu um Anjo, a quem é dada a chave do abismo e uma corrente com a qual amarrará o grande dragão, a antiga serpente, satanás, com todos os seus seguidores.

O Anjo é um espírito que é enviado por Deus para executar uma missão particular.

Eu sou a Rainha dos Anjos porque faz parte do meu próprio desígnio ser enviada pelo Senhor para executar a maior e mais importante missão de vencer satanás.

De facto, já desde o princípio sou preanunciada como aquela que é inimiga da serpente, aquela que luta contra ela, aquela que no fim lhe esmagará a cabeça.

"Porei inimizade entre ti e a Mulher, entre a tua descendência e a dela. Ela te esmagará a cabeça, enquanto tentarás morder o seu calcanhar."

A minha descendência é Cristo.

N'Ele, que realizou a Redenção e vos libertou da escravidão de satanás, se realiza a minha completa vitória.

Por isso a Mim é confiada a chave com a qual é possível abrir e fechar a porta do abismo.

A chave é o símbolo do poder que tem aquele que é senhor e dono de um lugar que Ihe pertence.

Neste sentido aquele que possui a chave de toda a criação é somente o Verbo Encarnado, porque tudo foi feito por meio d'Ele e por isso Jesus Cristo é o Senhor e Rei de todo o universo, isto é, do céu, da terra e do abismo.

Somente o meu filho Jesus possui a chave do abismo, porque Ele próprio é a Chave de David, que abre e ninguém fecha, que fecha e ninguém abre.

Jesus entrega esta, chave que representa o seu divino poder, nas minhas mãos porque a Mim, como sua Mãe, medianeira entre vós e meu Filho, foi confiada a tarefa de vencer satanás e todo o seu poderoso exército do mal.

É com esta chave que Eu posso abrir e fechar a porta do abismo.

A corrente, com a qual o grande dragão deve ser amarrado é formada pela oração feita comigo e por meio de Mim.

Esta oração é a do Santo Rosário.

Uma corrente, de facto, tem a função de primeiro limitar a acção, em seguida de aprisionar e, por fim, de tornar vã toda a acção daquele que é amarrado por ela.

— A corrente do Santo Rosário tem antes de tudo a função de limitar a acção do meu adversário.

Cada Rosário que recitais comigo tem como efeito restringir a acção do maligno, subtrair as almas do seu influxo maléfico e dar maior força à expansão do bem na vida de muitos de meus filhos.

— A corrente do Santo Rosário tem também o efeito de aprisionar satanás, isto é, tornar impotente a sua acção e diminuir e enfraquecer sempre mais a força do seu diabólico poder.

Por isso, cada Rosário bem rezado é um duro golpe dado contra as forças do mal, é uma parte do seu reino que é demolida.

— A corrente do Santo Rosário obtém, enfim, o resultado de tornar satanás completamente inofensivo.

O seu grande poder é destruído.

Todos os espíritos malignos são precipitados no lago de fogo e enxofre, a porta é fechada por Mim, com a chave do poder de Cristo, e assim não mais poderão sair para o mundo para causar dano às almas.

Compreendei agora, meus filhos predilectos, porque nestes últimos tempos da batalha entre Mim, a Mulher vestida de sol, e o grande dragão, Eu vos peço para multiplicar em toda parte os Cenáculos de oração, com a reza do Santo Rosário, a meditação da minha palavra e a vossa Consagração ao meu Coração Imaculado.

Com isso dais à Mãe Celeste a possibilidade de intervir para prender satanás, e assim cumprir a missão de esmagar-lhe a cabeça, isto é, derrotá-lo para sempre, fechando-o no seu abismo de fogo e enxofre.

A humilde e frágil corda do Santo Rosário forma a forte corrente com a qual tornarei meu prisioneiro o tenebroso dominador do mundo, o inimigo de Deus e dos seus servos fiéis.

Deste modo, ainda uma vez, a soberba de satanás será derrotada pela força dos pequenos, dos humildes, dos pobres.

Enquanto hoje vos anuncio que está próxima essa minha grande vitória, que vos levará à vossa segura libertação, dou-vos o conforto de minha materna presença entre vós e vos abençoo".

A Irmã Lúcia deu uma entrevista a 26 de Dezembro de 1957, ao Padre Agostinho Fuentes, à qual assistiram alguns membros do alto clero, no Convento das Religiosas Carmelitas Descalças de Santa Teresa, em Coimbra, e em em que afirmou:

Extractos da entrevista da  Irmã Lúcia ao Padre Agostinho Fuentes a 26 de Dezembro de 1957

“… A Santíssima Virgem disse que dois eram os últimos remédios que Deus dava ao mundo: o Santo Rosário e o Imaculado Coração de Maria.

… Com o Santo Rosário nos salvaremos, nos santificaremos, consolaremos Nosso Senhor e obteremos a salvação de muitas almas.

… Por isso, o demónio fará todo o possível para nos distrair desta devoção; nos colocará muitos pretextos: cansaço, ocupações etc., para que não rezemos o Santo Rosário.

… O programa de salvação é brevíssimo e fácil, porque com o Santo Rosário praticaremos os Santos Mandamentos, aproveitaremos a frequência dos Sacramentos, procuraremos cumprir perfeitamente nossos deveres de estado e fazer o que Deus quer de cada um de nós.

… Não há problema por mais difícil que seja: seja temporal e, sobretudo, espiritual; seja referente à vida pessoal de cada um de nós ou à vida de nossas famílias, do mundo ou comunidades religiosas, ou à vida dos povos e nações; não há problema, repito, por mais difícil que seja, que não possamos resolver agora com a oração do Santo Rosário.”

 

 

 

() Terço da Divina Misericórdia

O Terço da Divina Misericórdia foi criado pela Santa Irmã Faustina Kovalska por Inspiração Divina, para alcançarmos a Misericórdia de Deus.

De preferência deve ser rezado à 3 horas da tarde, hora em que se celebra a morte de Jesus Cristo e são concedidas maiores Graças que brotam da Chaga do Seu Coração.

 

 

Santa Irmã Faustina Kovalska e Jesus da Divina Misericórdia

 

Forma de rezar o Terço da Divina Misericórdia

No início do Terço benzemo-nos, persignamo-nos e benzemo-nos. (5 cruzes pelas 5 Chagas de Cristo)

Rezamos ao Espírito Santo.

Reza-se o Pai Nosso, Avé Maria e o Credo, Símbolo dos Apóstolos.

Usa-se o Terço Mariano para a oração do Terço da Divina Misericórdia.

Forma de rezar o Terço da Divina Misericórdia

 

A seguir, nas contas grandes (as do Pai-Nosso), reza-se:

Eterno Pai, eu Vos ofereço o Preciosíssimo Corpo e Sangue, Alma e Divindade do Vosso muito amado Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos pecados do mundo inteiro.

Nas contas pequenas (as da Avé-Maria), reza-se:

Pela Sua dolorosa Paixão; Tende Misericórdia de nós e de todo o mundo. (10 vezes).

No final reza-se três vezes:

Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro.

 

 

 

() Terço das Sete Dores da Virgem Maria

Esta oração serve para honrar as Sete Grandes Dores de Nossa Senhora.

 

Nossa Senhora das Dores - Pieta

Início:

No início do Terço benzemo-nos, persignamo-nos e benzemo-nos. (5 cruzes pelas 5 Chagas de Cristo)

Rezamos ao Espírito Santo.

 

D- Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
R- Amen.
D- Nós vos louvamos, Senhor, e vos bendizemos!
R- Porque associastes a Virgem Maria à obra da salvação.
D- Nós contemplamos vossas Dores, oh mãe de Deus!
R- E vos seguimos no caminho da fé!

 

Oração Inicial:

 Virgem Dolorosíssima, seríamos ingratos se não nos esforçássemos em promover a memória e o culto de vossas Dores particulares graças para uma sincera penitência, oportunos auxílios e socorros em todas as necessidades e perigos. Alcançai-nos Senhora, de Vosso Divino Filho, pelos méritos de Vossas Dores e lágrimas, a Graça da Salvação e da Paz no mundo.

 

1ª Dor - Profecia de Simeão, na Apresentação de Jesus no Templo.

 Simeão os abençoou e disse a Maria, sua mãe: Eis que este menino está destinado a ser ocasião de queda e elevação de muitos em Israel e sinal de contradição. Quanto a ti, uma espada te trespassará a alma (Lc 2,34-35).

 1 Pai Nosso; 7 Avé Marias 

 

2ª Dor - Fuga da Sagrada família para o Egipto.

 O anjo do Senhor apareceu em sonho a José e disse: Levanta-te, toma o menino e a mãe, foge para o Egipto e fica lá até que te avise. Pois Herodes vai procurar o menino para matá-lo. Levantando-se, José tomou o menino e a mãe, e partiu para o Egipto (Mt 2,13-14).

 1 Pai Nosso; 7 Avé Marias

 

3ª Dor - A Virgem Maria procura Jesus em Jerusalém.

 Acabados os dias da festa da Páscoa, quando voltaram, o menino Jesus ficou em Jerusalém, sem que os pais o percebessem. Pensando que estivesse na caravana, andaram o caminho de um dia e o procuraram entre parentes e conhecidos. E, não o achando, voltaram a Jerusalém à procura dele (Lc 2,43b-45).

 1 Pai Nosso; 7 Avé Marias

 

4ª Dor - A Virgem Maria encontra Jesus no caminho do Calvário.

 Ao conduzir Jesus, lançaram mão de um certo Simão de Cirene, que vinha do campo, e o encarregaram de levar a cruz atrás de Jesus. Seguia-o grande multidão de povo e de mulheres que batiam no peito e o lamentavam (Lc 23,26-27).

 1 Pai Nosso; 7 Avé Marias

 

5ª Dor - A Virgem Maria aos pés de Jesus, pregado na Cruz.

Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua Mãe, a irmã de sua Mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. Vendo a Mãe e, perto dela, o discípulo a quem amava, disse Jesus para a mãe: Mulher, heis aí o teu filho! Depois disse para o discípulo: Heis aí a tua Mãe! (Jo 19,15-27a).

 1 Pai Nosso; 7 Avé Marias

 

6ª Dor - A Virgem Maria recebe, nos Seus braços, o corpo de Jesus descido da Cruz.

 Chegada a tarde, porque era o dia da Preparação, isto é, a véspera de sábado, veio José de Arimatéia, entrou decidido na casa de Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Pilatos, então, deu o cadáver a José, que retirou o corpo da cruz (Mc 15,42).

 1 Pai Nosso; 7 Avé Marias

 

7ª Dor - A Virgem Maria deposita o corpo de Jesus no santo Sepulcro.

Os discípulos tiraram o corpo de Jesus e envolveram em faixas de linho com aromas, conforme é o costume de sepultar dos judeus. Havia perto do local, onde fora crucificado, um jardim, e no jardim um sepulcro novo onde ninguém ainda fora depositado. Foi ali que puseram Jesus (Jo 19,40-42a).

 1 Pai Nosso; 7 Ave Marias

 

Pequeno Historial

Foi o Papa Pio X que fixou a data definitiva de 15 de Setembro, conservada no novo calendário litúrgico, que mudou o título da festa, reduzida a simples memória: não mais Sete Dores de Maria, mas menos especificadamente e mais oportunamente: Virgem Maria Dolorosa. 

 

As Sete Dores de Nossa Senhora

Nas Revelações a Santa Brígida, Nossa Senhora fez-lhe as seguintes promessas a quem fosse devoto das Suas Dores:

1ª - Porei a paz em suas famílias. 
2ª - Serão iluminados sobre os Divinos Mistérios. 
3ª - Consolá-los-ei em suas penas e acompanhá-los-ei nos seus trabalhos. 
4ª - Conceder-lhes-ei tudo o que me pedirem, contanto que não se oponha à vontade de meu adorável Divino Filho e à santificação de suas almas. 
5ª - Defendê-los-ei nos combates espirituais contra o inimigo infernal e protegê-los-ei em todos os instantes da vida. 
6ª - Assistir-lhes-ei visivelmente no momento da morte e verão o rosto de Sua Mãe Santíssima. 
7ª - Obtive de Meu Filho que, os que propagarem esta devoção (às minhas Lágrimas e Dores) sejam transladados desta vida terrena à felicidade eterna, directamente, pois ser-lhe-ão apagados todos os seus pecados e o Meu filho e Eu seremos a sua eterna consolação e alegria. 

 

Nas Revelações a Santo Afonso Maria de Ligório, Nosso Senhor fez-lhe as seguintes promessas a quem fosse devoto das Dores de Sua Mãe: 

 1ª – Que aquele devoto que invocar a divina Mãe pelos merecimentos de suas dores merecerá fazer antes de sua morte, verdadeira penitência de todos os seus pecados.

2ª - Nosso Senhor Jesus Cristo imprimirá nos seus corações a memória de Sua Paixão dando-lhes depois um competente prémio no Céu. 
3ª - Jesus Cristo guardá-los-á em todas as tribulações em que se acharem, especialmente na hora da morte. 
4ª - Por fim os deixará nas mãos de sua Mãe para que deles disponha a seu agrado, e lhes obtenha todos e quaisquer favores.

 

 

 

() Ladainhas

As Ladainhas são orações de louvor e intercessão. A mais rezada é sem dúvida a Ladainha de Nossa Senhora.

 

 Ladainha de Nossa Senhora. 

Senhor, tende piedade de nós. (Repete-se)
Jesus Cristo, tende piedade de nós. (Repete-se)
Senhor, tende piedade de nós. (Repete-se)

Jesus Cristo, ouvi-nos. (Repete-se)
Jesus Cristo, atendei-nos. (Repete-se)

Pai celeste que sois Deus, tende piedade de nós. 
Filho, Redentor do mundo, que sois Deus, tende piedade de nós. 
Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós. 
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós. 

Santa Maria, rogai por nós. 
Santa Mãe de Deus, rogai por nós. 
Santa Virgem das Virgens, rogai por nós. 

Mãe de Jesus Cristo, rogai por nós. 
Mãe da divina graça, rogai por nós. 
Mãe puríssima, rogai por nós. 
Mãe castíssima, rogai por nós. 
Mãe imaculada, rogai por nós. 
Mãe intacta, rogai por nós. 
Mãe amável, rogai por nós. 
Mãe admirável, rogai por nós. 
Mãe do bom conselho, rogai por nós. 
Mãe do Criador, rogai por nós. 
Mãe do Salvador, rogai por nós. 
Mãe da Igreja, rogai por nós.

Virgem prudentíssima, rogai por nós. 
Virgem venerável, rogai por nós. 
Virgem louvável, rogai por nós. 
Virgem poderosa, rogai por nós. 
Virgem clemente, rogai por nós. 
Virgem fiel, rogai por nós. 

Espelho de justiça, rogai por nós. 
Sede de Sabedoria, rogai por nós. 
Causa da nossa alegria, rogai por nós. 
Vaso espiritual, rogai por nós. 
Vaso honorífico, rogai por nós. 
Vaso insigne de devoção, rogai por nós. 
Rosa mística, rogai por nós. 
Torre de David, rogai por nós. 
Torre de marfim, rogai por nós. 
Casa de ouro, rogai por nós. 
Arca da Aliança, rogai por nós. 
Porta do Céu, rogai por nós. 
Estrela da manhã, rogai por nós.
Saúde dos enfermos, rogai por nós.
Refúgio dos pecadores, rogai por nós. 
Consoladora dos aflitos, rogai por nós. 
Auxílio dos cristãos, rogai por nós. 

Rainha dos anjos, rogai por nós. 
Rainha dos patriarcas, rogai por nós. 
Rainha dos profetas, rogai por nós. 
Rainha dos apóstolos, rogai por nós.
Rainha dos mártires, rogai por nós. 
Rainha dos confessores, rogai por nós. 
Rainha das virgens, rogai por nós. 
Rainha de todos os santos, rogai por nós. 
Rainha concebida sem pecado original, rogai por nós. 
Rainha elevada ao Céu em corpo e alma, rogai por nós. 
Rainha do sacratíssimo Rosário, rogai por nós. 
Rainha da Paz, rogai por nós. 

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos Senhor. 
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos Senhor. 
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós. 

V. Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, 
R. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. 

Oremos. 
Senhor Deus, nós Vos suplicamos que concedais aos vossos servos perpétua saúde de alma e de corpo; e que, pela gloriosa intercessão da Bem-Aventurada sempre Virgem Maria, sejamos livres da presente tristeza e gozemos da eterna alegria. Por Cristo Nosso Senhor. 
Amen.

 

 Ladainha de Deus Pai. 

Pai do Céu, que sois Deus, tende piedade de nós!

Filho, Redentor do mundo, que sois Deus, tende piedade de nós!

Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós!

Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós!

Pai, Criador do mundo, tende piedade de nós.

Pai, Propiciador do mundo, tende piedade de nós.

Pai, Sabedoria Eterna, tende piedade de nós.

Pai, Bondade Infinita, tende piedade de nós.

Pai, Providência Inefável, tende piedade de nós.

Pai, Fonte de todas as delícias, tende piedade de nós.

Pai Santíssimo, tende piedade de nós.

Pai Dulcíssimo, tende piedade de nós.

Pai de inesgotável Misericórdia, tende piedade de nós.

Pai, nosso Defensor, tende piedade de nós.

Pai, nosso Amor, tende piedade de nós.

Pai, nossa Luz, tende piedade de nós.

Pai, nossa alegria e nossa glória, tende piedade de nós.

Pai, rico para com todas as pessoas do mundo, tende piedade de nós.

Pai, que triunfais sobre todas as nações, tende piedade de nós.

Pai, Magnificência da Sagrada Família, tende piedade de nós.

Pai, Esperança dos cristãos, tende piedade de nós.

Pai, ruína dos ídolos, tende piedade de nós.

Pai, Sabedoria dos chefes, tende piedade de nós.

Pai, Magnificência dos reis, tende piedade de nós.

Pai, Consolação dos povos, tende piedade de nós.

Pai, Alegria dos sacerdotes, tende piedade de nós.

Pai, Chefe dos homens, tende piedade de nós.

Pai, Glória da vida familiar, tende piedade de nós.

Pai, Sustentáculo dos infelizes, tende piedade de nós.

Pai, Alegria das virgens, tende piedade de nós.

Pai, Guia dos jovens, tende piedade de nós.

Pai, Amigo dos pequeninos, tende piedade de nós.

Pai, Liberdade dos cativos, tende piedade de nós

Pai, Luz dos que vivem nas trevas, tende piedade de nós.

Pai, destruição dos soberbos, tende piedade de nós.

Pai, Sabedoria dos justos, tende piedade de nós.

Pai, nosso recurso na tribulação, tende piedade de nós.

Pai, nossa Esperança na desolação, tende piedade de nós.

Pai, Rei de salvação para os desesperados, tende piedade de nós.

Pai, consolação dos pobres, tende piedade de nós.

Pai, porto de salvação nos perigos, tende piedade de nós.

Pai, nossa protecção na miséria, tende piedade de nós.

Pai, consolação dos aflitos, tende piedade de nós.

Pai, asilo dos órfãos, tende piedade de nós.

Pai, Paz dos velhinhos, tende piedade de nós.

Pai, Refúgio dos moribundos, tende piedade de nós.

Pai, que saciais a nossa sede, tende piedade de nós.

Pai, Vida dos mortos, tende piedade de nós

Pai, Plenitude dos santos, tende piedade de nós!

Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, Perdoai-nos, Senhor!

Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, Ouvi-nos, Senhor!

Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, Tende piedade de nós, Senhor!

 

Oremos:

Pai infinitamente Bom e Misericordioso, que desejais ardentemente estender o Vosso Reino de Amor no coração das Vossas criaturas, para a Vossa Alegria e Felicidade:

Pedimo-Vos que se cumpra a Vossa Vontade de serdes conhecido, amado e honrado pelos homens e que as nossas famílias estejam unidas na Vossa Paz.

Por Jesus Cristo, Nosso Senhor, a intercessão da Santíssima Virgem Maria e de todos os Santos.

Amen.

 Ladainha do Preciosíssimo Sangue de Jesus Cristo. 

Senhor, tende piedade de nós.
Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.

Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.

Deus Pai, tende piedade de nós.
Deus Filho, redentor do mundo, tende piedade de nós.
Deus Espírito Santo, tende piedade de nós.
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós.

Sangue de Cristo, Sangue do Filho Unigénito do Eterno Pai, salvai-nos.
Sangue de Cristo, Sangue do Verbo de Deus encarnado, salvai-nos.
Sangue de Cristo, Sangue do Novo e Eterno Testamento, salvai-nos.
Sangue de Cristo, correndo pela terra na agonia, salvai-nos.
Sangue de Cristo, manando abundante na flagelação, salvai-nos.
Sangue de Cristo, gotejando na coroação de espinhos, salvai-nos.
Sangue de Cristo, derramado na cruz, salvai-nos.
Sangue de Cristo, preço da nossa salvação, salvai-nos.
Sangue de Cristo, sem o qual não pode haver redenção, salvai-nos.
Sangue de Cristo, que apagais a sede das almas e as purificais na Eucaristia, salvai-nos.
Sangue de Cristo, torrente de misericórdia, salvai-nos.
Sangue de Cristo, vencedor dos demónios, salvai-nos.
Sangue de Cristo, fortaleza dos mártires, salvai-nos.
Sangue de Cristo, virtude dos confessores, salvai-nos.
Sangue de Cristo, que suscitais almas virgens, salvai-nos.
Sangue de Cristo, força dos tentados, salvai-nos.
Sangue de Cristo, alívio dos que trabalham, salvai-nos.
Sangue de Cristo, consolação dos que choram, salvai-nos.
Sangue de Cristo, esperança dos penitentes, salvai-nos.
Sangue de Cristo, conforto dos moribundos, salvai-nos.
Sangue de Cristo, paz e doçura dos corações, salvai-nos.
Sangue de Cristo, penhor de eterna vida, salvai-nos.
Sangue de Cristo, que libertais as almas do Purgatório, salvai-nos.
Sangue de Cristo, digno de toda a honra e glória, salvai-nos.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós, Senhor.

V. Remistes-nos, Senhor com o Vosso Sangue.
R. E fizestes de nós um reino para o nosso Deus.

Oremos:
Todo-Poderoso e Eterno Deus, que constituístes o Vosso Unigénito Filho, Redentor do mundo, e quisestes ser aplacado com o Seu Sangue, concedei-nos a graça de venerar o preço da nossa salvação e de encontrar, na virtude que Ele contém, defesa contra os males da vida presente, de tal modo que eternamente gozemos dos seus frutos no Céu. Pelo mesmo Cristo, Senhor nosso. Assim seja.

Oferecimento
Eterno Pai, eu Vos ofereço o Sangue preciosíssimo de Jesus Cristo em desconto dos meus pecados, em sufrágio das santas almas do Purgatório e pelas necessidades da Santa Igreja e por todos os doentes.

Súplica a Nossa Senhora
Mãe Dolorosa, peço-vos pelo Vosso sofrimento na morte de Vosso Filho, que ofereçais ao Pai Eterno o precioso Sangue que jorrou das Chagas de Nosso Senhor Jesus Cristo Crucificado pelos pobres Sacerdotes transviados, que se tornaram infiéis à sua sublime vocação, para que quanto antes voltem para junto do Bom Pastor.

 Ladainha de Todos os Santos. 

V. Senhor, tende piedade de nós.

R. Cristo, tende piedade de nós.

V. Senhor, tende piedade de nós.

 

V. Cristo, ouvi-nos.

R. Cristo, atendei-nos.

 

V. Deus pai do Céu

R. tende piedade de nós.

 

V. Filho Redentor do mundo, que sois Deus.

R. tende piedade de nós.

 

V. Deus Espírito Santo,

R. tende piedade de nós

 

V. Santíssima Trindade, que sois um só Deus.

R. tende piedade de nós.

 

V. Santa Maria. - R. Rogai por nós.

V. Santa Mãe de Deus. - R. Rogai por nós.

V. Santa Virgem das virgens. - R. Rogai por nós.

V. São Miguel. - R. Rogai por nós.

V. São Gabriel. - R. Rogai por nós.

V. São Rafael. - R. Rogai por nós.

V. Todos os santos Anjos e Arcanjos. - R. Rogai por nós.

V. Todos as santas ordens de Espíritos bem-aventurados. - R. Rogai por nós.

V. São João Batista. - R. Rogai por nós.

V. São José. - R. Rogai por nós.

V. Todos os santos patriarcas e profetas. - R. Rogai por nós.

V. São Pedro. - R. Rogai por nós.

V. São Paulo. - R. Rogai por nós.

V. Santo André. - R. Rogai por nós.

V. São Tiago. - R. Rogai por nós.

V. São João. - R. Rogai por nós.

V. São Tomé. - R. Rogai por nós.

V. São Tiago. - R. Rogai por nós.

V. São Felipe. - R. Rogai por nós.

V. São Bartolomeu. - R. Rogai por nós.

V. São Mateus. - R. Rogai por nós.

V. São Simão. - R. Rogai por nós.

V. São Tadeu. - R. Rogai por nós.

V. São Matias. - R. Rogai por nós.

V. São Barnabé. - R. Rogai por nós.

V. São Lucas. - R. Rogai por nós.

V. São Marcos. - R. Rogai por nós.

V. Todos os santos apóstolos e evangelistas. - R. Rogai por nós.

V. Todos os santos Discípulos do Senhor. - R. Rogai por nós.

V. Todos os santos inocentes. - R. Rogai por nós.

V. Santo Estêvão. - R. Rogai por nós.

V. São Lourenço. - R. Rogai por nós.

V. São Vicente. - R. Rogai por nós.

V. Santos Fabiano e Sebastião. - R. Rogai por nós.

V. Santos João e Paulo. - R. Rogai por nós.

V. Santos Cosme e Damião. - R. Rogai por nós.

V. Santos Gervásio e Protásio. - R. Rogai por nós.

V. Todos os santos Mártires. - R. Rogai por nós.

V. São Silvestre. - R. Rogai por nós.

V. São Gregório. - R. Rogai por nós.

V. Santo Ambrósio. - R. Rogai por nós.

V. Santo Agostinho. - R. Rogai por nós.

V. São Jerónimo. - R. Rogai por nós.

V. São Martinho. - R. Rogai por nós.

V. São Nicolau. - R. Rogai por nós.

V. Todos os santos pontífices e confessores. - R. Rogai por nós.

V. Todos os santos doutores. - R. Rogai por nós.

V. Santo António. - R. Rogai por nós.

V. São Bento. - R. Rogai por nós.

V. São Bernardo. - R. Rogai por nós.

V. São Domingos. - R. Rogai por nós.

V. São Francisco. - R. Rogai por nós.

V. Todos os santos sacerdotes e levitas. - R. Rogai por nós.

V. Todos os santos Monges e eremitas. - R. Rogai por nós.

V. Santa Maria Madalena. - R. Rogai por nós.

V. Santa Águeda. - R. Rogai por nós.

V. Santa Lúcia. - R. Rogai por nós.

V. Santa Inês. - R. Rogai por nós.

V. Santa Cecília. - R. Rogai por nós.

V. Santa Catarina. - R. Rogai por nós.

V. Santa Anastácia. - R. Rogai por nós.

V. Todas as Santas Virgens e Viúvas. - R. Rogai por nós.

V. Todas os Santos e Santas de Deus. - R. Intercedam por nós.

V. Sede-nos propício. - R. Perdoai-nos, Senhor.

V. Sede-nos propício. - R. Atendei-nos, Senhor.

V. De todo o mal. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. De todo o pecado. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Da sua ira. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Da morte repentina e imprevista. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Das ciladas do demónio. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. De toda a ira, ódio e má vontade. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Do espírito da fornicação. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Do raio e da tempestade. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Do flagelo do terramoto. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Da peste da fome e da guerra. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Da morte eterna. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Pelo mistério de vossa santa encarnação. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Pela vossa vinda. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Pelo vosso nascimento . - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Por vosso baptismo e santo jejum . - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Por vossa cruz e paixão - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Por vossa morte e sepultura. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Por vossa santa ressurreição. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Por vossa admirável ascensão. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Pela vinda do Espírito Santo Consolador. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. No dia do juízo. - R. Livrai-nos, Senhor.

V. Pecadores que somos. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que nos perdoeis. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que useis de indulgência connosco. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que nos digneis conduzi-nos a verdadeira penitência. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que nos digneis reagir e conservar a vossa santa igreja. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que nos digneis conservar a vossa santa religião o Senhor Apostólico e a todos as ordens da hierarquia eclesiástica. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que nos digneis humilhar os inimigos da santa igreja. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que nos digneis conceder a verdadeira paz e concórdia entre os reis e príncipes cristãos. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que nos digneis conceder a paz e a união a todo o povo cristão. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que nos digneis chamar à unidade da Igreja, a todos os que estão alheios a ela, para iluminar todos os infiéis com a luz do Evangelho. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que vos digneis confortar-nos e conservar-nos em vosso santo serviço. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que levanteis nossos corações a desejar as coisas celestiais. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que nos digneis retribuir, com os bens eternos a todos os nossos benfeitores. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que livreis da morte eterna nossas almas e as de nossos irmãos, parentes e benfeitores. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que nos digneis dar e conservar os frutos da terra. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que nos digneis conceder o eterno descanso a todos os fiéis defuntos. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Que nos digneis atender-nos. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Filho de Deus. - R. Nós vos rogamos: ouvi-nos.

V. Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo. - R. Perdoai-nos, Senhor.

V. Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo. - R. Atendei-nos, Senhor.

V. Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo. - R. tende piedade de nós.

V. Cristo, ouvi-nos. - R. Cristo, atendei-nos.

V. Senhor, tende piedade de nós. - R. Cristo, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós

 

Pai Nosso (secreto):

 

V. E não nos deixeis cair em tentação. - R. Mas livrai-nos do mal.

 

 

 

 

() Via-Sacra

A Via Sacra é um exercício espiritual poderoso para alcançar a nossa verdadeira conversão de coração. Assim o dizia Santa Teresa d’Ávila.

A Via Sacra é a a Contemplação e Meditação da Paixão e Morte de Jesus Cristo, através das quais remiu o homem do Pecado Original. Esta Contemplação e Meditação fazem-se através das 14 Estações da Via Crucis, que são os principais acontecimentos na Paixão de Jesus, desde a sua condenação, no Pretório de Pilatos, e subida ao monte Calvário, passando pela crucifixão e morte na Cruz no alto do monte Calvário, até o Seu sepultamento em Jerusalém.

Forma de rezar a Via-Sacra

Início

Normalmente cada uma das Estações da Via-Sacra é meditada em frente de um quadro ou escultura que representa esse episódio da Paixão de Jesus Cristo.

No início Benzemo-nos, Persignamo-nos e Benzemo-nos. (5 cruzes pelas 5 Chagas de Cristo)

Rezamos ao Espírito Santo.

Oferecemos o Terço pelas Intenções do Imaculado Coração de Maria e apresentamos as nossas intenções pessoais.

Em cada Estação em frente da respectiva Imagem

Ajoelhamos, benzemo-nos e rezamos a seguinte jaculatória:

Nós Vos adoramos e bendizemos, ó Cristo!

Que pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Levantamo-nos e lemos o texto de cada Estação e meditamo-lo num curto e sentido silêncio.

Orações entre as Estações

A caminho da próxima Estação, rezamos um Pai Nosso, Avé Maria e Glória, e a seguinte oração (que pode ser cantada):

Tende Piedade de nós Senhor!

Tende Piedade de nós!

Que as almas dos fiéis defuntos,

Pela Misericórdia de Deus,

descansem em Paz!

Meu Amado Jesus,

Por mim vades à morte.

Quero seguir a Vossa sorte,

Morrendo por Vosso Amor.

Perdão e Graça imploro,

Transido de dor.

Amen.

As Estações da Via-Sacra dos Valinhos em Fátima

  (Picando em cada uma das imagens irá à Estação correspondente no Google Earth)

1ª Estação: Jesus é condenado à morte.

2ª Estação: Jesus carrega a Sua Cruz às costas.

3ª Estação: Jesus cai pela primeira vez.

4ª Estação: Jesus encontra a Sua Mãe Santíssima.

5ª Estação: Simão de Cirene ajuda a Jesus a levar a Cruz.

6ª Estação: Verónica limpa o rosto de Jesus.

7ª Estação: Jesus cai pela segunda vez.

8ª Estação: Jesus encontra as mulheres de Jerusalém.

9ª Estação: Jesus cai pela Terceira vez.

10ª Estação: Jesus é despojado de suas vestes.

11ª Estação: Jesus é pregado na Cruz.

12ª Estação: Jesus morre na Cruz.

13ª Estação: Jesus é descido da Cruz.

14ª Estação: Jesus é Sepultado.

 

Existem muitos e bons textos sobre a Meditação da Via-Sacra.

 

Jesus crucificado

 

Aconselho particularmente os seguintes PDFs, preparados para impressão em dupla face e serem depois dobrados:

- Via-Sacra do Padre Cruz. =

- Via-Sacra de Santo Afonso Maria de Ligório. =

- Via-Sacra do Amor Doloroso. =

 

Para Visualizar a Via-Sacra do Monte Krizevac, em Medjugorje, em fotografias esféricas de 360º, seguir este Link.

 

 

 

() As 15 Orações de Santa Brígida

 

Santa Brígida

 Jesus revelou a Santa Brígida as seguintes promessas para quem rezar estas orações durante 1 ano inteiro.

Santa Brígida desejava saber o número de golpes que Jesus recebera durante a Sua Dolorosíssima Paixão. Um dia enquanto rezava na Igreja de São Paulo em Roma, apareceu-lhe Jesus, e disse-lhe:

 AS PROMESSAS DE JESUS:

 “Recebi em todo o Meu Corpo 5.480 golpes. Se desejardes honrar as chagas que eles Me produziram, mediante uma veneração particular, deveis recitar 15 Pai Nossos, e 15 Ave Marias, acrescentando as seguintes orações, durante um ano inteiro; quando o ano terminar, tereis prestado homenagem a cada uma das Minhas Chagas. Quem recitar estas orações durante um ano inteiro conseguirá:

1ª) Livrar do Purgatório 15 almas de sua família,

2ª) Livrar 15 justos também de sua linhagem serão conservados em graça e

3ª) Livrar 15 pecadores de sua família serão convertidos”.

4ª) A pessoa que as recitar será elevada ao mais eminente grau de perfeição e

5ª) 15 dias antes da sua morte Eu lhe darei meu Precioso Corpo, para que ela seja livre da fome eterna.

6ª) Eu lhe darei também de beber o Meu Precioso Sangue, afim de que não padeça sede eternamente e

7ª) 15 dias antes da morte ela experimentará uma profunda contrição de todos os seus pecados e um perfeito conhecimento deles. Diante dela colocarei o sinal da Minha Cruz vitoriosa como socorro e defesa contra os embustes dos seus inimigos.
     8ª) Antes da sua morte, E u virei em companhia de Minha muito cara e bem amada Mãe, para receber a sua alma e conduzi-la às alegrias eternas.

9ª) E tendo-a levado até lá, Eu lhe darei a beber um trago singular da fonte da Minha Divindade, o que não farei, absolutamente, a outros que não tenham recitado as Minhas Orações.

10ª) Aquele que disser estas Orações pode estar seguro de ser associado ao supremo coro dos Anjos e

11ª) todo aquele que as ensinar a alguém, terá assegurado para sempre sua felicidade e seus méritos. Sim, eles serão estáveis e durarão perpetuamente.
     12ª) No lugar onde se encontrarem e onde forem recitadas essas Orações DEUS estará também presente com Suas Graças”.

As 15 Orações de Santa Brígida

1ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Doçura eterna para todos os que Vos amam, alegria que ultrapassa toda a alegria e todo o desejo, esperança e salvação dos pecadores, que testemunhastes não ter maior alegria do que estar entre os homens, até tomar a natureza humana na plenitude dos tempos por amor deles, lembrai-vos dos sofrimentos que padecestes desde o momento da Vossa Concepção e sobretudo, durante a Vossa Santa Paixão, como tinha sido decretado e ordenado desde toda a eternidade no pensamento divino. Lembrai-vos, Senhor, que estando na Ceia com os vossos discípulos, depois de lhes terdes lavado os pés, destes-lhes o Vosso Sagrado Corpo e Precioso Sangue e consolando-os com doçura, predisseste-lhes também a Vossa Paixão. Lembrai-vos da tristeza e amargura que experimentastes em Vossa Alma como testemunhastes ao dizer: «A minha Alma está triste até à morte». Lembrai-vos, Senhor, de todos os temores, angústias e dores que sofrestes em Vosso delicado Corpo antes do suplício da Cruz, quando, depois de terdes orado três vezes derramando suor de sangue, fostes traído por Judas, Vosso discípulo, preso pela Nação que havíeis escolhido e ensinado, acusado por falsas testemunhas, julgado injustamente por três juízes, na flor da Vossa juventude, e nas festas solenes da Páscoa. Lembrai-vos que fostes despojado da Vossa roupa e vestido desprezivelmente, que Vos vendaram os olhos e a cara, que Vos deram bofetadas, que Vos coroaram de espinhos, que Vos puseram uma cana na mão e que, atado a uma coluna, fostes horrivelmente açoitado e repleto de afrontas e ultrajes. Em memória de todas estas penas e dores que suportastes antes da Vossa Paixão na Cruz, dai-me, antes da minha morte, uma verdadeira contrição, uma sincera e completa confissão, uma justa penitência e a remissão de todos os meus pecados. Assim seja.

 

2ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Verdadeira liberdade dos Anjos, Paraíso de delícias, lembrai-vos da horrível tristeza que sofrestes quando os Vossos inimigos vos rodearam como leões furiosos e com milhares de injúrias, bofetadas, escarros, arranhadelas e outros espantosos tormentos, vos martirizaram à vontade. Por estes tormentos e pelas palavras injuriosas eu Vos suplico, ó meu Salvador, que me livreis de todos os meus inimigos, visíveis e invisíveis, e que me façais chegar, com a Vossa Protecção, à salvação eterna. Assim seja.

 

3ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Criador do Céu e da Terra, que nenhuma coisa pode conter ou limitar, Vós que tendes poder sobre todas as coisas, lembrai-vos da dor tão amarga que suportastes quando os soldados, atando as Vossas sagradas mãos e os Vossos delicados pés à Cruz, os cravaram de um ao outro lado com grossos pregos, e não vos vendo na posição que queriam, para contentar a sua raiva, aumentaram mais ainda as Vossas chagas, dando origem a dor sobre dor, ao esticar-Vos com uma inacreditável crueldade sobre a Cruz, puxando-Vos de todos os lados, deslocando os Vossos membros. Suplico-Vos que, pela memória desta santa e amada dor sobre a Cruz, me deis o Vosso amor e santo temor. Assim seja.

 

4ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Médico Divino, elevado sobre a Cruz para curar as nossas chagas com as Vossas, lembrai-Vos das dores e dos martírios que sofrestes em todos os Vossos membros, dos quais nem um só ficou em seu lugar, de modo que não houve dor semelhante à Vossa. Da planta dos pés ao alto da cabeça, nenhuma parte do Vosso corpo esteve sem tormento: e, contudo, esquecendo as Vossas dores, não vos cansastes de orar ao Pai, pedindo-Lhe pelos Vossos inimigos, dizendo-Lhe: «Pai, perdoai-lhes porque não sabem o que fazem». Por esta tão grande Misericórdia e em memória destas dores fazei que a recordação da Vossa amarguíssima Paixão opere em mim uma perfeita contrição e a remissão de todos os meus pecados. Assim seja.

 

5ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Resplendor da Luz Eterna, lembrai-Vos da tristeza que tivestes quando, ao contemplar na luz da Vossa Divindade a predestinação de todos aqueles que deviam ser salvos pelos méritos da Vossa Paixão, vistes ao mesmo tempo a multidão de réprobos que iriam ser condenados pelos seus pecados e chorastes amargamente por estes infelizes pecadores, perdidos e desesperados. Por este abismo de compaixão e de piedade e, principalmente, pela grande bondade que revelaste para o bom ladrão ao dizer-lhe «Hoje mesmo estarás comigo no Paraíso», eu vos suplico, ó doce Jesus, que na hora da minha morte tenhais misericórdia de mim. Assim seja.

 

6ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Rei amável e desejável, lembrai-Vos da dor que tivestes quando nu e como um miserável, pregado e elevado na Cruz, fostes abandonado por todos os Vossos amigos e parentes, excepto a Vossa queridíssima Mãe, que permaneceu com São João, fielmente junto de Vós na agonia, e que entregastes um ao outro dizendo: «Mulher, eis ai o teu filho» , e a S. João, ««Eis ai a tua Mãe» . Suplico-vos, meu Salvador, pela espada de dor que então trespassou a alma da Vossa Santa Mãe, que tenhais compaixão de mim em todas as aflições e tribulações, tanto corporais como espirituais, e que me assistais em todas as minhas provas, sobretudo na hora da minha morte. Assim seja.

 

7ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Fonte inesgotável de piedade, que por um profundo amor, dissestes sobre a Cruz: «Tenho sede» — mas sede da salvação do género humano... Ó meu Salvador, peço-vos que acendais em meu coração o desejo de ascender à perfeição em todas as minhas obras e de extinguir em mim próprio a concupiscência carnal e o ardor dos apetites mundanos. Assim seja.

 

8ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Doçura dos corações, suavidade do espírito, pela amargura do fel e do vinagre que provastes na Cruz por nosso amor, concedei-me receber dignamente o Vosso Corpo e Sangue precioso, durante a minha vida e à hora da morte, para servir de remédio e consolação à minha alma. Assim seja.

 

9ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus, Virtude real, alegria do espírito, recordai-Vos da dor que padecestes quando, cheio de amargura pela proximidade da morte, insultado e ultrajado pelos Judeus, bradastes ter sido abandonado pelo vosso Pai, dizendo-Lhe: «Meu Deus, meu Deus, porque Me abandonaste?» Por esta angústia, suplico-vos, ó meu Salvador, que não me abandoneis nos terrores e nas dores da morte. Assim seja.

 

10ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Que sois o princípio e o fim, a vida e a virtude de todas as coisas, recordai-vos que mergulhastes por nossa causa num abismo de dores, da planta dos pés até à cabeça. Em memória da grandeza das Vossas chagas, ensinai-me a guardar os Vossos Mandamentos por uma verdadeira Caridade, Mandamentos que são uma via larga e fácil para aqueles que Vos amam. Assim seja.

 

11ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Profundíssimo abismo de Misericórdia, em memória das Vossas Chagas, que penetraram até à medula dos Vossos ossos e das Vossas entranhas, suplico-vos: livrai-me do peso das minhas ofensas, da lama do pecado, e escondei-me, nas fendas das vossas Chagas, da vossa face irritada, até que a Vossa cólera e justa indignação tenham passado. Assim seja.

 

12ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Espelho de Verdade, sinal de Unidade e laço de Caridade, lembrai-vos das vossas inúmeras chagas, que se estenderam da cabeça aos pés, lacerado e ensanguentado pela efusão do Vosso Sangue adorável! Ó grande e universal dor que Vós sofrestes por nosso amor, na Vossa carne virginal! Ó dulcíssimo Jesus, que mais poderíeis fazer por nós que não tenhais feito? Suplico-vos, ó meu Salvador, que marqueis com o Vosso Preciosíssimo Sangue todas as Vossas Chagas no meu coração, para que eu aí possa ler, sem cessar, as Vossas dores e o Vosso amor. Que por uma fiel memória da Vossa Paixão se renove na minha alma o fruto dos sofrimentos e que o Vosso amor aumente todos os dias na minha alma, até que eu chegue a Vós, que sois o tesouro de todos os bens e de todas as alegrias, que eu Vos suplico me deis, ó doce Jesus, na vida eterna. Assim seja.

 

13ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Leão poderoso, Rei imortal e invencível, recordai-vos da dor que suportastes quando todas as Vossas forças, tanto do coração como do corpo, chegaram ao esgotamento e, inclinando a cabeça, Vós dissestes: «Tudo está consumado». Por esta angústia e dor, suplico-vos, Senhor Jesus, que tenhais piedade de mim no último instante da minha vida, quando a minha alma estiver na agonia e o meu espírito conturbado. Assim seja.

14ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Filho Unigénito do Pai, esplendor e figura da Sua Substância, lembrai-vos da ardente e humilde recomendação que fizestes a Vosso Pai, quando Lhe dissestes: «Pai, em Vossas Mãos entrego o Meu Espírito». Depois, com o Vosso Corpo lacerado e com as entranhas da Vossa Misericórdia abertas para o nosso resgate, expirastes na Cruz! Por esta preciosa morte rogo-vos, ó Rei dos Santos, que me conforteis e me socorrais para resistir ao demónio, à carne e ao sangue, a fim de que estando morto para o mundo, viva só em Vós. Na hora da minha morte, recebei a minha alma peregrina e desterrada que a Vos regressa. Assim seja.

 

15ª Oração

Pai Nosso e Avé Maria.

Ó Jesus! Vinha verdadeira e fecunda, lembrai-vos da abundante efusão de sangue que generosamente derramastes do Vosso Sagrado Corpo como as uvas sob a prensa. Do Vosso Lado trespassado pela lança do soldado, destes-nos Sangue e Água, de tal modo que não sobrou sequer uma única gota e, enfim, como feixe de mirra elevado sobre a Cruz, a Vossa carne delicada foi aniquilada, o líquido das vossas entranhas esgotado, e a medula dos vossos ossos secada. Por esta amarga Paixão e pela efusão do vosso Precioso Sangue, suplico-vos, ó bom Jesus, que recebais a minha alma quando estiver na agonia. Assim seja.

 

 

() Os 7 Pai Nossos de Santa Brígida

 

Santa Brígida

 Jesus revelou a Santa Brígida as seguintes promessas para quem rezar estas orações durante 12 anos seguidos:

 "Sabei que darei 5 graças àqueles que, durante 12 anos, rezarem sete Pai Nossos e Avé Marias em honra do meu Precioso Sangue: 

1ª) Não terão que passar pelo purgatório.

2ª) Aceitá-los-ei no Coro dos Mártires como se tivessem derramado seu sangue pela fé.

3ª) Conservarei 3 almas de seus parentes na graça santificante conforme sua escolha. 

4ª) As almas dos seus parentes até o 4º grau escaparão do inferno. 

5ª) Um mês antes de sua morte ser-lhes-á dado conhecimento dela. 
Se por acaso morrerem antes dos 12 anos completos, irei julgar como se fossem as condições cumpridas."

 

Papa Inocêncio X confirmou esta revelação e acrescentou que as almas cumpridoras das condições libertarão cada Sexta-feira Santa uma alma do purgatório. 

 

Os 7 Pai Nossos de Santa Brígida ou As 7 Efusões de Sangue de Jesus

Oração Inicial

Ó Jesus, vou agora rezar sete vezes o Pai Nosso em memória do mesmo amor com que esta oração santificou e consolou o Vosso Coração. Recebei-a dos meus lábios, no Vosso Coração, corrigi-a e aperfeiçoai-a, a fim de que ela dê honra e alegria à Santíssima Trindade como Vós quereis que demos na Terra. Com esta súplica desejaria envolver a Vossa Santa Humanidade para glorificar as Vossas Santas chagas e o Preciosíssimo Sangue que delas brotou.

1ª - CIRCUNCISÃO

Pai Nosso e Avé Maria.

Pai Eterno, pelas mãos Imaculadas de Maria e o Divino Coração de Jesus, eu Vos ofereço as primeiras chagas, as primeiras dores e a primeira efusão do Sangue derramado por Jesus, para expiar os pecados dos homens, da juventude, os meus, e para a renúncia aos primeiros pecados mortais, sobretudo na minha família. Amen.

2ª - SUOR DE SANGUE

Pai Nosso e Avé Maria.

Pai Eterno, pelas mãos Imaculadas de Maria e o Divino Coração de Jesus, eu Vos ofereço as dores atrozes do Coração de Jesus, no jardim das Oliveiras, e cada gota de sangue, para expiar todos os pecados do coração dos homens, os meus, para a renúncia a tais pecados e para que aumente o amor a DEUS e ao próximo. Amen.

3ª - FLAGELAÇÃO

Pai Nosso e Avé Maria.

Pai Eterno, pelas mãos Imaculadas de Maria e o Divino Coração de Jesus, eu Vos ofereço as chagas, as dores cruéis e o Preciosíssimo Sangue de Jesus na Sua Flagelação, por todos os pecados da carne, pelos meus, para a renúncia a tais pecados e para a conservação da inocência, em especial na minha família. Amen.

4ª - COROAÇÃO DE ESPINHOS

Pai Nosso e Avé Maria.

Pai Eterno, pelas mãos Imaculadas de Maria e o Divino Coração de Jesus, eu Vos ofereço as chagas, as dores e o Preciosíssimo Sangue da Sagrada Cabeça de Jesus, na Sua coroação de espinhos, para expiar todos os pecados de pensamento dos homens, os meus, para a renúncia a tais pecados e para a extensão do Reino de Cristo sobre a Terra. Amen.

5ª - CARREGAMENTO DA CRUZ

Pai Nosso e Avé Maria.

Pai Eterno, pelas mãos Imaculadas de Maria e o Divino Coração de Jesus, eu Vos ofereço as dores de Jesus no caminho do Calvário, sobretudo a Sua Santa chaga do ombro, o Seu Preciosíssimo Sangue, para aliviar o peso da cruz, para reparar os meus murmúrios, todos os pecados cometidos, para a renúncia a tais pecados e para que haja um verdadeiro amor à Santa Cruz. Amen.

6ª - CRUCIFIXÃO DE JESUS

Pai Nosso e Avé Maria.

Pai Eterno, pelas mãos Imaculadas de Maria e o Divino Coração de Jesus, eu Vos ofereço o Vosso Divino Filho, cravado e elevado na Cruz, as Suas chagas das mãos e dos pés e os fios do Seu Preciosíssimo Sangue derramado por nós, o Seu extremo aniquilamento, a Sua perfeita obediência, todas as aflições mortais do Seu Corpo e da Sua Alma, a Sua Preciosa Morte na Cruz, e o Seu memorial não sangrento em todas as Santas Missas da Terra, por todos os atentados aos votos e às santas instituições, em reparação dos meus pecados e dos pecados do mundo inteiro, pelos doentes e moribundos, para obter santos sacerdotes e leigos, pelas intenções do Santo Padre, pela restauração da família cristã, para fortificar e encorajar a Fé, pela nossa Pátria, pela unidade de todos os povos em CRISTO e na sua Igreja, assim como por todos os Países onde os cristãos estão em minoria. Amen.

7ª - CHAGA DO LADO

Pai Nosso e Avé Maria.

Pai Eterno, aceitai pelas necessidades da Santa Igreja e em expiação dos pecados dos homens, estes preciosos dons, Água e Sangue, que brotaram da chaga do Divino Coração de Jesus.

Sangue de Cristo, propulsado pelo Sagrado Coração, lavai-me e purificai-me de todos os meus pecados.

Água do lado de Cristo, lavai-me e purificai-me dos meus primeiros pecados e salvai-me, assim como a todas as almas, das chamas do Purgatório. Amen.

 

 

 

() Oração de São Francisco

Fazei-me instrumento da Vossa Paz!

Onde houver ódio, que eu leve o Amor;

Onde houver ofensa, que eu leve o Perdão;

Onde houver discórdia, que eu leve a União;

Onde houver dúvida, que eu leve a Fé.

Onde houver erro, que eu leve a Verdade:

Onde houver desespero, que eu leve a Esperança;

Onde houver tristeza que eu leve a Alegria;

Onde houver trevas, que eu leve a Luz.

Oh, Mestre!

Fazei que eu procure mais

consolar que ser consolado;

compreender que ser compreendido;

amar que ser amado.

Porque é dando que se recebe,

É perdoando que se é perdoado

e é morrendo que se renasce para a Vida Eterna!

 

 

 

() Alma de Cristo

Alma de Cristo, santificai-me.

Corpo de Cristo, salvai-me.

Sangue de Cristo, inebriai-me.

Água do lado de Cristo, lavai-me.

Paixão de Cristo, confortai-me.

Oh bom Jesus ouvi-me.

Dentro das Vossas chagas, escondei-me.

Não permitais que eu me separe de Vós.

Do inimigo maligno defendei-me.

Na hora da minha morte, chamai-me.

Mandai-me ir para Vós.

Para que vos louve com os Vossos Santos

Pelos séculos dos séculos.

Amen.

 

 

 

() Oração do ETM - Exército Terrestre de Maria

"Santíssima Trindade, eu Vos adoro.

Deus meu, Deus meu, Deus meu, eu Vos amo no Santíssimo Sacramento. (Fátima)

A Vós meu Senhor Vos ofereço a minha vida com todos os riscos e a cruz de cada dia.

Eu prometo amar a Deus sobre todas as coisas, servi-lO fielmente todos os dias da minha vida.

A Vós me entreguei Pai, a Vós me entreguei Filho, a Vós me entreguei Espírito Santo.

Afastai-me do mundo. Ensinai-me a lutar com a arma que Vós me entregaste, com este estandarte, com esta Cruz.

Vos prometo ser fiel todos os dias da minha vida, se for preciso, derramando o meu próprio sangue".

 

 

 

() Novenas

A Novena é o acto de rezar durante 9 dias seguidos determinadas orações por uma especial Intenção ou Acção de Graças.

 

Novena da Ascensão ao Pentecostes

Esta tradição terá começado com a oração feita pela Comunidade Cristã que ficou reunida, em torno da Virgem Maria, com os Apóstolos, durante os 9 dias que decorreram entre a Ascensão de Jesus Cristo ao Céu e a Descida do Espírito Santo. Mas certamente esta Novena foi sugerida pela Virgem Maria, que era muito devota ao número 9, tal como consta do texto da Cidade Mística de Deus da Sor Maria de Jesus de Agreda.

Mística Cidade de Deus, de Sor Maria de Jesus de Agreda, Parte II, Capítulo 21

606. Com especial devoção, a divina Senhora venerava o número nove, em memória dos nove dias durante os quais foi preparada para a Encarnação do Verbo divino, como ficou dito nos dez primeiros capítulos desta segunda parte. Também pelos nove meses em que O trouxe no seu virginal ventre, e assim desejava fazer a novena com seu Menino Deus, oferecendo-o ao eterno Pai como oblação aceitável, pelas elevadas intenções que a grande Senhora tinha em vista.

Aquela Novena original é repetida todos os anos pelos Católicos, que rezam pela unidade dos cristãos.

O número 9 possui ainda um significado especial no culto Católico, por ser igual ao 3 vezes 3, número esse considerado perfeito por estar relacionado com a Santíssima Trindade. Por isso, ao longo dos nove dias da Novena, louva-se três vezes cada uma das 3 Pessoas Divinas.

Uma poderosa Novena é a Novena da Divina Misericórdia, dada por Jesus a Santa Irmã Faustina Kovalska.

 

Novena da Divina Misericórdia

Jesus também pediu que a Festa da Divina Misericórdia fosse precedida por uma Novena à Divina Misericórdia, a ser iniciada na Sexta-Feira Santa. Ele deu à Irmã Faustina uma intenção pela qual rezar a cada dia da Novena. Em seu diário, Irmã Faustina relata o que Jesus lhe disse:

"Em cada dia da novena, conduzirás ao Meu coração um grupo diferente de almas, e as mergulharás no oceano da minha Misericórdia. Eu conduzirei todas as almas à casa do meu Pai...
Por minha parte, nada negarei a nenhuma daquelas almas que tu conduzirás à fonte da minha Misericórdia. Cada dia pedirás a meu Pai, pela minha amarga Paixão, graças para essas almas."

 

Novena da Divina Misericórdia para alcançar a Paz

As diferentes almas pelas quais se reza em cada dia da Novena são:

1.      Toda a humanidade, especialmente os pecadores;

2.      As almas de padres e religiosos;

3.      Todas as almas piedosas e fiéis;

4.      Aquelas que não acreditam em Jesus e aquelas que ainda não O conhecem;

5.      As almas dos irmãos separados;

6.      As almas mansas e humildes e as almas das crianças;

7.      As almas que especialmente veneram e glorificam a Misericórdia de Jesus;

8.      As almas detidas no Purgatório;

9.      As almas tíbias.

 

A Novena é rezada em conjunto com o Terço da Divina Misericórdia, e com cada uma das seguintes orações para cada um dos dias.

 

Primeiro dia

Hoje traze-Me a humanidade inteira, especialmente todos os pecadores e mergulha-os no oceano da minha Misericórdia. Com isso Me consolarás na amarga tristeza em que Me afunda a perda das almas.

Misericordiosíssimo Jesus, de quem é próprio ter compaixão de nós e nos perdoar, não olheis os nossos pecados, mas a confiança que depositamos em Vossa infinita bondade. Acolhei-nos na mansão do vosso compassivo Coração e nunca nos deixeis sair dele. Nós vo-lo pedimos pelo amor que Vos une ao Pai e ao Espírito Santo

Eterno Pai, olhai com misericórdia para toda humanidade, encerrada no Coração compassivo de Jesus, mas especialmente para os pobres pecadores. Pela Sua dolorosa Paixão, mostrai-nos a Vossa Misericórdia, para que glorifiquemos a omnipotência da Vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amen.

 

 

Segundo dia

Hoje traze-Me as almas dos sacerdotes e religiosos e mergulha-as na minha insondável Misericórdia. Elas Me deram força para suportar a amarga Paixão. Por elas, como por canais, corre para a humanidade a minha Misericórdia.

Misericordiosíssimo Jesus, de quem provém tudo que é bom, aumentai em nós a graça, para que pratiquemos dignas obras de misericórdia, a fim de que aqueles que olham para nós, glorifiquem o Pai da Misericórdia que está no Céu.

Eterno Pai, dirigi o olhar da vossa Misericórdia para a porção eleita da vossa vinha: para as almas dos sacerdotes e religiosos. Concedei-lhes o poder da vossa bênção e, pelos sentimentos do Coração de vosso Filho, no qual estão encerradas, dai-lhes a força da vossa luz, para que possam guiar os outros nos caminhos da salvação e juntamente com eles cantar a glória da vossa insondável Misericórdia, por toda a eternidade. Amen.

 

Terceiro dia

 

Hoje traze-Me todas as almas piedosas e fiéis e mergulha-as no oceano da minha Misericórdia. Estas almas consolaram-Me na Via-sacra; foram aquela gota de consolações em meio ao mar de amarguras.

Misericordiosíssimo Jesus, que concedeis prodigamente a tods as graças do tesouro da vossa Misericórdia, acolhei-nos na mansão do vosso compassivo Coração e não nos deixeis sair dele pelos séculos; suplicamo-Vos pelo amor inconcebível de que está inflamado o vosso Coração para com o Pai Celestial.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas fiéis, como a herança do vosso Filho. Pela sua dolorosa Paixão concedei-lhes a vossa bênção e cercai-as da vossa incessante proteção, para que não percam o amor e o tesouro da santa fé, mas com toda a multidão dos Anjos e dos Santos glorifiquem a vossa imensa Misericórdia, por toda a eternidade. Amen.

 

 

Quarto dia

Hoje traze-Me os pagãos e aqueles que ainda não Me conhecem e nos quais pensei na minha amarga Paixão. O seu futuro zelo consolou o meu Coração. Mergulha-os no mar da minha Misericórdia.

Misericordiosíssimo Jesus, que sois a luz de todo o mundo, aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas dos pagãos que ainda não Vos conhecem. Que os raios da vossa graça os iluminem para que também eles, juntamente conosco, glorifiquem as maravilhas da vossa Misericórdia e não os deixeis sair da mansão do vosso compassivo Coração.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas dos pagãos e daqueles que ainda não Vos conhecem e que estão encerrados no Coração compassivo de Jesus. Atraí-as à luz do Evangelho. Essas almas não sabem que grande felicidade é amar-Vos. Fazei com que também elas glorifiquem a riqueza da vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amen.

 

 

Quinto dia

Hoje traze-Me as almas dos Cristãos separados da Unidade da Igreja e mergulha-as no mar da minha Misericórdia. Na minha amarga Paixão dilaceravam o meu Corpo e o meu Coração, isto é, a minha Igreja. Quando voltam à unidade da Igreja, cicatrizam-se as minhas Chagas e dessa maneira eles aliviam a minha Paixão.

Misericordiosíssimo Jesus que sois a própria Bondade, Vós não negais a luz àqueles que Vos pedem, aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas dos nossos irmãos separados, e atraí-os pela vossa luz à unidade da Igreja e não os deixeis sair da mansão do vosso compassivo Coração, mas fazei com que também eles glorifiquem a riqueza da vossa Misericórdia.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas dos nossos irmãos separados que esbanjaram os vossos bens e abusaram das vossas graças, permanecendo teimosamente nos seus erros. Não olheis para os seus erros, mas para o amor do vosso Filho e para a sua amarga Paixão, que suportou por eles, pois também eles estão encerrados no Coração compassivo de Jesus. Fazei com que também eles glorifiquem a vossa Misericórdia por toda a eternidade. Amen.

 

 

Sexto dia

Hoje traze-Me as almas mansas, assim como as almas das criancinhas, e mergulha-as na minha Misericórdia. Estas almas são as mais semelhantes ao meu Coração. Elas reconfortaram-Me na minha amarga Paixão da minha agonia. Eu as vi quais anjos terrestres que futuramente iriam velar junto aos meus altares. Sobre elas derramo torrentes de graças. Só a alma humilde é capaz de aceitar a minha graça; às almas humildes favoreço com a minha confiança.

Misericordiosíssimo Jesus, que dissestes: "Aprendei de Mim que sou manso e humilde de coração", aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas mansas e humildes e as almas das criancinhas. Estas almas encantam o Céu todo e são a especial predilecção do Pai Celestial, são como um ramalhete diante do trono de Deus, com cujo perfume o próprio Deus se deleita. Estas almas têm a mansão permanente no Coração compassivo de Jesus e cantam sem cessar um hino de amor e misericórdia pelos séculos.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas mansas e humildes e para as almas das criancinhas, que estão encerradas na mansão compassiva do Coração de Jesus. Estas almas são as mais semelhantes a vosso Filho; o perfume destas almas eleva-se da Terra e alcança o vosso trono. Pai de Misericórdia e de toda bondade, suplico-Vos pelo amor e predilecção que tendes para com estas almas, abençoai o mundo todo, para que todas as almas cantem juntamente a glória à vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amen.

 

 

Sétimo dia

Hoje traze-Me as almas que veneram e glorificam de maneira especial a minha Misericórdia e mergulha-as na minha Misericórdia. Estas almas foram as que mais sofreram por causa da minha Paixão e penetraram mais profundamente no meu espírito. Elas são a imagem viva do meu Coração compassivo. Estas almas brilharão com especial fulgor na vida futura. Nenhuma delas irá ao fogo do Inferno; defenderei cada uma delas de maneira especial na hora da morte.

Misericordiosíssimo Jesus, cujo Coração é o próprio amor, aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas que honram a glorificam de maneira especial a grandeza da vossa Misericórdia. Estas almas tornadas poderosas pela força do próprio Deus, avançam entre penas e adversidades, confiando na vossa Misericórdia. Estas almas estão unidas com Jesus e carregam sobre os seus ombros a humanidade toda. Elas não serão julgadas severamente, mas a vossa Misericórdia as envolverá no momento da morte.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas que glorificam e honram o vosso maior atributo, isto é, a vossa inescrutável Misericórdia; elas estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Estas almas são o Evangelho vivo e as suas mãos estão cheias de obras de misericórdia; suas almas repletas de alegria cantam um hino de misericórdia ao Altíssimo. Suplico-Vos, ó Deus, mostrai-lhes a vossa Misericórdia segundo a esperança e confiança que em Vós colocaram. Que se cumpra nelas a promessa de Jesus, que disse: "As almas que veneram a minha insondável Misericórdia, Eu mesmo as defenderei durante a vida, especialmente na hora da morte, como minha glória." Amen.

 

 

Oitavo dia

Hoje traze-Me as almas que se encontram na prisão do Purgatório e mergulha-as no abismo da minha Misericórdia; que as torentes do meu Sangue refresquem o seu ardor. Todas estas almas são muito amadas por Mim, pagam as dívidas à minha Justiça. Está em teu alcance trazer-lhes alívio. Tira do tesouro da minha Igreja todas as indulgências e oferece-as por elas. Oh, se conhecesses o seu tormento, incessantemente oferecerias por elas a esmolas do espírito e pagarias as suas dívidas à minha Justiça.

Misericordiosíssimo Jesus, que dissestes que quereis misericórdia, eis que estou trazendo à mansão do vosso compassivo Coração as almas do Purgatório, almas que Vos são muito queridas e que no entanto devem dar reparação à vossa Justiça; que as torrentes de Sangue e Água que brotaram do vosso Coração apaguem as chamas do fogo do Purgatório, para que também ali seja glorificado o poder da vossa Misericórdia.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas que sofrem no Purgatório e que estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Suplico-Vos que, pela dolorosa Paixão de Jesus, vosso Filho, e por toda a amargura de que estava inundada a sua Alma santíssima, mostreis vossa Misericórdia às almas que se encontram sob o olhar da vossa Justiça; não olheis para elas de outra forma senão através das Chagas de Jesus, vosso Filho muito amado, porque nós cremos que a vossa bondade e Misericórdia são incomensuráveis. Amen.

 

Nono dia

Hoje traze-Me as almas tíbias e mergulha-as no abismo da minha Misericórdia. Estas almas ferem mais dolorosamente o meu Coração. Foi da alma tíbia que a minha Alma sentiu repugnância no Horto. Elas levaram-Me a dizer: Pai afasta de Mim este cálice, se assim for a vossa vontade. Para elas, a última tábua de salvação é recorrer a minha Misericórdia.

Ó compassivo Jesus, que sois a própria Compaixão, trago à mansão do vosso compassivo Coração as almas tíbias; que se aqueçam no fogo do vosso amor puro estas almas geladas, que, semelhantes a cadáveres, Vos enchem de tanta repugnância. Ó Jesus, muito compassivo, usai a omnipotência da vossa Misericórdia e atraí-as até ao fogo do vosso amor e concedei-lhes o amor santo, porque Vós tudo podeis.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas tíbias e que estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Pai de Misericórdia, suplico-Vos pela amargura da Paixão do vosso Filho e por sua agonia de três horas na Cruz, permiti que também elas glorifiquem o abismo da vossa Misericórdia... Amen.

 

 

 

() Indulgências